18 abril, 2013

Portugal recebe subsidio para abater 10.000 mil vitelos? Continuam a pagar para não produzirmos?




Data do video: 23/01/12

E é assim que se descobrem as hipocrisias, que continuam a destruir Portugal. 
Querem que sejamos competitivos, produtivos, empreendedores, exportadores e não importadores? Será? 
Ou será que preferem que sejamos eternamente escravos e dependentes de empréstimos e dividas. 
Querem que sustentemos a banca europeia, e não só, por muitos e muitos anos. Seleccionam nações inteiras, cujos governos são fracos e corruptos e aceitam escravizar os seus cidadãos, alinhando no jogo, aceitando que o povo fique a pagar impostos colossais, para sustentar juros de dividas, que já todos sabemos que são impagáveis e eternas. (Como se vê no gráfico em baixo.)
PS e PSD entregam Portugal em sacrifício aos interesses estrangeiros, há décadas. Eles ganham cargos, negócios, financiamento de partidos e protecção, nós povo, não ganhamos nada, perdemos quase tudo.

"Vitelos com quinze dias estão a ser abatidos e incinerados em grandes quantidades no matadouro de Ponta Delgada.
O subsídio atribuido aos agricultores para o abate é superior ao valor de mercado dos animais.
De acordo com o Governo Regional, nos últimos dois anos foram abatidos e incinerados cerca de dez mil vitelos.
A União Europeia paga setenta e cinco euros por cada animal abatido.
Os viteleiros que compravam estes animais para exportação dizem não poder competir com o subsídio comunitário e já abandonaram a actividade." fonte 
Aqui outro video a explicar a noticia de forma mais concreta. Açores abatem dez mil vitelos 

O gráfico que mostra porque nunca pagaremos a divida. É mais um embuste.
A prova de uma evidência, passe a expressão: nunca pagaremos a dívida, e também por isso deve ser denunciada e renegociada, também porque esta política económica não a faz descer. Este gráfico foi publicado por Francisco Louçã, e fica aqui juntamente com a sua explicação:
No último “Tabu”, na SicN, usei este gráfico, que aqui fica para ser estudado por quem quiser. A vermelho está a previsão da evolução da dívida pública portuguesa, segundo a folha Excel que o FMI utiliza (e que foi descoberta e revelada pela Iniciativa para a Auditoria Cidadã), e a azul o efeito nos cálculos do FMI se introduzirmos as previsões do Banco de Portugal para 2013 e 2014 (e uma versão optimista de evolução posterior em estagnação se a mesma política se mantiver).
O resultado é impressionante: mesmo que se mantenha o actual nível de impostos, de corte de salários, de destruição de emprego e de austeridade autoritária, a dívida nunca baixa e o problema torna-se perpétuo. Ou seja, Portugal explode se não anular parte da dívida e recuperar uma economia para o emprego e os salários.

Mais uma explicação sobre a escravatura das dividas.
Um povo ignorante é sempre fácil de enganar. Informem-se, informem, vamos acabar com a ignorância, nestes assuntos, porque já basta. Ninguém sabe porque é que a nossa dívida foi negociada em condições menos vantajosas, para nós, que no caso da Grécia e do Chipre? Ninguém se questiona?


6 comentários :

  1. Vivemos num país de hipocrisia, há fome mas deitam-se milhares de toneladas de comida para o lixo, a economia da UE é mais importante que a nossa, e que a fome!?

    ResponderEliminar
  2. Fiquei a saber pela televisão que o Governo deu um mês de prazo a todos os Ministérios para que apresentem detalhadamente todos os vencimentos dos seus empregados.
    Honestamente fiquei estupidamente parvo.
    Então quer dizer que o Ministério “A” tem uma tabela de vencimentos, o Ministério “B” outra e assim sucessivamente.
    Isto só pode ser gozo !!!
    Durante estes anos todos ainda não há uma base de dados onde estejam descritos todos os vencimentos dos funcionários públicos?
    Não há troca de informações com todos os Ministérios ?
    Mas temos andado a brincar aos Governos ?
    Desde que me conheço como trabalhador »»» Junho de 1964, sempre tive uma tabela salarial que quando sai, é para toda a classe trabalhadora do ramo de seguros.
    Os banqueiros a mesma coisa.
    O Estado, não ?
    Ou percebi mal ?
    Mas que grande Carnaval tem andado nestes Ministérios nestes anos todos … Eu sei lá as remunerações extras que não andam para aí escondidas …
    Mas que limpeza isto anda a precisar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ouviu dizer que os médicos recebem 240 milhões de euros/ano em horas extraordinárias?
      Que os juízes do constitucional deixaram passar a CER (contribuição extraordinária dos reformados) por não serem atingidos?

      Quer mais foguetes?

      Só uma alteração RADICAL dos votos nas autárquicas colocará esta canalha em sentido.

      Trabalhemos nesse sentido!

      Eliminar
    2. Estas horas extraordinárias na maioria são feitas por médicos com 30 anos de profissão hospitalar, não são distribuidas de forma equitativa, justa conforme mérito de avaliação ou desempenho, estas práticas devem-se aos administradores hospitalares e ás parcerias público-privadas. Existem médicos com a mesma especialiade e mais bancos de urgéncia que dazem muito menos ou nenhumas horas extraordinárias. Uma vergonha, um escãndalo.

      Eliminar
  3. Para o quinto quadro comunitário de apoio 2014-2020, Portugal receberá 20.000 milhões de euros.
    É para receber estes dinheiros que se faz tudo o que Bruxelas pretende.

    Estes 20.000 milhões, cerca de 9,5 milhões/dia, são um apoio para investimento NÃO PROGRAMADO, sem qualquer objectivo, sequer, sugerido por Bruxelas, e que os vários governos nacionais e municípios vão gastar, à balda, como lhes aprouver.

    Sem retorno previsível.

    Para caçarem votos de curto prazo e condenarem as gerações futuras a pagá-lo.

    Como fizeram, até hoje, com os 4 quadros comunitários anteriores...,

    Mas para este engodo financeiro, vai ser necessária a chamada "contrapartida" nacional, no valor de 5.000 milhões de euros em 6 anos (2,4 milhões/dia).

    Que nós, obviamente, não temos.

    Mas, para "apanhar" o isco oferecido, quem nos desgoverna, vai pedir emprestado à banca internacional:
    Aumentando a DÍVIDA PÚBLICA e seus JUROS.

    Que depois pagaremos, com a queda do estado social, com a fome, com mais impostos, com menos apoio à doença, com..., com...,

    Mas que importa se a finança alemã e francesa ficam mais ricas?
    É para isso que os seus governos "dão" aos PIIGS (Portugal, Irlanda, Itália. Grécia e Espanha) todo aquele dinheiro sem se importarem como ele é gasto...

    Os "chefes" dos PIIGS orientam-se e a carneirada lá do sítio depois paga a factura.

    NÃO É POR ACASO QUE OS PIIGS SÃO RECEPTORES LÍQUIDOS DAS "AJUDAS" COMUNITÁRIAS HÁ 24 ANOS E, AGORA, ESTÃO TODOS NA BANCA ROTA !!!



    ResponderEliminar
  4. gandolavilamolena
    cantai-de

    ResponderEliminar