04 março, 2014

NOVO BURACO NO BPN, FICA PARA O ESTADO PAGAR? NÃO TEM FIM?

O Estado / Zé povinho está condenando, pela (in)justiça, a pagar prejuízos financeiros que resultem de acções contra o BPN. E desta feita, saíram mais 4,5 milhões do bolso dos portugueses.
Isto é um saque sem fim à vista.
Como vem sendo hábito, os defensores do estado e dos portugueses, adoram assumir prejuízos alheios. Sentem prazer em lesar os inocentes e proteger os criminosos. Adoram negociar contratos onde os portugueses ficam com os prejuízos e as partes más, e os criminosos ficam com o lucro e as partes boas.
Desta vez, o estado, que já não nos surpreende, assumiu todas as desgraças que apareçam, em nome da divindade do BPN, os pseudo defensores do estado português, certificaram-se de que os interesses do BPN, dos seus novos e velhos donos, ficassem bem protegidos, em prejuízo dos interesses dos portugueses, que continuam a ser arrastados pela lama, e, sem ninguém que os defenda, são chamados a pagar tudo que os corruptos precisem.

OS BURACOS MAIS RECENTES DO BPN... 
O Supremo Tribunal condenou o BPN a pagar indemnização ao dono dos cafés Delta, mas é o Estado quem paga os 4,2 milhões. No âmbito da privatização do BPN, o Estado ficou com a responsabilidade de assumir os prejuízos financeiros que resultem de ações contra o BPN". O jornal indica ainda que o valor corresponde a 3,5 milhões de euros de indemnização, acrescidos de juros remuneratórios devido desde 1 de janeiro de 2008. fonte
Mas como não bastava os 3,5 milhões, ainda atrasam o processo, para a conta passar a ser de 4,2?
É sempre a esbanjar, 6 anos de atraso custam mais 700 mil euros... o que vale é que somos um povo rico e podemos pagar a injustiça e os atrasos da injustiça.

Mas há mais... quem negociou estas condições brilhantes foi a nossa querida Maria Luís Albuquerque, quando servia o governo Sócrates.
Mais uma vez a exemplar Ministra das Finanças a negociar contra os portugueses e a proteger os larápios?

BIC exige 100 milhões de euros ao Estado por causa do BPN
O Estado já deve ao BIC mais do dobro do que recebeu. Exige a Portugal cerca de 100 milhões de euros de reembolsos relacionados com o acordo de privatização do BPN celebrado com a atual ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque.
A compra do BPN custou 40 milhões de euros ao BIC e vai ficar cara ao Estado português tudo porque este se comprometeu a restituir ao grupo luso-angolano todas as verbas que pagar no contexto de processos judiciais. 
E... Mais um que se demitiu por tentar defender o interesse nacional 
- Lourenço Soares demitiu-se, por discordar completamente deste contrato que considerou ruinoso para os interesses do estado. fonte

Mais uma vez Tribunal decide contra o estado, condenado a pagar 24 milhões em caso BPN.
Os buracos do BPN não param de aparecer. Um milionário que alegou ser "ingénuo" por só ter a 4ª classe e 100 milhões no banco, comoveu a juíza que acreditou que ele foi enganado pelo BPN e condenou os portugueses a pagar-lhe 24 milhões de euros.
Nós portugueses é que temos a culpa de o ingénuo milionário, ter assinado o destino dos seus milhões, de "olhos fechados"?
O video que explicava a ingenuidade do milionário, foi apagado da internet, escapou este que apresento em baixo, porque eu o gravei para o meu canal. Fonte




Descoberto novo buraco que pode custar 14 milhões aos portugueses
"A venda de um terreno do Grupo BPN/SLN na Herdade do Almada, no concelho de Benavente, terá gerado o pagamento de eventuais comissões ilegais a terceiros no valor de quatro milhões de euros. O negócio foi efetuado através da venda da Imopinhão, imobiliária detida pela offshore Noverton Limited, ao empresário António Leal da Silva, e o dinheiro passou por uma conta dessa offshore em Gibraltar. Como a operação foi financiada pelo BPN, o Estado, através da Parvalorem, corre o risco de perder mais de 14,4 milhões de euros", (jan/2014) CM video

E continuam a entrar no bolso dos portugueses, buracos do BPN. Mais uma recente descoberta.
BPN e generais angolanos deixam dívida de 10 milhões ao Estado português.
Desde os tempos de Oliveira e Costa que a Galilei (ex-SLN) investe no imobiliário em Angola, associada a figuras do regime. Estes investimentos foram financiados pelo BPN através de offshores que ficaram até hoje no grupo Galilei. Mais de 10 milhões de euros de dívidas incobráveis passaram para o Estado. Entretanto, já limpo de ativos tóxicos (das dividas), o BPN ficou para o luso-angolano BIC. fonte (ARTIGO COMPLETO SOBRE O BPN)

QUEM DEVE DINHEIRO AOS PORTUGUESES E NÃO PAGA? 




ALGUNS VIDEOS SOBRE O SAQUE BPN, O BANCO DE PORTUGAL E A FARSA



5 comentários :

  1. Atrás de cada buraco, novo buraco virá. Como saímos disto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "La Belle Guilhó" Enquanto continuarmos a comportarmos como GADO MANSO, que entrega a "justiça" na mão de SALAFRÁRIOS, não podemos esperar nada de diferente!

      Claro que não será nem agora, nem num futuro próximo! A MANADA TUGA é na maioria estúpida e bem recheada de salafrários... Pelo que é deixar andar até desmoronar...

      Eliminar
  2. Este tipo de posts é para ir ao encontro daquilo que o povo inculto gosta, dinheiro e diversão. Parem para pensar, quanto vai isto custar a mim? Cerca de 1€ . Vejam a minha preocupação com 1 € !!! Eu preocupo-me é com aquilo que é abafado/censurado pela imprensa e onde pessoas podem ser gravemente prejudicadas, mas isso não querem ver! Este é o país da diversão, pão e circo como na época dos Romanos, acordem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mais um que pertence à MANADA DOS ESTÚPIDOS!

      Não gostas do que lês aqui, vai pastar para o pasto do teu querido partido... E continua a votar em salafrários, já que está visto que és um.

      Eliminar
  3. Marinho Pinto explica bem porque não há corrupção e eu acrescento: só é crime o que estiver definido na lei como tal; de contrário, não é crime e não pode haver punição.

    Exemplificando, houve tempo em que estava escrito na lei que a prática de aborto era um crime, mas hoje a redação é outra e já não o é se for praticado até às 12 semanas de gestação. Mas há casos ao contrário, de práticas que não eram consideradas crime e que agora o são, portanto tudo depende do que constar na lei, a qual depende de quem as faz e do seu objetivo, que por vezes não é evidente para o comum dos mortais.

    É normal que qualquer pessoa ao se sentir injustiçada apele para os Tribunais a fim de que lhe seja feita justiça, porém deveria lembrar-se primeiro de que os Tribunais não existem para fazer justiça mas para aplicar e fazer aplicar as leis. As leis é que devem ser justas, e, se o forem, poderá ser feita justiça, de contrário, as leis poderão ser aplicadas e a justiça não ser feita. Por vezes acontece!

    (As leis variam conforme o local e o tempo e a vontade,)

    ResponderEliminar