29 março, 2014

A NOSSA MANSIDÃO PROMOVE A CORRUPÇÃO. SEJAMOS EXIGENTES, NÃO MANSOS.


Só mesmo alguém que não teme nem respeita a justiça e o povo, é que responde a um inquérito sobre um crime como o BPN, com piadinhas e gargalhadas. Oliveira e Costa, o destemido...
Medo de quem, já agora? O povo é manso, o resto é só amigos.




Em democracia é assim, nada é dado, tudo é conquistado.

Se não exiges democracia, terás ditadura
Se não exiges verdade, terás mentiras
Se não exiges justiça, terás criminosos
Se não exiges direitos, terás apenas deveres
Se não exiges honestidade, terás corruptos
Se não exiges competência, terás incompetentes
Se não exiges liberdade, terás opressão
Se não exiges frontalidade, terás demagogos
VOTAR É A FORMA DEMOCRÁTICA DE EXIGIR. Votando contra o que não queres exiges e mostras o que queres.
Portugal é como uma empresa. Nós povo, somos o patrão, eles políticos, são os funcionários.
Sê um patrão exigente, atento, critico, justo e isento para que a tua empresa seja bem gerida. Patrões que não punem nem premeiam, desleixados, desligados da empresa e mal informados, vão à falência. Portugal está falido.

"A nossa mansidão
Há dias, um tribunal resolveu notificar o sr. José Oliveira Costa para o julgamento de um novo "caso" do sr. Duarte Lima.
Para grande espanto do tribunal e da generalidade dos portugueses, o sr. Costa tinha desaparecido.
Passaram uns dias. A sra. ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, declarou em público que achava "muito estranha" a dificuldade de encontrar um indivíduo com "uma pulseira electrónica" no tornozelo (ou no pulso).
A sra. ministra ignorava que o sr. Costa já não usava qualquer "pulseira", que só estava sujeito à mais branda das "medidas de coacção" (o "termo de identidade e residência"), que se podia livremente ausentar durante cinco dias, quando bem quisesse e lhe apetecesse e, pior ainda, que pedira um passaporte ao SEF, que também não percebeu nada da trapalhada em curso.
O sr. Costa acusado da fantástica fraude do Banco Português de Negócios é hoje a única personagem dessa santa façanha, de que a lei, a televisão e os jornais se continuam a ocupar.
Ao princípio, uma dúzia de notabilidades pareciam implicadas no assunto.
Mas, depois, pouco a pouco, acabaram por se esquecer e conseguiram voltar ao doce conforto do anonimato, com o nosso dinheiro.

De qualquer maneira, custa a acreditar que o sr. Costa fizesse pessoalmente e sob sua única responsabilidade afundar o BPN e roubar a quantidade de contribuintes que o banco roubou.
Com certeza que o ajudou um considerável número de colegas, com influência financeira e política.
E, no entanto, ninguém abre a boca sobre esses beneméritos, que já foram semi-reabilitados e aparecem, como quem não quer a coisa, nos restaurantes de Lisboa e até na sede de um partido.
O Estado tem hoje 12.000 processos contra os devedores do BPN e anda em negociações (suponho que amigáveis) com mais 6000.
No meio disto, o sr. Costa é um colaborador ou simplesmente um bode expiatório, destinado a proteger os seus cúmplices e a esgravatar por aqui e por ali uns tostões para o governo?
Mas, mais grave do que tudo o resto, porque misteriosa razão, cinco anos depois do "escândalo BPN", os tribunais não o puseram ainda no banco dos réus, com o bando de cúmplices que o serviu?
Por medo de revelações que não convêm ao regime ou parte dele?

Por dificuldades jurídicas?
Por mero excesso de papelada?
Nós somos de facto um povo muito manso."  Vasco Pulido Valente, Público

Ás vezes pergunto-me como é possível que em Portugal, haja pessoas a votar em criminosos? 
Como é que há pessoas a votar em candidatos que já estiveram presos? Que estão presos? Que são suspeitos? Que estão em julgamento?
Caramba algo está mesmo muito mal em Portugal... Ou sou eu que sou demasiado exigente?
Marthin Luther King, dizia "O que mais me preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons”
Torna-se assustador quando todos os dias percebemos que há pessoas que escondem o seu desprezo pelo PS porque têm amigos do PS. Há pessoas que escondem o seu desprezo pelo PSD, porque têm vergonha dos amigos do PSD??? É o silêncio dos bons...
Este país está mesmo virado do avesso... O silêncio dos bons, torna-se ensurdecedor. 
Quem tem que ter vergonha não são os bons? Não são os que sentem desprezo pelos partidos que nos roubaram e enganaram, que têm que se calar? Quem tem que ter vergonha e parar de fazer ruído, é quem ainda defende esses partidos.
E por isso é urgente que os bons ergam a voz e silenciem os maus. Não critiquem apenas os políticos corruptos, mas também aqueles que todos os dias os promovem. Não critiquem apenas, é urgente agir, votando contra o que se critica, pois democraticamente essa é a única voz que os candidatos ouvem - O VOTO.
Suponhamos...
Tu e restantes pais de uma turma de crianças, tinham que eleger 1 entre 3 professores para o teu filho. Tu sabias que um desses professores é pedófilo, no entanto a maioria ignora que ele é pedófilo e há 5 pais que são a favor da pedofilia, e portanto ganha o pedófilo.
Tu calas-te? Tu respeitas a vontade dos maus e dos ignorantes? Tu deixas os inocentes serem vitimas do teu silêncio?
Está na hora de os bons agirem. Há milhões de inocentes a sofrer nas mãos dos maus e dos ignorantes, e o teu silêncio é cúmplice. Vota contra, age.

MARINHO PINTO EXPLICA O RESULTADO DO SILÊNCIO DOS BONS

Pagamos guardas para os proteger de nós, mas não há guardas para nos protegerem deles?

3 comentários :

  1. ---Este povo precisa de lutar por causas---
    Cara Zita, excelente. Não podemos estar sempre a por culpa nos mesmos, quando nós também temos culpa. A frase de Luther King é correcta e já a tenho usado. Este povo é muito comodista e individualista, se houver futebol, circo e algum dinheiro, já está tudo bem! Nós não somos o país dos 3 F's !!! Há um grupo importante a incluir no "silencio dos bons", a imprensa, são mais lobos disfarçados de cordeiros, cujo principal objetivo é anestesiar o povo e abafar os podres.

    ResponderEliminar
  2. Bem dito e apontado. O que precisamos é de um programa e pessoas crediveis empenhadas e com prioridade na eficiencia e espirito tenaz para obter resultados que os eleitores estão sem duvida perplexos e pouco contentes; mas quem aparece a apontar caminhos alem dos candidatos a ditadorezinhos que se acham no direito de decidir o que os cidadãos devem escolher? Ou os protestantes militantes que acham que basta andar en fantuchadas na rua ou greves muitas politicamente criminosas para que as consciencias de lutadores pela liberdade se concretize, não percebendo que ao prejudicarem a vida colectiva somos só nós a pagar as favas, pois os poderosos estão bem defendidos por regras e leis por deputados que eles promoveram.Mais exigencia cidadãos tanto na informação que mamam como nos passos certospara corrermos com os privilegios que os politicos se foram autopromovendo em 40 anos de "democracia".Votem nem que seja no gato mas tirem o tapete aos canalhas que não largam o tacho publico.Se se abstiverem estão a promove-los na mesma pois a percentagem é que vai contar e ao absteremo-nos aumentamos a percentagem; só votando noutros lhes descemos a percentagem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. NEM MAIS AFIRMAR QUE NÃO VOTA PORQUE A DEMOCRACIA ESTÁ DOENTE É O MESMO QUE UM DOENTE DIZER QUE SÓ VAI AO MÉDICO DEPOIS DE A DOENÇA SE CURAR::::
      A LUTA COM SANGUE E REVOLTA SÃO DESNECESSÁRIAS nas democracias modernas e com eleitores activos E CÍVICOS. O VOTO está nas nossas mãos, votemos contra a corrupção, o voto não serve apenas para votar a favor de politicas mas também para votar contra, mesmo que não possua um partido que queira escolher, votemos contra os que não quer que sejam escolhidos. Basta de nulos brancos e abstenção, usem o voto para salvar o país da corrupção. NÃO DESPERDICEM MAIS VOTOS, usem o voto para punir os piores nas urnas, basta de impunidade

      Eliminar