25 outubro, 2013

Os cães ladram e a caravana passa... o povo cão, que ladra mas não morde.


Neste video, Marinho Pinto coloca o dedo na ferida, denuncia a promiscuidade dos deputados e explica o caso BPN, sem papas na língua, mas é atacado com argumentos, próprios de quem não tem argumentos. As pessoas integras são assim mesmo, não vergam... Um exemplo de coragem num deserto de justiça.



Para perceber o que revolta Marinho Pinto, e deveria revoltar milhões de portugueses, nada como uma leitura do livro "Os Privilegiados", que vem denunciar o abuso e o regabofe dos deputados.

O jornalista Gustavo Sampaio traz-nos um livro revelador, onde depois de uma exaustiva e rigorosa pesquisa, apresenta-nos as zonas cinzentas entre o interesse público e privado, e faz as ligações que nos permitem perceber como políticas e ex-políticos gerem interesses, movem influências e beneficiam de direitos adquiridos.
Mais de metade dos deputados têm outros cargos no sector privado e 16 das 20 empresas do principal índice bolsista têm ex-políticos na administração. Estes são alguns exemplos referidos no livro.

Dos 230 deputados à Assembleia da República, 117 estão em regime de part-time, acumulando as funções parlamentares com outras atividades profissionais no setor privado. Advogados, juristas, médicos, engenheiros, consultores, empresários, etc.
Em diversos casos, prestando serviços remunerados a empresas que operam em setores de atividade fiscalizados por comissões parlamentares que os mesmos deputados integram.
Ao que se acrescem as ligações a empresas (cargos de administração, participações acionistas, serviços de consultoria, etc.) que beneficiam de iniciativas legislativas, subsídios públicos ou contratos adjudicados por entidades públicas visando a execução de obras, o fornecimento de produtos ou a prestação de serviços.

Conflitos de interesses?
Dezenas de exemplos concretos são apresentados neste livro.
Dos corredores do poder político para as salas de reunião dos conselhos de administração, e demais órgãos sociais, das maiores empresas portuguesas, com ou sem período de nojo.
Um fluxo recorrente entre cargos públicos e privados.
Das 20 empresas cotadas no índice PSI 20, por exemplo, 16 contam com ex-políticos em cargos de administração.
Por vezes são ex-governantes que decidiram sobre matérias que implicam as empresas para as quais vão depois trabalhar, ou até administrar.
Sabia que as subvenções vitalícias dos políticos foram criadas numa altura em que Portugal estava sob assistência financeira do FMI?
Que foram alvo de um veto presidencial?
Que duplicam de valor quando o beneficiário alcança os 60 anos de idade?
Que apesar de terem sido revogadas há 8 anos, o número de beneficiários continua a aumentar?
Que a identidade dos beneficiários passou a ser secreta?
Ou que há políticos que a requereram com idade inferior a 50 anos? 

Pedro Passos Coelho prometeu que iria fazer nomeações com base no mérito e não nas ligações partidárias. Apesar da maior transparência, as 142 nomeações com ligações partidárias para altos cargos dirigentes na Administração Pública, identificadas neste livro, demonstram que os boys continuam a ser favorecidoscerca de 140 militantes do PSD e do CDS em cargos de direcção da administração pública.
Os conflitos de interesses entre a política e os negócios começam logo na casa da democracia. Em 230 deputados, 117 acumulam outros cargos, dezenas são remunerados por empresas que beneficiam de iniciativas legislativas, subsídios ou contratos adjudicados por empresas públicas. Há ainda quem trabalhe para empresas fiscalizadas por comissões parlamentares onde participam, explica Gustavo Sampaio.

“São cerca de 50 cargos ocupados por ex-políticos”, refere. Entre eles há cinco ex-governantes em bancos, empresas do sector da energia, comunicações e multimédia.
O livro termina com um olhar para outros países europeus. O autor cita deputados suecos, dinamarqueses e britânicos, que dizem não ter tempo para acumular cargos, porque a política ocupa-lhes toda a agenda. fonte

CELESTE CARDONA TENTA CALAR A VERDADE
MAS... perde processo contra livro "Os Privilegiados"
A Esfera dos Livros e o autor Gustavo Sampaio foram processados por Celeste Cardona, por causa do livro Os Privilegiados. A sentença hoje conhecida absolveu a editora e o autor.
Na ação, Celeste Cardona pedia que «fossem retirados todos os livros que se encontrassem no mercado e que a Esfera dos Livros e o autor fossem impedidos de continuar a comercializá-los, reproduzi-los ou apenas exibi-los, com a capa em questão e proibidos para a finalidade visada na obra ou qualquer outro fim, de utilizar qualquer fotografia da autora, ficando sujeitos a uma sanção pecuniária compulsória de euro 5000,00 por cada dia de atraso no cumprimento da decisão», segundo a assessoria da Esfera dos Livros.
A sentença lida hoje, segundo uma informação divulgada pela editora, «decidiu que não assiste razão à Dra. Celeste Cardona. A sentença absolveu a Esfera dos Livros e o seu autor Gustavo Sampaio, por a Dra. Celeste Cardona ser uma figura pública, salvaguardando a liberdade de expressão e de informação». fonte



Não perca, também o video deste artigo, de Paulo Morais, onde tudo se fica a saber. Eis um Homem... Divulguem, partilhem, ajudem a acabar com a ignorância que afunda Portugal.
Afirmações chave do video...
1 - O parlamento é uma grande central de negócios. Todos os deputados, que tem poder e domínio na politica e economia estão no parlamento a fazer negócios.
As comissões parlamentares que deveriam defender os interesses dos portugueses defendem os seus negócios próprios.
O caso de Miguel Frasquilho que é deputado e acompanha a assistência financeira que está a ser dada a Portugal pela Troika, e ao mesmo tempo pertence a um grupo financeiro. O grupo Espírito santo.
Ou o caso do deputado Adolfo Mesquita Nunes, de manhã estão nos seus escritórios de advogados a fazer negócios e à tarde vão para o parlamento fiscalizar os seus próprios negócios. Está a tratar das privatizações e é ele que também as fiscaliza. Isto jamais pode ser sério.
Não é nada normal que um empresário seja deputado e esteja a fiscalizar a sua própria actividade.
Paulo Morais já falou com o presidente da comissão de ética, com a presidente do parlamento, mas todos se preocupam e ninguém faz nada.
2 - O presidente da República é que devia intervir, pois é ele o responsável pelo regular funcionamento das instituições.... mas nada faz. É o único que tem esse direito, esse poder e esse dever. ARTIGO COMPLETO

Outro exemplo referido por Paulo Morais. O presidente da comissão parlamentar que controla o ministério do trabalho e a SS, deputado José Manuel Canavarro, é também esse mesmo senhor, que exerce o cargo de consultor do Montepio Geral, um banco que tem actividades na área da Segurança Social. Ou seja como deputado é ele que fiscaliza a legalidade e a quantidade da atribuição de subsídios e benesses, que atribui a ele mesmo, como consultor do Montepio. Isto é o que se passa com muitos deputados, e muitos sectores económicos e sociais. A sua função é claramente corrupção, mais que qualquer outra.
Paulo Morais diz que não percebe como é que estas pessoas não têm vergonha. ARTIGO COMPLETO:

Mais temas sobre deputados que ofendem o contribuinte
  1. Deputados que negoceiam com a Troika, defendem a banca.?
  2. Com Direitos acima da lei?
  3. Com cantinas de luxo
  4. Com despesismo inútil
  5. Com direito a Assistentes pessoais?
  6. Regalias e mais regalias aos deputados
  7. Em Incompetência / irresponsabilidade
  8. Golf subsidiado, é essencial
  9. Majestoso menu de luxo, da AR
  10. Em video, mais luxos
  11. Os carros de luxo... ou bólides
  12. O orçamento da AR de 2013, engorda?
  13. Deputados defendem o povo?
  14. Água mineral, por favor.
  15. Video de Paulo Morais- deputados que não representam quem os elege, mas quem os suborna.
NOTA: O titulo deste artigo, que demonstra o desprezo dos privilegiados, pelos não privilegiados, foi inspirado nos comentários que os privilegiados dos Banco de Portugal, arrogantes, deixaram neste artigo... Um artigo onde se denuncia o abuso e o regabofe do banco de Portugal. Um dos mais recentes comentários, foi precisamente esse... Os cães ladram e a caravana passa.É assim que os privilegiados se sentem perante os que são vitimas dos seus privilégios?

13 comentários :

  1. Bom dia Zita, tenho visto diariamente o blog de facto já faz parte do meu dia a dia. Já ao tempo que não comentava algumas vezes por falta de disponibilidade de tempo e outras para nao me enervar logo pela manhã. Mas hoje ate vou deixar um comentário.

    Este País é mesmo uma república das bananas. E cheio de bananas, porque se os portugueses fossem exigentes, jamais iam votar na mesma escumalha de sempre ps, psd e cds. Mas são nojento estes políticos, são mesmo a classe mais nojenta mais ordinária. Temos o caso do Sócrates arruína o País com a porcaria das ppp´s vai tirar um curso de filosofia para França. E regressa a Portugal para comentador , lança um livro e muitos portugueses batem palmas a um palerma que nos roubou a todos. Caros/a portugueses isto era normal num País a sério como os nórdicos,? Claro que não em Portugal é o País dos 3 F´s. Fátima Fado e Futebol. Temos de mudar de prioridades. Acabar com a corrupção quem trabalha é que tem de pagar para os chulos dos políticos. Já chega eu tenho 33 anos não tenciono emigrar por agora. Mas uma coisa é certa para se ter uma vida decente é difícil com os salários a baixar e o custo de vida a aumentar. E a população é roubada todo o ano e todos os anos e não há ninguém que faça frente à escumalha dos corruptos. Manifestações não chega, apenas fuzilar um palhaço de ministro qualquer um serve para dar o exemplo para a restante classe ordinária política.


    Bom trabalho Zita, isto é mais serviço público que muitos programas que vemos na tv. A comunicação social em Portugal é péssima. Temos o exemplo da Islândia que recuperou da bancarrota e alguém viu alguma coisa na tv sobre o assunto. Nada disso. Ouvimos sim é a falar do 2 resgate ou de um seguro. Santa Paciência com estes políticos não vamos a lado nenhum. O País anda para a frente se tiver uma boa classe média com poder de compra isso sim. Ora ouvimos todos os dias famílias a pedir ajuda para um prato de sopa. Mas com tantos pobres não há dinheiro na economia. Mas há coisas que são básicas. Coelho é bom na panela, Portas tem de se trocar é um trocas tintas nem ministra das finanças tem portugal , é uma simples secretária do portinhas.


    Portugal tem de se revoltar , chega de Ladrões. Sou jovem de 33 anos, temos de ter um espírito critico. E a troika não resolve nada nem vamos acabar com a corrupção. A merda dos politicos de Portugal são mesmo merda. Mas ninguém pense que o Fmi, bce, comissão europeia, merkel nos ajudam, vão sugar é belos juros. Ninguém dá nada a ninguém. Mas temos é de organizar a nossa casa ou seja, banir os ladrões dos políticos o cancro da maçonaria do interesse do grande capital.


    Bom trabalho Zita

    Fernando

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Fernando pelo seu apoio e pelo seu contributo, o seu exemplo incentivará muitos portugueses a perceber que somos escravos da corrupção, que cada vez pagamos mais para ter menos, porque acima de tudo servimos para pagar os roubos e as incompetências dos politicos e amigos

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  2. Caro Fernando

    Sem querer parecer provocador .......... mas porque não dás o exemplo, e fuzila um deles ??????
    Eu sei, poderias dizer, bem Ramiro, a carapuça pode servir em ti também, e eu concordo.
    Mas meu caro Fernando, a questão, é que ninguém se vai sacrificar pela carneirada, porque se fizesses alguma coisa , e fosses pego, iam te cruxificar .............. mas olha aquele malandro, assassino, matou um homem bom, pai de família, etc ..........
    Tás a ver não é ......... bem, vamos continuar a comer bananas, que é bom , e dá saúde.
    Abraços, e alivia os gases, como eu, em meu blogue.

    Ramiro Lopes Andrade

    ramirolopesandrade.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde, sr. Ramiro Lopes por acaso até conheço o seu blog e de facto concordo com muita coisa que por lá escreve. Mas honestamente quem não se sente não é filho de boa gente, claro que para fuzilar um parasita de um ministro não pode ser alguém sozinho, porque isso estava tramado, mas numa confusão qualquer tipo com a multidão haver alguém com eles no sitio (testículos). E mandar uma bojada para fuzilar o respectivo parasita , ou alguém que pense em suicidar antes de o fazer que mate um sacana que lhe deu cabo da vida dele e da família.

    Mas não é a matar que se acaba com a corrupção, porque os portugueses tem muita culpa. Temos exemplos como Felgueiras, Oeiras, Gondomar, Madeira toda a gente sabe que os presidentes de câmara são corruptos e ganham as eleições. Não basta matar, mas ser minimamente inteligente e ter sentido crítico. A escumalha tem de ser corrida do poder e onde há dinheiro. Caso não houvesse lá muito dinheiro algum sacana queria ir para governar. Não me parece

    Fernando

    ResponderEliminar
  4. TOUCHE ........... nem mais, está coberto de razão.
    Abraços
    Ramiro

    ResponderEliminar
  5. Acho importante destacar que o facto de podermos escrever,protestar, defender inclusive que se atire um tiro só acontece porque podemos votar ou não votar em Isaltinos,joker,coelhinhos, ruis,josés..Quem defende diferente não precisa de estragar mais um país, apanha um aviao e vai até ao Egipto, Siria, Grecia e aconselho a levar umas cestas dos nossos paralelipipedos que são muito melhores que os deles. è pena os eleitores não votarem como nós gostamos,mas se fizermos mais talvez eles votem diferente como se tem visto até nas ultimas eleiçoes. O mal não é só "deles" é tambem de quem acha que certo é que os outros façam o que nós queremos.

    ResponderEliminar
  6. Quantas vezes terá que ser citada a obra -A Pátria - de Guerra Junqueiro, escrita nos fins do século XIX para que os portugueses verifiquem que continuamos na mesma apesar de tanto tempo passado.
    Será o nosso problema de coragem, genético?!

    ResponderEliminar
  7. Uma maneira de os venceremos é tirar o dinheiro do Bes, alguma desobediência civil com sentido ético (parece um contrasenso mas não é pois a lei tem sido feita por patifes) e sobretudo exigirmos o não pagamento da dívida "odiosa", a saída do euro e da falcatrua da UE. Quem não perceber isto, é porque ainda está sob o efeito da lavagem cerebral dos últimos 20 anos. Com um povo tão pouco educado e narcotizado, concordo com o que foi dito nos comentários, se houvesse uma morte dum político, as consequências eram duvidosas e mínimas, ainda era capaz de se tornar um herói graças aos vendidos e idiotas que são a maioria que trabalha na imprensa institucional o promoverem ou defenderem. O nosso problema é sobretudo cultural e educacional, a maior parte das pessoas mesmo os que tanto gostam de exibir os seus recentes mestrados de pacotilha são incultos, parolos e medíocres de espírito, só pensando no seu umbigo. Em parte são produto destes anos em que se destruiu propositadamente valores, conceitos, ética, etc.

    ResponderEliminar
  8. Para acabar com a corrupção não basta apenas dar um tiro num dos parasitas. Além de que não vão encontra-los no meio da confusão. Esses parasitas estão bem longe das confusões e tem medo delas. Também as forças de segurança estão sempre a par das situações e não expõem os parasitas ao público.

    Mas como estava a dizer não basta dar tiros. Mesmo que se o fizessem outro parasita está imediatamente disponível para substituir. A questão da corrupção em Portugal é Crónica, está no sangue e é GENÉTICO. O PROBLEMA É QUE EM PORTUGAL 90% DA POPULAÇÃO É CORRUPTA E PASSÍVEL DE SER CORROMPIDA.

    E tendo 90% da população corrupta em Portugal não podemos exigir políticos honestos. E quanto mais crise mais vemos que o POVO PORTUGUÊS É CORRUPTO e SERENO. O POVO prefere se vender por meia dúzia de trocos aos corruptos convertendo-se eles próprios e passam a ser os novos corruptos.

    Simplesmente não dá. Um povo individualista e corrupto é difícil de mudar. Será necessário muitas gerações para o povo mudar. Como tal eu não estarei vivo nessa altura, se é que esse dia chegará.

    Tal como em Angola, Moçambique, Brasil, Argentina, Chile e muitos outros países é complicado conseguirem mudar a mentalidade no espaço de pouco tempo. Para acabar com o crime violento no Brasil será necessário muitos anos, gerações para que um dia ele possa acabar. E tal como no Brasil, em Portugal vai ser necessário muitos anos para acabar com a corrupção.

    Caso não perceberam só existe poucos países no mundo onde os níveis de corrupção são moderados. Podem conta-los com a palma da mão. O resto são ilusões, talvez seja por isso que o mundo anda tão mal. E porque existe meia dúzia de países que parecem ser tão bons e outros tão maus.

    Por isso espero que consiga ficar fora de Portugal o maior espaço de tempo possível. Todavia darei o meu contributo para tentar mudar as mentalidades através da Internet e das minhas visitas a Portugal.

    Outra maneira de mudar rapidamente as mentalidades é através da guerra. Mas acho que este caso extremo ninguém está interessado. A sorte de Portugal é que se encontra em numa zona sub tropical e enquanto conseguir se plantar batatas o povo vai aguentado. No norte da Europa plantar batatas não funciona e se o povo por estes lados for submetido a rendimentos baixos arrebenta logo guerra ou então é a morte para todos.

    ResponderEliminar
  9. O simpático e feliz casal (Mário Soares e Maria Barroso), que já deram a volta ao Mundo três vezes, subsidiado pelo generoso povo português, tem duas Fundações.
    Para quê?
    Ora naturalmente para juntarem mais umas migalhas à reforma e à vaidade.
    Dom Mário recebeu do generoso povo português para a sua Fundação através de vários subsídios concedidos pelo ainda mais benemérito governo 1,3 milhões de euros e benefícios fiscais de 269 mil euros e ainda dispõe de dois prédios da Câmara Municipal de Lisboa.
    Claro que também é dono do caro Colégio Moderno mas é uma herança de família.
    (dizem que o colegio estava falido em Abril de 1974. Será verdade?)

    Dona Barroso ou a sua Fundação também tem direito a umas migalhas do bolo.
    Uns parcos 495 mil euros.
    Tem nome em latim: "Pro Dignitate".
    Podia ser "Pró Clã Soares", que também não ficaria mal.
    Estas duas gotas de água, somadas às de outras fundações,retiraram aos bolsos do bom povo português 1034 milhões de euros em três anos.

    Queria saber para onde foi o seu subsídio de férias e Natal e alguns dos seus impostos?
    Agora já sabe!

    ResponderEliminar
  10. Abstenção em dia de eleições! São menos 3 euros para os partidos politicos por cada um que não vai às urnas. Por isso, já se fala no voto obrigatório.Politicos?...
    Olhem esta: Um mágico faz um gesto e desaparece a fome, faz outro gesto e desaparece a injustiça.Um politico faz um gesto e... desaparece o mágico!

    ResponderEliminar