10 janeiro, 2015

As perguntas que os fãs de Sócrates deveriam fazer, à sua consciência.

Os defensores acérrimos de partidos, deveriam possuir a clareza e capacidade de se distanciar dos partidos para analisar a realidade com isenção. Informar-se sobre o que os partidos fazem contra e a favor do país, sejam do PS, PSD, CDS, PCP, etc. E não se trata de analisar promessas falsas, nem ideologias que ficaram no passado, e muito menos programas que ninguém cumpre... refiro-me à busca de informação favorável e desfavorável, analisar e conhecer o passado, as suspeitas, os casos de corrupção, a história, as incompetências:
Hoje em dia a informação está acessível, basta ter a coragem e capacidade de querer conhecer a verdade. E não se trata de opiniões, existem factos como por exemplo o caso das PPP´s que estão à vista de todos, um crime que lesa a pátria, e ainda há quem defenda os governantes envolvidos?
É importante para a sobrevivência do país, sabermos ser críticos, e mais importante é quando se trata de pessoas que há décadas defendem sempre o mesmo partido acriticamente e fanáticamente, independentemente do mal ou bem que eles fazem ao país. Analisem os partidos pelo bem que eles fizeram ao país e não pelo fanatismo que sentem pelos partidos. Só assim os maus temerão a mão do povo que os afastará nas eleições, e os bons serão motivados a lutar pelo povo. Defendam o país.



O martírio do preso número 44 por José Manuel Fernandes
(...)
Os sinais de que José Sócrates estava a preparar-se para se apresentar como um mártir da liberdade já estavam por aí, mas nunca se tinham manifestado de forma tão aberta como nas respostas que, esta sexta-feira, deu a algumas perguntas da TVI. (...)
Certas almas mostraram-se solidárias, quase atormentadas. Aconteceu mesmo a um colunista, ao passar pelo Natal em frente à prisão de Évora, dar-lhe para recordar o destino do seu pai, várias vezes preso pela PIDE. Faltou-lhe apenas dizer o que veio agora proclamar o preso número 44: “este processo, pela sua natureza, tem contornos políticos. E digo mais: este processo é, na sua essência, político”. Ou seja, ele, José Sócrates, é um preso político, um resistente que se preocupa com “o poder, os seus limites e o seu exercício”.
É sempre possível haver inocentes presos. Direi mesmo que está sempre a acontecer. Há até inocentes que são condenados. O que é mais raro é alguém sobre quem recaem fortes suspeitas considerar que, no fundo, tudo não é mais do que política. Porque é isso que está claramente escrito nas respostas que enviou para a TVI, até por nelas referir que desconhece “as motivações deste estranho processo sem indícios nem provas”. Mais: por insinuar a “suspeita de perseguição política”.

E aqui chegamos ao ponto em que esta missiva acaba por ser um acto falhado. É que se é possível admitir que neste processo não existam ainda todas provas, ou algumas provas sejam frágeis, o país inteiro sabe que se há coisa que não faltam são indícios.
Na verdade só alguém como José Sócrates pode pretender que, depois de ter dito que era a mãe que lhe pagava algumas despesas, depois de ter afiançado que sobrevivera em Paris graças a um empréstimo da Caixa-Geral de Depósitos, acreditemos agora que era afinal um benemérito amigo que lhe emprestava dinheiro, empréstimo que tenciona pagar “apesar da informalidade da nossa relação”.
O antigo primeiro-ministro sempre foi assim (há mesmo quem testemunhe discussões na sua adolescência em que já era assim): tem sempre um argumento novo, tem sempre uma desculpa nova, passa sempre ao ataque, não tolera que não se aceite a “sua verdade” mesmo quando a relação desta com a verdade verdadinha é muito, muito longínqua.

O que este “preso político” nos conta agora é que está a ser perseguido porque as autoridades judiciais não acham normal que um seu amigo de mais de 40 anos tenha acumulado tantos milhões apesar de não se perceber como; que não acham natural que esse amigo lhe tenha emprestado, sem recibo ou qualquer documento ou registo, centenas de milhares de euros para despesas correntes, dívida que certamente pagará apesar de ele, José Sócrates, garantir que não tem fortuna; que não acham normal que as transações entre estes dois velhos amigos tivessem tomado por regra a forma de notas dentro de um envelope (as malas de dinheiro são um exagero, meu deus!), apesar de no país, no século XXI, mesmo os remediados dos remediados utilizarem cheques, cartões e transferências bancárias (o primeiro-ministro do “choque tecnológico” é afinal um conservador que prefere guardar o dinheiro no colchão); que também não acham normal que um empresário com negócios banais em Portugal tenha oportunamente decidido realizar um investimento num andar “a precisar de obras” em Paris, mesmo a tempo de o emprestar ao amigo que, parece, estava com “algumas dificuldades de liquidez”; e por aí adiante.
Haverá gente capaz de acreditar sempre na verdade do engenheiro, haverá gente capaz de negar sempre mesmo os mais gritantes indícios, haverá gente capaz de jurar sempre pela sua inocência. Não faço parte desse grupo. Não creio que esteja inocente. Não acredito na história da carochinha.
É por isso que. apesar de estes momentos nunca serem os mais indicados, pela sua carga emocional, para discutir reformas no sistema, não posso deixar de acrescentar umas breves notas:
Não sei se se deve restringir mais as condições da prisão preventiva, mas noto que, ao contrário do que tem sido sugerido, se trata de um regime menos utilizado hoje do que no passado: em 1996 havia 4.977 reclusos em prisão preventiva, em 2013 já só havia cerca de metade, 2.592.
(...) De resto, não sou hipócrita: um ex-primeiro-ministro será sempre julgado na praça pública, e como se está a ver meios de defesa e palco não lhe faltam. Falta-lhe é capacidade para nos fazer acreditar no inverosímil.

Paulo Morais diz que não existe um julgamento em praça pública, porque o julgamento jurídico nada tem a ver com o julgamento social e politico. E todos os cidadãos têm o direito de julgar o politico, e eles sabem que há corrupção na politica portuguesa.
Mas como é que pode dizer já declaradamente que José Sócrates é corrupto? Não o está a julgar antes da justiça?
Não, não. Há duas discussões.
A corrupção, enquanto fenómeno social e político, é a utilização de um poder delegado em nome do povo para benefício particular. Quem utiliza esse poder para benefício individual, familiar ou de grupos económicos está a incorrer num acto social de corrupção.
Depois uma outra questão é o enquadramento jurídico dos crimes que daí decorrem. 
O enquadramento legal é diverso. Mas quando falamos de corrupção estamos a discuti-lo politicamente. Os portugueses, dos mais letrados aos mais iletrados, não têm de conhecer o enquadramento jurídico da corrupção em detalhe. Mas sabem que a corrupção tem sido uma marca da política em Portugal.
Os governos em Portugal dos últimos 20 anos têm sido governos, e maiorias, e parlamentos, essencialmente corruptos, porque organizam a vida política no sentido de utilizar os recursos da população em benefício particular, de famílias, grupos económicos, de partidos políticos.
A política é corrupta. Sobre quem tem responsabilidade jurídica na matéria, isso sim, é competência dos tribunais. A existência de corrupção na política é uma marca que infelizmente se sente em Portugal de forma exponencialmente crescente desde a entrada de Portugal na Europa. Os casos de corrupção têm sido sistemáticos. E Sócrates é de facto um dos principais actores nessa triste peça que é a corrupção na política na Portugal. IOL

Convido o fãs de Sócrates a questionarem o seguinte; Deitem a mão na consciência... (de preferência respondam sem insultar, apenas com argumentos)
A entrevista (ou a fuga de informação, chamem-lhe o que quiserem) que Sócrates enviou à TVI, serviu para provar que Sócrates já criou 3 versões diferentes para justificar a vida de luxo em Paris.
A mais recente foi nesta entrevista, onde assumiu ter recebido dinheiro do amigo Carlos Santos Silva, a título de empréstimos.
Mas anteriormente, nas diversas vezes que foi questionado sobre como conseguia viver gastando 15 mil euros por mês em Paris, ele alegou que tinha heranças da mãe. E quando Sócrates deu uma entrevista à RTP, aproveitando o seu espaço semanal disse, em Julho de 2014, afirmou também que vivia em Paris sem trabalhar graças a um empréstimo que contraiu junto da CGD de € 120.000.
1 -Porque muda de versão tão facilmente? Os fãs de Sócrates sabem a resposta ou nem querem saber?
2 -Como é que um amigo facilita empréstimos há anos, para lhe permitir viver luxuosamente e comprar um Mercedes de  € 95.000?
3- Como se explica que a versão do empréstimo de € 120.000 da CGD seja credível, se ele gastou quase todo esse empréstimo no Mercedes de € 95.000 ????
4 -Como é que os fãs do Sócrates não estranham que ele mantivesse um motorista em Portugal, vivendo em Paris? E sem emprego? e a viver de empréstimos?
5 -Como é que os fãs do Sócrates não estranham que a empresa desse amigo generoso, tenha contratos milionários facilitados por um governante- O Sócrates?
6 -Como é que os fãs do Sócrates não questionam porque razão o Grupo Lena ganhava tanto dinheiro através do estado/governo Sócrates?
7 -Como é que nem Sócrates nem Carlos Santos Silva conseguiram concretizar os valores emprestados? Se são empréstimos são para pagar, certo? Então como credor e devedor não registaram os valores emprestados? Ninguém estranha?
8 - E se foram empréstimos, Sócrates declarou-o em sede de IRS? O Código de IRS presume que os empréstimos implicam juros à taxa legal e por isso eles têm de ser declarados no IRS de quem empresta e no IRS de quem é beneficiado pelo empréstimo. É que os juros são rendimentos de capitais que Carlos Santos silva teria de declarar...

Coincidências??!
Sócrates terá preferido as perguntas do amigo da TVI. 
Exactamente um dia após entrar em funções um amigo de José Sócrates como director de Informação da TVI, foi à TVI que o prisioneiro Sócrates deu a primeira entrevista.
O ex-primeiro-ministro passou a perna ao Expresso, de cuja tentada entrevista se falou várias semanas, depois de o jornal, diz ele, ter divulgado as perguntas sem antes lhas dar a conhecer. É mais provável que fosse por ter desprezado as perguntas factuais do Expresso e preferido as do canal agora dirigido pelo seu amigo Sérgio Figueiredo. 
As perguntas da TVI eram bem mais fofinhas, menos factuais e mais orientadas para ele poder clamar opiniões contra a justiça, etc. Claro está que a TVI fez muito bem em pedir a entrevista e Sócrates em dá-la. Quantas mais entrevistas, melhor. Cumpre-se o direito a informar e a opinar e a ser informado.
Que ironia, Sócrates usando as mesmas armas de liberdade que ferozmente combateu enquanto primeiro-ministro!
Que ironia trágica, o prisioneiro Sócrates dando uma entrevista ao canal que calou quando primeiro-
ministro!
Já não estão lá os que ele conseguiu afastar. Estão os que vieram depois, José Alberto Carvalho e agora Figueiredo.
A apresentação da entrevista 24 horas depois da entrada em funções de Figueiredo na TVI é fatal: já sabemos com o que contamos.
Veremos se a TVI também não deriva para notícias favoráveis à EDP, onde Figueiredo, por sugestão de Sócrates, foi administrador durante anos.
A forma de apresentação da entrevista, dada por escrito, revelou uma total subserviência ao entrevistado.
A leitura das respostas de Sócrates, totalizando 3000 palavras, durou 22 minutos: jamais, em 20 anos, a TVI apresentou uma entrevista escrita ou um documento deste tipo na íntegra, sujeitando a eficácia do jornalismo ao documento original. Carvalho, director cessante na TVI, que o foi também da RTP quando Sócrates a dominava, desfez-se em desculpas aos espectadores pela chateza do aspecto audiovisual da entrevista, quando não fez corresponder a totalidade do texto escrito de uma resposta à totalidade da sua leitura. Na realidade, foi a Sócrates que pareceu pedir desculpa.
Sócrates, que chegou ao poder pelos media e pelos media governou, quer agora dobrar a Justiça através dos media.
Por muito que se queixe, não lhe faltam meios: tem os media de Proença de Carvalho, TSF, DN e JN, tem um exército de comentadores na SIC e SICN e tem agora a TVI. (...) CM 

PARA MAIS CASOS DE CORRUPÇÃO SOBRE OUTROS POLÍTICOS, CONSULTE O BLOG, PARA CONHECER MAIS FEITOS DO GRANDIOSO SÓCRATES, VEJA A LISTA: 
  1. Outro artigo com duras criticas a Sócrates de Henrique Neto.
  2. Campus de Justiça, mais uma PPP de Sócrates
  3. Deixa buraco de 3,5 mil milhões no SNS
  4. Destruição do SNS
  5. Destruição do património nacional 
  6. Destruição da Segurança Social
  7. Sócrates e a EDP
  8. Sócrates e a Parque escolar
  9. Sócrates investe mal
  10. Sócrates regressa em grande 
  11. As luvas de Sócrates
  12. O aeroporto de Sócrates
  13. A Sovenco de Sócrates 
  14. A manipulação de Sócrates 
  15. O resgate de Sócrates
  16. O BPN do Sócrates
  17. O inglês de Sócrates 
  18. A má gestão de milhões de impostos 
  19. A poderosa mãe de Sócrates 
  20. As SCUT´s de Sócrates 
  21. Sócrates e as Swap
  22. Os milhões de Sócrates na mira da policia internacional. 
  23. Sócrates o comentador alienado
  24. A verdade das contas públicas
  25. "Sócrates deu cabo disto tudo"
  26. Mais uma brilhante lei de Sócrates
  27. Contas offshore da família Sócrates
  28. Amigos de infância de Sócrates ou boys?
  29. video que incrimina Sócrates, mas que a justiça portuguesa rejeita.
  30. Gomes Ferreira define Sócrates
  31. Sócrates e Paulo Campos pisam a lei e os portugueses.
  32. Tachos para a família de Sócrates?
  33. Brisa pagou meio milhão a amigo de assessor de Sócrates.
  34. Sócrates representava uma bomba relógio 
  35. Director do SEF, suspeito dos vistos gold, foi nomeado por Sócrates!

31 comentários :

  1. E já foi acusado da violação do segredo de justiça, por ter feito saber a todas as testemunhas qual é a versão que ele vai apresentar e todos devem apresentar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está na moda fazer perguntas a José Sócrates, que na semana passada respondeu da prisão a questões postas por escrito pela TVI. Nessas respostas, para lá de acusações à Justiça e aos jornais, Sócrates usou alguns truques.
      Considerou “ignominiosa” a prática da corrupção (para afastar a ideia de poder tê-la praticado), considerando que as suspeitas da Polícia decorrem de “uma cascata de presunções”.
      Sócrates agarrou-se a isto (esquecendo a fraude fiscal e o branqueamento de dinheiro) por estar convencido de que a corrupção será a acusação mais difícil de provar.
      De facto, se eu fizer um favor ao senhor A, e o senhor A me der mil euros, 'presume-se' que esta quantia foi o pagamento desse favor; mas, sem outro elemento de prova, não se pode garantir taxativamente que o foi.
      É a situação de Sócrates.
      Ele confirmou que recebeu dinheiro do amigo Carlos Santos Silva, que era administrador do Grupo Lena; mas acha que a Justiça não conseguirá provar por A+B que o dinheiro era a paga de favores feitos por ele ao Grupo Lena.
      Além disso, afirma que esse dinheiro não era oferecido mas sim entregue pelo amigo a título de “empréstimo”.
      Voltaremos a este tema.
      Outro truque usado por Sócrates foi desmentir certas notícias incorrectas que saíram na imprensa - como a das malas de dinheiro supostamente enviadas a Paris através do motorista - para induzir a ideia de que, como isso é falso, todas as outras notícias serão também inventadas.
      Ora, o SOL já tinha escrito (por duas vezes) que a história das malas não era verdadeira.
      Mas repare-se: Sócrates não desmentiu, por exemplo, que Perna lhe levasse envelopes com dinheiro, nem que lhe pagasse despesas, como a do funeral do irmão, que ele reembolsava em dinheiro vivo…

      E, relativamente a outros factos, Sócrates foi sub-reptício.
      Quando falou dos 'empréstimos' do amigo Santos Silva, disse achar natural que um amigo ajude outro em “dificuldades”, com “muito ou pouco” dinheiro.
      Ora, isto não foi dito assim por acaso.
      Não foi por acaso que Sócrates falou em “muito ou pouco” dinheiro: é que estão em causa, de facto, enormes quantias.
      E se é natural que um amigo empreste a outro umas centenas ou até milhares de euros numa situação de aperto, não é nada natural que lhe passe para as mãos milhões de euros para o outro fazer uma vida de luxo.
      Finalmente, Sócrates afirmou que a sua prisão tem objectivos políticos e até sugeriu que poderá ter implicações futuras para o PS.
      A intenção foi afastar a ideia de que é suspeito de um crime de delito comum - e, ao mesmo tempo, envolver o PS no caso, procurando arrastá-lo para sair cada vez mais em sua defesa.
      Mas vamos às perguntas que as respostas de Sócrates à TVI me suscitaram:
      1. Se o dinheiro entregue por Carlos Santos Silva foi 'emprestado', onde está o registo dos montantes? Se a sua intenção era liquidar a dívida, como diz, Sócrates tem de saber quanto recebeu…
      2. A conta donde saía o dinheiro para os empréstimos a Sócrates, que nominalmente pertencia a Santos Silva, era usada por este para outros fins - ou só era movimentada para 'emprestar' dinheiro a Sócrates?
      3. É verdade que os movimentos dessa conta eram 'ordenados' por Sócrates a Santos Silva, ou seja, Sócrates não pedia ao amigo para lhe 'emprestar' dinheiro antes lhe dava instruções para fazer isto ou aquilo, como resulta das escutas telefónicas?
      4. Se os empréstimos não tinham nada de mal, por que razão não eram feitos às claras, em normais transferências bancárias, mas sim em envelopes fechados com notas, transportados pelo motorista João Perna, como este confirmou?
      5. Se Sócrates vivia em Paris com “dificuldades”, ao ponto de precisar de pedir dinheiro emprestado, como se justifica que fizesse uma vida de luxo?

      Eliminar
    2. CONTINUAÇÃO ....
      Daquilo que já se conhece do caso, estas perguntas permitem os seguintes comentários:
      1. Se não existir registo dos 'empréstimos' , o dinheiro não foi 'emprestado' mas sim dado. Ninguém - nem o melhor amigo - empresta quantias enormes (supostamente, dois milhões de euros) sem nenhum registo.
      2. Se aquela conta bancária só era usada para 'emprestar' dinheiro a Sócrates, ela pertenceria mesmo a este. Se fosse de Carlos Santos Silva, ele usá-la-ia para outros movimentos.
      3. Se Sócrates dava ordens a Santos Silva para fazer entregas de dinheiro, esse dinheiro era efectivamente dele; ninguém dispõe totalmente de dinheiro que não é seu.
      4. Se os 'empréstimos' fossem transparentes, as transferências seriam feitas às claras. Os envelopes e outros estratagemas provam a existência de negócios obscuros a esconder.
      5. Se vivesse com dinheiro emprestado, Sócrates faria outra vida. Ninguém necessitado de pedir empréstimos viaja sempre em classe Executiva, compra fatos Armani, tem um carro topo de gama com motorista, frequenta restaurantes caros, faz férias em Formentera (numa moradia que custava dois mil euros por dia) ou vai ao Brasil só para assistir à inauguração do Mundial de Futebol.
      Na entrevista à TVI, Sócrates usou o seu habitual estilo de reagir agressivamente às acusações, partindo depois para o contra-ataque.
      Mas isso já não pega, porque as explicações que dá para os factos conhecidos são completamente inverosímeis.
      Usa o estratagema de desmentir notícias pitorescas (como a das malas de notas) para esconder acusações graves (como usar o motorista para branquear dinheiro).
      E, quanto ao facto capital - as entregas de milhões feitas pelo amigo -, a 'explicação' de que se trata de 'empréstimos' não convenceria nem uma criança de seis anos.
      A propósito, faz-me muita impressão o ardor com que Mário Soares defende Sócrates.
      Independentemente de tudo o resto, a vida de luxo e ostentação que Sócrates levava devia ser chocante para qualquer socialista.
      http://www.sol.pt/noticia/121919

      Eliminar
  2. O tema que apresenta de que as pessoas votam com o coração, é certo. Para desmontar esse tema o cronista J M Tavares faz uma resenha do que deve envergonhar o incompetente Santana Lopes a achar que tem valor para presidente da republica. Mas iremos ver uma votação choruda se o sr levar a dele avante. Tempo tem ele que o lugar na santacasa é mesmo um santo lugar de fachada e penacho (infelizmente com o dinheiro que devia ser para os necessitados)

    ResponderEliminar
  3. Não se esqueçam que ele tinha um ordenado da farmacêutica na ordem dos 12000euros mês. Não sejam tão fascistas onde só falam do que querem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o tal na octapharma??? então mas claro que sabemos... Desorganizados, incapazes de gerir com competência os nossos malfadados impostos, desperdiçam 70 milhões de euros por ano e deitam ao lixo 300 mil unidades plasma!!?
      O plasma, componente do sangue, que é recolhido em Portugal aos dadores, tem que ir para o lixo porque somos "obrigados" por um concurso muito conveniente, a gastar 70 milhões de euros na compra de plasma a uma "sortuda" fornecedora de plasma.
      O normal seria aproveitar o que os dadores de sangue de Portugal dão, grátis, mas não se pode usar, pois existe um concurso que obriga a comprar!!! Um insulto para os dadores e uma ofensa para os contribuintes.
      Parece anedota mas não é.
      Veja a citação em baixo do presidente do Instituto Português do Sangue e perceba os grandes e ridículos entraves que impedem os portugueses de aproveitar o plasma.

      Não o podem guardar porque usaram o frigorífico próprio para arquivo de papeis e está, por isso, cheio!! A gestão típica do terceiro mundo?
      E também não o podem tratar porque o governo não aprova o concurso público que é necessário, para aproveitar o plasma? Mas que cadeia de incompetências conjugadas!!!! Muito conveniente não é? A empresa que fornece o plasma agradece... os contribuintes empobrecem.
      Mas a cereja no topo do bolo é que o concurso está feito de tal forma que mesmo que não se precise de tanto plasma, tem que se cumprir o contrato que obriga a comprar sempre os 70 milhões de euros de plasma mesmo, que não precisem? Lindo!!!
      Quem fez este contrato ruinoso para o país? Alguém amigo do fornecedor de plasma e inimigo do dinheiro público, certamente...
      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2011/08/70-milhoes-para-o-lixo.html#ixzz3OSbCyGuz

      Eliminar
    2. @@ Sócrates e o esquema com a Octapharma, onde alegadamente, ele pagava a si próprio
      Só em Janeiro de 2013, Sócrates arranjou por fim uma actividade profissional, na Octapharma. Esta multinacional farmacêutica austríaca passa a pagar-lhe 12 mil euros mensais, que ele declara ao Fisco como consultor da empresa para a América Latina – região onde se move à-vontade, graças às relações que cultivou quando era governante.
      Entretanto, a RTP convidou-o para comentador dominical. Na estreia, para não ostentar o património, o ex-primeiro-ministro deixou o Mercedes na garagem e apresentou-se com um carro alugado.
      O dinheiro que Sócrates usa no dia-a-dia é-lhe entregue por Santos Silva, que sempre que é necessário faz levantamentos em numerário num balcão do BES: para cima de 10 mil euros por mês, em média, que lhe entrega em mãos ou faz-lhe chegar por terceiros. Este ano, com o resgate do BES e a passagem para o Novo Banco, metade da fortuna já foi transferida para outra instituição bancária.
      Recentemente, para as entregas de dinheiro deixarem de ocorrer às escâncaras e porque necessita todos os meses do dobro do ordenado que a Octapharma lhe paga por mês, o ex-líder socialista passou a usar um método mais complexo, com a conivência do representante da farmacêutica em Portugal, Joaquim Lalanda de Castro, que o convidou para o lugar.
      E assim, todos os meses eram forjadas facturas. O dinheiro do espólio Sócrates é enviado para uma sociedade offshore sediada em Londres cujo beneficiário é Joaquim Lalanda de Castro. Este paga-lhe mais 12 mil euros através de outra sua empresa em Portugal, a título de nova avença – dinheiro este que o ex-primeiro-ministro declara ao fisco.
      Este dinheiro passa a entrar na conta de Sócrates para que ele, que geralmente utiliza no dia-a-dia dinheiro vivo, possa fazer transferências e usar cheques em pagamentos de maior fôlego. Tudo numa aparente legalidade. SOL

      @@ - José Sócrates também vai responder por corrupção ativa quando era consultor da empresa Octapharma.
      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2014/11/os-esquemas-e-rastos-que-incriminaram.html#ixzz3OSbTvTHw

      Eliminar

    3. 25/11/2014,
      A Octapharma, multinacional francesa na qual José Sócrates exercia o cargo de presidente de Conselho Consultivo, revelou esta terça-feira que cessou o vínculo com o ex-primeiro-ministro.

      Eliminar
  4. Mafias em Portugal ?
    Tanto era o medo de Sócrates se candidatar a Presidente da Republica ,que o mataram politicamente e moralmente ....,será que fizeram o mesmo a Sá Carneiro ?
    E ainda dizem que a mafia está em Itália ......abram os olhos não sejam totós !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. COMPARAR MAS NÃO ABUSAR, sá Carneiro morreu porque lutava contra a corrupção o Sócrates esteve seis anos no poleiro e mais uns anos por ali a passear e claro que todos os portugueses sabem que ele foi o maior lutador contra a corrupção, aliás foi por isso que entre 2000 e 2010 Portugal foi o país que mais agravou a corrupção EM TODO O MUNDO...a ignorância é perigosa, informe-se...
      PORTUGAL EM 10 ANOS, FOI O PAÍS DO MUNDO QUE MAIS DESCEU NO RANK DA CORRUPÇÃO... TERÁ SIDO O PS OU O PSD O CULPADO? GRANDE QUESTÃO... EU ACHO QUE FOI O ZÉ POVINHO.
      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2013/03/a-corrupcao-crescente-so-e-possivel.html#ixzz3OScOMToD

      Eliminar
    2. Claro que a Mafia está em Portugal, Ou não será Sócrates prova disso?

      Eliminar
  5. Sócrates está considerado pela imprensa internacional ,um dos melhores 1 ministros da europa ,pois quem é de outro clube e tem a camisola diferente diz que não claro está .......... e em relação a sua prisão ...depois falamos .........

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comentário infeliz! Infeliz, porque mostra o cérebro infectado pela "clubite".

      Nem devia responder a este comentário, mas aproveito para lhe ajudar no raciocinio (o que acho platónico no seu caso, mas ainda assim...).

      Se vive num Planeta capitalista é óbvio que quem manda é o dinheiro, por isto, quem mais manda é quem mais tem (penso que até aqui seja tudo óbvio...). Por conseguinte, quem tem o dinheiro não aceita perdê-lo (não é perder o dinheiro é o poder que ele lhe dá), pelo menos sem dar luta, essa luta é feita através dos meios que chegam às massas (mais não seria preciso dizer, mas...). A ou as mensagens que passam são simplesmente mentiras (como democracia, islamismo, terrorismo, poder do voto, faltam médicos, enfermeiros, etc... .

      Alguns paravam logo na democracia, por saberem que ela nunca pode coexistir com o capitalismo. Outros lembrar-se-iam que só se começou a falar em terrorismo após o 9/11. E a maioria deve sentir no pêlo que algo está errado.

      Eliminar
    2. Já agora convidava-o a mostrar em que contexto e onde é que alguém disse que o s´crates foi o melhor e o melhor em quê? Nós sabemos de muitas coisas em que ele foi o melhor mas gostava que o sr anónimo especificasse... e entretanto pode ir-se informando porque a realidade existe, mesmo para aqueles que pairam no obscuro da ilusão.
      Há factos e estão à vista de todos, basta entreter-se a ler os contratos das PPP, por exemplo ele aí foi o melhor há que assumir, o melhor a lesar o país. Mas enfim... nem vale pena comentar delirios

      Eliminar
  6. É muito triste ,quando agora todos sabem a vida de Sócrates tudo de mau foi ele que fez ,mesmo historias inventadas artigos que vão buscar escritos por outros inventores de historias e ficam convencidos que é verdade ,como se as outras pessoas não tivessem cérebro para pensar ou tentam fazer uma lavagem cerebral as pessoas para acreditarem nos seus contos de fadas .,
    SE É ASSIM QUE FICAM SATISFEITOS A BASE MENTIRAS E DE CONTOS DE FADAS ,PRONTO LEVEM A TAÇA ,E FIQUEM LÁ COM AS MENTIRAS E DIZ QUE DISSE E EU LI E VEM NA REVISTA E DEU NA TELEVISÃO ...MNAS NOTE-SE UMA COISA AVERDADE É SÓI UMA E QUANDO FOR JULGADO E ARRANJAREM PROVAS CONCRETAS E VERDADEIRAS ......NOS ACREDITAMOS ............!!! ATÉ LÁ ........!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então temos de acreditar em quem? Em si?

      Se dissesse, que faltam prender umas boas centenas com tanto destaque e menos destaque que o seu amigo... eu compreendia-o.
      Agora o que o caro anónimo está a fazer é a defender um criminoso, quando deveria era defender todos os criminosos que grassam país fora, ou não.

      Eu vou no hospital, é uma desbunda, vou nas finanças, continua a desbunda, vou no SEF piora, conservatórias fico de olhos em bico, vou no ministério penso que sou marciano, para poder dormir descansado tenho de entregar metade do que ganho.

      Isto é o quê? Mentiras?
      Não acordem que não vale a pena.
      Pode estar muito bem agora para si, mas não duvide que vai piorar muito rapidamente.

      Eliminar
    2. Mais um que sofre de delírio... o país está minado por esta gente, por isso em Portugal se elegem corruptos, por isso Portugal está falido, a sanidade mental é escassa. Só para ter noção da sua insanidade mental, deixo-lhe este exemplo bem concreto...
      Este blog tem centenas de artigos sobre politicos e não só, responsáveis por crimes contra o país, mas o sr como não possui a capacidade de ver nem o que está mesmo à sua frente, vem para aqui todo condoido com as injustiças do coitadinho do socrates, que todos o acusam só a ele coitadinho... e que tal abrir os olhos e ler aqui mesmo ao seu lado dezenas de artigos sobre outros acusados??? Deixem-se de cegueiras e de defender partidos corruptos, defendam o país que esse sim está em maus lençois... até aflige tanta cegueira, tanta incapacidade de analise

      Eliminar
  7. NO COMMENT

    https://www.youtube.com/watch?v=cAXP9gIBNr0

    https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=gNu5BBAdQec#!


    O POVO VAI VOTAR PS E VAI SER UMA GRANDE PROVA DA VERDADE ,OU AGORA O POVO TAMBEM NÃO TEM RAZÃO ???


    VAMOS ESPERAR PARA VER DEPOIS DAS ELEIÇÕES !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aconselho-o a procurar tacho fora do país, enquanto pode.

      Eliminar
    2. O povo tem muita ignorância e a ignorância não tem razão, a maioria vence e a maioria dos portugueses padece de clubite aguda e grave iliteracia politica...
      Qualquer pessoa sabe isso. o povo eleger o ps só prova uma verdade, é que a ignorância é mesmo profunda, lamento que o sr ainda não o saiba , mas já o devia saber.

      Eliminar
  8. VIVA O PS VIVA PORTUGAL !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu Zézito é o mais bonito...força Zézito11 janeiro, 2015 23:32

      "Suum cuique pulchrum est, - A cada um o seu lhe parece bonito. /Quem o feio ama, bonito lhe parece. "- [Cícero, Tusculanae 5.22.63].

      A par da apresentadora Fátima Lopes, foi considerado, em votação terminada a 31 de Agosto de 2009, como O Mais Sexy do Correio da Manhã

      Lady GaGa - “Gosto também muito do vosso primeiro-ministro" , prossegue. Gaga não está sozinha na admiração que nutre por José Sócrates: EM 2008, O JORNAL ESPANHOL EL MUNDO CONSIDEROU O CHEFE DO GOVERNO PORTUGUÊS O SEXTO HOMEM MAIS SEXY DO MUNDO. Mas o que não esperávamos é que esta "paixoneta" ("crush" nas palavras da própria) pudesse vir a ter pernas para andar: "se calhar era melhor falar com ele primeiro, mas sou tentada a dizer que me mudava para o vosso país hoje mesmo se ele me dissesse 'sim'", adiantou a voz de "Bad Romance". E rematou assim: "Sócrates é uma brasa e eu dava uma óptima primeira dama".

      UMA “MODINHA” DO PORTUGAL PÓS-MODERNO (Escrita em finais de 2010)

      Ai Zézito, Ai Zézito
      Tu que és bonito
      Mais pareces um olimpo Deus da Grécia
      Com Portugal ante a falésia

      Marketing, Propaganda e Intrigas
      Propaganda, Intrigas e Marketing
      Inglês Técnico: I´am Speaking
      O Povo delira com as tuas cantigas

      Ai Zézito, tu és um fenómeno
      És de todos o mais charmoso
      És o “CHEFE” deste País mafioso
      Mais perspicaz que engenheiro agrónomo

      Ai Zézito, és mais engenheiro que bonito
      És o maior no “salto à Vara”
      Tens duas caras como o feijão-carito
      A nós até a sucata nos sai cara

      Ai Zézito, Ai Zézito
      Tu que serás sempre bonito
      Hoje vivo a ilusão que tenho um apito
      Ai Zézito, eu a ti sempre cito

      Ai Zézito, és mais traquina que o Pinóquio
      De nariz comprido vais aos bolsos do Agapeto
      Sempre eloquente como doutor em colóquio
      Enquanto Portugal queima no espeto

      Ai Zézito, Ai Zézito
      A ti ninguém te pára, ninguèm te pára
      És ferida que não sara
      Mentir assim ao povo não é bonito

      Ai ZéZito, Ai Zézito
      Os mistério políticos são clarividentes enteléquias
      Cantemos antecipadamente as nossas exéquias
      Antes que acabes maldito


      NAS CONVERSAS QUE TIVE COM CHARLES SMITH E JOÃO CABRAL, NÃO TENHO QUALQUER DÚVIDA DE QUE A PESSOA QUE ERA REFERIDA COMO “PINÓQUIO” ERA O MINISTRO DO AMBIENTE JOSÉ SOCRÁTES “ - ALAN PERKINS (depoimento do ex-Administrador do Freeport)

      Quando referiu as verbas pagas ao ministro do Ambiente( Sócrates terá recebido cerca 200 ou 220 mil euros) , Perkins disse que ao longo do licenciamento houve mais valores pagos a a outras pessoas, que recebiam em nome de Sócrates. Essas pessoas seriam conhecidas por “gordo” e “Bernardo”. A testemunha diz que eram muito próximas do então ministro. “SERIAM PRIMOS”; referiu.

      Ouvido como testemunha de acusação, o advogado Augusto Ferreira do Amaral referiu que Manuel Pedro lhe confidenciou, em Janeiro de 2001, que José Sócrates exigia 500 mil contos (CERCA DE 2,5 MILHÕES DE EUROS) e que estava “chocado” com a exigência do então ministro do Ambiente, revelando-lhe que um dos administradores do Freeport se ia deslocar a Lisboa para tratar do assunto.

      Eliminar
  9. A VERDADE ESCONDIDA

    https://www.youtube.com/watch?v=uaNuRB44zgw

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai procurar tacho para outro lado. Estamos fartos de parasitas

      Eliminar
  10. SERÁ QUE JÁ ESTÁ ESQUECIDO ?

    https://www.youtube.com/watch?v=kS7-ySDGqF4

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai procurar tacho para outro lado. Estamos fartos de parasitas

      Eliminar
  11. Não, não vou falar em dinheiro porque sei que é disso e de diversão que as pessoas gostam, eu tento ser diferente. Para refletir...
    "Quem tem poder é levado a abusar dele indo até onde encontra limites" (Montesquieu)
    E por isso devemos perguntar "Quem nos guarda dos guardas?"
    Vejam quem tem poder neste país e acabem com as diversões.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pobrezito do meu Zézito12 janeiro, 2015 00:04

      Fortuna nos vincit, nisi tota vincitur. [Publílio Siro] A fortuna domina-nos, se não for totalmente dominada por nós.

      Em junho de 2004, José Sócrates participou do encontro do Clube de Bilderberg realizado em Stresa, Itália.

      Clube Bilderberg. Há 60 anos a mexer cordelinhos para subjugar o mundo e impor uma nova ordem

      São chamados os “senhores do mundo”. O Clube Bilderberg foi criado em Maio de 1954 na Holanda e, nas últimas décadas, recrutou os mais importantes políticos, banqueiros, donos de petrolíferas e grupos de media, influentes industriais, empresários e académicos de todo o mundo. A sociedade secreta reúne-se uma vez por ano numa conferência cuja agenda não é pública e para a qual são convidadas apenas 140 pessoas. Poucos encontros têm sido alvo de tantas tentativas de escrutínio, mas, ainda assim, pouco ou nada se sabe sobre o que acontece na Conferência Anual de Bilderberg.

      Um jornalista lituano, Daniel Estulin, escreveu um livro polémico que garante que na realidade o clube tem um único propósito: comandar o mundo e impor uma nova ordem mundial. Enquanto não conseguem alcançar o desígnio, os líderes do Bilderberg vão tentando controlar o que podem. “A verdadeira história do Clube Bilderberg” conta como o clube mais exclusivo do mundo promoveu a ascensão dos Beatles, fez eclodir o caso Watergate e planeou o 11 de Setembro. A pouco e pouco, garante Daniel Estulin, os Bilderberg vão abrindo caminho para o seu objectivo maior: subjugar o mundo a um único governo, uma única moeda, um único exército e um só sistema judicial e de educação. Tudo com o apoio da ONU – que servirá de instrumento para conseguir o domínio completo de todas as nações

      Uma parte importante do plano passa por conseguir o comando dos países emergentes e subdesenvolvidos que detêm reservas minerais – da água ao petróleo. É aqui que entram uma série de ONG ambientalistas que no terreno vão desaculturando os povos e semeando a discórdia e a fome. “Bilderberg é a potência económica e financeira que necessita de controlar toda a alimentação. Para isto quer destruir toda a economia para poder reduzir a população mundial”, repete Daniel Estulin nas entrevistas que vai dando um pouco por todo o mundo.

      O poder mundial seria composto pelos “controladores”, por agentes conscientes (partidos políticos) e por agentes inconscientes. A dominação, explica o jornalista, é feita através da ideologia e, se necessário, com recurso ao terrorismo. Da lista de controladores constam, entre outros, o FMI, o Vaticano e a OCDE. Daniel Estulin garante que estes organismos estão incumbidos de actuar no sentido de eliminar a ideia de soberania nacional e as forças armadas de cada país. Estão, portanto, ao serviço de proprietários de bancos, de multinacionais, primeiros-ministros, chefes de Estado e editores dos principais jornais do mundo.

      http://odetriunfante.files.wordpress.com/2009/12/daniel-estulin-a-verdadeira-historia-do-clube-bilderberg-pdfrev.pdf

      Eliminar
  12. O que nos governa !

    http://verdadeirolapisazul.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai procurar tacho para outro lado. Estamos fartos de parasitas

      Eliminar

  13. O valor jornalístico que o terá terá
    Hoje, poucas pessoas fazem, mas muita gente terá feito. Quase ninguém disse, mas inúmeros terão dito

    Tenho observado com muito entusiasmo a recente invenção jornalística do terá. Parece que uma notícia deve responder a seis perguntas, a saber: quem?, o quê?, onde?, como?, porquê? e quando? Foi isso, aliás, que me afastou do jornalismo. São demasiadas perguntas. Um jornalista encontra-se quase sempre na posição de um bêbado que acaba de chegar a casa. É curioso que tanto o bêbado como o jornalista tenham de responder mais ou menos às mesmas perguntas. Obter as respostas é difícil para ambos. O bêbado está pressionado pelo álcool e o jornalista está pressionado pela realidade, que também inebria e confunde. Estando, em geral, mais sóbrio que o bêbado, o jornalista inventou o terá. É uma forma habilidosa de não responder à pergunta "quando?" Funciona assim: "Fulano terá feito uma falcatrua." Quando? No passado. Mas o verbo ter está no futuro. O que significa que talvez venha a confirmar-se no futuro que sucederam certas coisas no passado. Hoje, poucas pessoas fazem, mas muita gente terá feito. Quase ninguém disse, mas inúmeros terão dito.

    É muito interessante reparar no papel que o terá tem desempenhado nas notícias sobre o acontecimento mais importante da actualidade. A pesquisa "Sócrates terá", no Google, devolve 19 mil e 300 resultados. Alguns exemplos: "Sócrates terá usado conta do motorista para depósitos e pagar despesas", "Sócrates terá dito que iria mobilizar a opinião pública contra a Justiça", "José Sócrates terá recebido um milhão de euros em dinheiro vivo", "Antigo motorista de José Sócrates terá admitido que depositou dinheiro do ex-primeiro-ministro na sua conta", "Sócrates terá repartido a fortuna de 25 milhões de euros por seis bancos". O terá permite fazer perguntas sem colocar um ponto de interrogação no fim. "Sócrates terá repartido a fortuna de 25 milhões por seis bancos?" passa a "Sócrates terá repartido a fortuna de 25 milhões por seis bancos". O terá garante, até judicialmente, que a frase anterior ainda não é uma afirmação, mas também deixa claro que já não é uma pergunta. É uma afirgunta. A afirgunta é um novo género jornalístico que não constitui exactamente uma notícia. É uma hipótese de notícia. Uma suposição. E quando a afirgunta gera novas afirguntas, transforma-se em afirmação. Aqueles 25 milhões já foram uma afirgunta. "Sócrates terá 25 milhões". Como os hipotéticos 25 milhões foram hipoteticamente repartidos por seis bancos, deixaram de ser hipotéticos. A afirgunta só admite uma hipótese de cada vez. Caso contrário, isto deixa de ser jornalismo, e passa a ser uma fantochada sem qualquer vestígio de rigor.

    Consideremos a seguinte frase: "Sócrates terá 60 anos em 2017." É das poucas notícias que podemos dar acerca de José Sócrates recorrendo ao uso convencional do futuro do verbo ter. É uma informação factual, verificável e exacta. É também extremamente enfadonha. Não faz sonhar. No entanto, a nova utilização do terá, em teoria, permite avançar com qualquer hipótese, desde que permitida pelas leis da física. Creio que não é admissível escrever, por exemplo, "Sócrates terá levantado voo depois de agitar os braços com muita força". Mas "Sócrates terá comprado o Taj Mahal a pronto" é jornalismo. Ora, neste tipo de notícia hipotética, eu sou fortíssimo. Ter-me-ei (cá está) reformado demasiado cedo. Eu sou a agência Reuters do terá. Sou capaz de redigir, a partir de casa, um número infinito de peças jornalísticas deste tipo. Contactem-me.

    Ricardo Araújo Pereira

    Ler mais: http://visao.sapo.pt/ricardo-araujo-pereira=s23462#ixzz3PSylpKdH

    Já agora... Pesquisar neste blogue "José Sócrates terá..."

    ResponderEliminar