16 maio, 2012

Estamos a pagar uma divida ilícita, que podemos recusar.

Tudo indica que a única forma de acabar com o estado de agonia de Portugal, terá de passar por depor este governo, e eleger um que se comprometa a defender os interesses de Portugal, negociar com a TROIKA condições que realmente permitam ao país recuperar, levantar-se das cinzas e pagar com dignidade as dividas dos banqueiros criminosos de Portugal...
A situação actual de austeridade, segundo a experiência de um politólogo especialista na matéria, irá arrastar-se por 15 ou 20 anos, sem que o país tenha a capacidade de inverter a espiral de miséria em que se afunda e que com o tempo tende a piorar. 
A austeridade gera austeridade...  ESTAMOS A PAGAR UMA DIVIDA ILEGÍTIMA,  LEIAM .. INFORMEM-SE 

Em baixo, transcrevo, alguns extractos da entrevista de Éric Toussaint. 

O politólogo belga esteve recentemente em Lisboa para ajudar a lançar a Iniciativa por uma Auditoria Cidadã à Dívida Pública. Experiência não lhe falta.
É presidente do Comité para Anulação da Dívida do Terceiro Mundo e fez parte da equipa que realizou,  a auditoria sobre a origem e destino da dívida pública do Equador, ao serviço do novo Governo de esquerda do país, num processo que levou ao julgamento de vários responsáveis políticos e à decisão unilateral de não pagar parte da dívida equatorianaAcredita que o mesmo pode acontecer na Europa. Mas isso implica romper com as exigências da troika.
1º - Acha que a crise da dívida está próxima do fim?
Esta é uma crise que vai durar 10 ou 15 anos, porque o problema fundamental não é a dívida pública, mas sim os bancos europeus. E não estou a falar dos pequenos bancos portugueses ou gregos. O problema é que os grandes bancos – Deutsche Bank, BNP Paribas, Credit Agricole, Société Generale, Commerzbank, Intesa Sanpaolo, Santander, BBVA – estão à beira do precipício. Isso é muito pouco visível no discurso oficial. Só se fala da crise soberana, quando o problema é a crise privada dos bancos.

2º - Há, contudo, uma crise da dívida, que obrigou a Grécia, Portugal e a Irlanda a pedir ajuda. Como é que avalia a resposta que foi dada para estes países com os planos da troika?
Esses planos vão piorar a situação desses países, isso é absolutamente claro. A redução maciça das despesas públicas e do poder de compra da maioria da população vai diminuir a procura e as receitas fiscais e provocar ainda mais necessidade de o país se endividar para pagar a dívida. Tanto a política da troika na Grécia, Irlanda e Portugal, como a política da Comissão Europeia e dos países do Centro, como a Alemanha e a França, vai provocar mais recessão. A própria Alemanha vai ter problemas, porque precisa de ter quem compre os seus produtos.

3º - Que solução seria essa?
Sei que esta ideia está fora do debate público, mas, para mim, se um país quiser sair desta crise, tem de romper com a troika. Tem de dizer: senhores, as condições que nos impõem são injustas e não nos servem a nível económico.

4º - Mas se Portugal ou outro país disser isso, não terá de sair da zona euro?
Não acho que seja automático, mas é claro que é complicado. A Alemanha beneficia com o euro, pelas suas exportações e inclusive pelos empréstimos a Portugal. Quando vai financiar-se ao mercado, a Alemanha paga 1%, mas empresta a Portugal a 5%. Não é generosidade, é um bom negócio para a Alemanha. O que Portugal precisa é de uma política soberana em que o Estado declarasse não querer sair da zona euro, mas dissesse que as condições impostas pela troika são inaceitáveis para os cidadãos e para o interesse do país. Caso contrário, a troika só fará mais exigências, que não permitirão ao país sair da situação em que se encontra. Se Portugal disser não à troika, esta seria obrigada a sentar-se à mesa e renegociar a dívida e as condições que impõe. E não me parece que a troika queira a saída de um país do euro.

5º - Como se insere neste processo a auditoria à dívida pública?
(...) uma dívida ilegítima, ilegal ou imoral é uma dívida nula. E há toda uma vasta história de anulação e suspensão dessa dívida.

6º - O que é uma dívida ilegítima?
Uma dívida ilegítima é, por exemplo, uma dívida contraída porque o Estado favoreceu uma pequena minoria, reduzindo impostos sobre as grandes empresas multinacionais ou as famílias mais ricas, que assim diminuíram a sua contribuição para as receitas fiscais, obrigando o Estado a endividar-se. Esta contra-reforma fiscal aconteceu em toda a Europa e também nos EUA.
Os resgates aos bancos são outro exemplo. O custo de ajudar os banqueiros, que foram totalmente aventureiros, desviando os depósitos dos seus clientes para investir no subprime, implicou um aumento da dívida soberana, que é totalmente ilegítimo. Não podiam ter sido resgatados dessa forma, os grandes accionistas não deviam ter sido indemnizados.

7º - A dívida à troika também é ilegítima?
 Sim. Foi uma dívida contraída para impor um desrespeito aos direitos económicos e sociais da população. Há uma chantagem da troika, que dá crédito para pagar aos credores, que são eles próprios e os bancos dos países do Centro europeu, e, em contrapartida, exige austeridade. Não há dúvida: é uma dívida ilegítima.
8º - Organizou uma auditoria à dívida do Equador... O que Portugal poderia retirar desse exemplo?
É uma situação diferente. No Equador, o novo presidente tinha sido eleito com o mandato de fazer uma auditoria da dívida pública, de modo a definir que parte era ilegítima e não seria paga.

9º - Vê possibilidade de isso acontecer na Europa?
Com uma mudança de Governo, sim. Não pode ser um Governo que defende os acordos com a troika a fazer uma auditoria à dívida. O descontentamento das populações pode abrir caminho a isso, mas não sei quando é que uma mudança desse tipo pode ocorrer na Europa. Os latino-americanos viveram 15 a 20 anos de neoliberalismo e de aceitação do pagamento da dívida soberana. Espero que não demoremos 20 anos na Europa.Artigo completo

Que soluções?

1.  Com ou sem a operação de reestruturação, a dívida não é pagável na sua atual dimensão, como se observa nas parcelas do PIB a comprometer com o serviço de dívida para os próximos anos.

2.  Uma economia capaz de melhorar a vida da população e absorver a procura de trabalho tem de ter um crescimento razoável, superior a 3%;

3.  Mesmo que se consiga um crescimento dessa ordem, num prazo que, na atual situação económica e política não é previsível, esse acréscimo estará sempre longe de poder fazer face ao serviço de dívida;

4.   Dito de outro modo, um crescimento que permita simultaneamente pagar o serviço de dívida e melhorar a vida da população, atrair os que emigraram, reduzir o desemprego e conter o empobrecimento galopante a que se assiste, esse crescimento teria de ser variar, no período considerado entre 10 e 14% o que é inimaginável;

5.  Falar de reestruturação é uma burla política para ocultação da realidade por parte do governo e devido a cálculos políticos de uma oposição falsa, mansa, ou inútil, todos à margem da população;

6.  Qualquer real solução para a precária situação global em que vive a esmagadora maioria dos residentes em Portugal passa por:
  • Suspensão imediata do pagamento da dívida pública por motivos de força maior
  • Avaliação da parcela da dívida a declarar como nula por não ter sido aplicada no bem estar das pessoas e eventual reescalonamento de algumas das suas parcelas legítimas;
  • Criação de um regime político democrático, com um outro modelo de representação, em que as pessoas possam decidir a todo o momento e não vejam os seus direitos usurpados por uma classe política;
  • Apuramento das responsabilidades criminais e financeiras dos decisores políticos dos últimos governos. fonte
A divida não é nossa, é da corrupção, exijam a factura detalhada da divida, assinem esta petição, para termos uma auditoria ás contas públicas, efectuada por auditores estrangeiros especializados na matéria, e assim ficaremos a saber quanto nos roubaram, e decidiremos o que não pagamos. Já basta de ser enganado e roubado, e ainda temos que pagar as dividas dos larápios? ARTIGO COMPLETO



17 comentários :

  1. O único comentário que se pode colocar, é fazer uma simples pergunta: Quem é que acredita em governos capazes de salvar o que já está morto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez haja esperança, se conseguíssemos parar este suicídio a tempo.

      Eliminar
    2. Nada está morto. Impõe-se uma mudança de paradigma que tem de ser feto por TODOS. Nada será entregue de bandeja e somos nós MULTIDÃO que temos de mudar os nossos hábitos e maneira de pensar a começar pelo consumismo e pela ideia de que em economia tem de haver lucro: pois não tem! O que tem é de haver satisfação de necessidades.O problema é bem mais fundo do que uma simples e corriqueira filosofia política. O problema que temos pela frente atingiu o planeta Terra, os recursos, os alimentos, a água, o ar. Mas o planeta regenera-se. Leva tempo mas regenera-se! Somos nós primeiramente que temos de mudar interiormente, mudar de paradigma passa por mudar-nos a nós, passar a pensar em termos colectivos em vez de individuais; perceber duma vez por todas que os recursos são limitados; perceber que não necessitamos da maior parte das merdas com que nos preocupamos em obter. A vida não é uma capa de revista para dondocas: a vida é luta, sangue, suor e lágrimas e esta é uma revolução que começa de dentro para fora.

      Eliminar
    3. A intenção deste blog é isso mesmo, criar uma necessidade de mudar de dentro para fora. Mostrar aos portugueses que se devem ofender e indignar, pois só assim se pode dar inicio a mudanças. Divulgo de forma concisa e reúno os crimes mais ofensivos que tem sido perpetuados pelos governos.

      Eliminar
    4. Que soluções?

      1. Com ou sem a operação de reestruturação, a dívida não é pagável na sua atual dimensão, como se observa nas parcelas do PIB a comprometer com o serviço de dívida para os próximos anos.

      2. Uma economia capaz de melhorar a vida da população e absorver a procura de trabalho tem de ter um crescimento razoável, superior a 3%;

      3. Mesmo que se consiga um crescimento dessa ordem, num prazo que, na atual situação económica e política não é previsível, esse acréscimo estará sempre longe de poder fazer face ao serviço de dívida;

      4. Dito de outro modo, um crescimento que permita simultaneamente pagar o serviço de dívida e melhorar a vida da população, atrair os que emigraram, reduzir o desemprego e conter o empobrecimento galopante a que se assiste, esse crescimento teria de ser variar, no período considerado entre 10 e 14% o que é inimaginável;

      5. Falar de reestruturação é uma burla política para ocultação da realidade por parte do governo e devido a cálculos políticos de uma oposição falsa, mansa, ou inútil, todos à margem da população;

      6. Qualquer real solução para a precária situação global em que vive a esmagadora maioria dos residentes em Portugal passa por:
      Suspensão imediata do pagamento da dívida pública por motivos de força maior
      Avaliação da parcela da dívida a declarar como nula por não ter sido aplicada no bem estar das pessoas e eventual reescalonamento de algumas das suas parcelas legítimas;
      Criação de um regime político democrático, com um outro modelo de representação, em que as pessoas possam decidir a todo o momento e não vejam os seus direitos usurpados por uma classe política;
      Apuramento das responsabilidades criminais e financeiras dos decisores políticos dos últimos governos. fonte
      A divida não é nossa, é da corrupção, exijam a factura detalhada da divida, assinem esta petição, para termos uma auditoria ás contas públicas, efectuada por auditores estrangeiros especializados na matéria, e assim ficaremos a saber quanto nos roubaram, e decidiremos o que não pagamos. Já basta de ser enganado e roubado, e ainda temos que pagar as dividas dos larápios?


      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/#ixzz2mdBkXYB4

      Eliminar
    5. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
      A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
      Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
      Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
      A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
      MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

      Eliminar
    6. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
      A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
      Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
      Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
      A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
      MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

      Eliminar
  2. De onde saíria um governo capaz de romper com a tradição abrilesca?
    Dos partidos?!
    Demitir este e eleger um Louçã ou um Jerónimo?
    Ou voltar a eleger a maralha que nos deixou na bancarrota?
    A Zita continua a ter fé nos trapaceiros e no regime podre.Ainda bem,será mais feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem precisa de governo? Votar para quê? para escolher o próximo fdp que nos vai continuar a roubar como todos os antecedentes? Há que mudar o sistema económico, o governo é supérfluo. Não passam de palhaços a fazer vénias aos capitalistas e banqueiros.

      Eliminar
    2. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
      A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
      Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
      Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
      A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
      MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

      Eliminar
    3. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
      A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
      Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
      Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
      A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
      MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

      Eliminar
  3. Parabéns, Zita!

    Estamos em sintonia de pensamento:
    1 - A Democracia é o menos mau dos regimes.
    2 - Nesta fase, encontra-se muito permeável à corrupção.
    3 - É necessário encontrar métodos de controlo deste mal.

    Podemos não ter a solução perfeita, mas sentimos que existe um travão a esta inqualificável avidez. Chama-se POLÍGRAFO.

    Não é por acaso que a CIA e o FBI o utilizam com os seus funcionários e, a Justiça americana considera os seus resultados para situações comuns.

    Não é remédio absoluto; não é infalível; não é único.
    Mas é barato, eficiente e imediato.

    A forma de o aplicar até pode ser fácil.
    Como só é político quem quer, todos nós temos de exigir que se insira na constituição a obrigatoriedade para ser eleito ou nomeado para qualquer cargo do estado a resposta, anual, perante o polígrafo a 3 questões, sendo uma delas: "Encontra-se ligado conscientemente, sob qualquer forma, a actividades que considere de corrupção prejudicando o povo português?"

    Sobre a gestão do polígrafo, não cabe aqui falar, o espaço é curto...

    Gostaria que ele não fosse necessário...
    Mas os factos bem demonstram o contrário.

    ResponderEliminar
  4. "1 - A Democracia é o menos mau dos regimes"

    -Democracia não é um absoluto,logo não é um exclusivo de um regime.Existe em maior ou menor proporção em todos os regimes.
    Os sicários deste,por razões de autojustificação,chamam-lhe democracia.Trata-se de um regime parlamentar pluripartidário.

    "2 - Nesta fase, encontra-se muito permeável à corrupção"

    -Qual é a fase? E qual a fase seguinte?


    "Podemos não ter a solução perfeita, mas sentimos que existe um travão a esta inqualificável avidez. Chama-se POLÍGRAFO"

    -Não substime os políticos.Qualquer político de meia tijela engana um polígrafo...e na saída ainda leva a carteira do operador da geringonça!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LOL :) profissionais da mentira e da manipulação... do crime

      Eliminar
  5. Meu caro Anónimo:

    Gostámos dessa...! Tem piada e é actual...!

    Como seria bom se nem de pensar em controlar esta canalhada tivéssemos...

    Mas precisamos de encontrar uma porta de saída, minimamente eficaz, para que o futuro possa ser, previsivelmente, melhor...

    ResponderEliminar
  6. Boas
    O polígrafo com estes políticos de cara-de-pau era uma inutilidade!
    Agora uma pergunta daquelas que eu considero chatas para o Governo que tem controlada a comunicação social:porque é que o Governo não informa os seus cidadãos que o que estamos a fazer é financiar a dívida gigantesca alemã que é muito superior à soma de todos resgates dos PIG´S?De que a Alemanha se está a financiar no BCE com um juro de 1% negativo?(novidade dada pelo Gente do meu banco na 6ª feira passada)!!--Que a Alemanha pede 100 e paga 99?Temos que deixar a COBARDIA de lado e activar a nossa RASQUICE CONGÉNITA»(Fonte:Medina Carreira)»--do Mondego para cima ja há muita gente que se desloca nos seus carros a Diesel com gasóleo agrícola,na sua vida profissional ou particular.Alguma vez,os agentes da autoridade pediram a algum de nós para tirar uma amostra do nosso combustível para verificação?NUNCA!!!!!Mesmo sabendo que é colorido e que contem uranio empobrecido que se "fixa" nas paredes dos depositos de combustível e que é possivel identificar,até 2 anos depois,que lá "entrou"gasoleo agrícola,nem que fosse por uma única vez?(Fonte:AJAP)(esta foi uma graçola do partido de A J Seguro,durante o Governo do "Socas"!!).Já perguntei do Sul do Mondego ao Algarve,a várias pessoas e ninguem se arrisca!!COBARDES!!(O cheiro é o mesmo do gasóleo convencional)
    Espanha NÃO vai pagar a sua dívida soberana o que já foi reiterado pelo Governo Espanhol(Fonte:LIBERTAD DIGITAL),mas espanhóis têm "sangue na guelra" e que circula em quantidade pelas veias,enquanto que nós,portugueses,temos CAPILÉ nas veias (pelo menos é o que se tem provado até agora!!).
    Os governos sucessivos têm-nos tratado de burro pra baixo;não tem sido em favor da equidadade,mas sim em favor da "EQUINIDADE" que ja temos força para abanar as orelhas,para afastar as moscas ou a energia dum coice!!Que Povo tão "bonzinho e individualista"que somos (tambem é o que se tem provado... até agora!).Daqui prá frente ainda está por ver...!!Se não começamos a acordar...pode ser que mais tarde já seja tarde demais!!
    Andam aí a cobrar,a torto e a direito,o selo do carro desde o ano passado:eu recalcitrei nas Finanças e não paguei fosse o que fosse porque "verificaram" que,afinal,ja estava "pago a tempo e horas" e este ano já nem me mandaram nenhuma carta a pedir,de novo,o dito pagamento--isto é mais um esbulho deste Governo."Burrinhos,burrinhos...continuem a pagar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!.

    ResponderEliminar
  7. BASTAVA O POVO SABER COMO SE VOTA CONTRA OS PARTIDOS CORRUPTOS E PORTUGAL SERIA LIMPO DA CORRUPÇÃO. VOTEM EM PARTIDOS SEM ASSENTO PARLAMENTAR SÓ ISSO TEM VALOR E PUNE OS PARTIDOS CORRUPTOS. Nos paises menos corruptos do mundo a democracia funciona porque as pessoas sabem votar e usam o voto, 90% votam... aqui só temos eleitores ignorantes por isso quem não funciona são os eleitores e não a democracia.
    A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
    Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
    Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão mentirem para agradar. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam. Vocês não exercem o vosso dever de votar contra quem faz mal ao país. O vosso de dever e direito de punir os que lesam o país nas urnas.
    A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote.. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas, julgar e punir os partidos que há 40 anos destroem o teu país, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem contra os que mentiram, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.
    MAIS ARTIGOS SOBRE CIDADANIA E EDUCAÇÃO CIVICA, NESTE LINK, APRENDA A VIVER EM DEMOCRACIA SE QUER QUE ELA FUNCIONE::.. INFORME-SE VEJA ESTE LINK http://apodrecetuga.blogspot.pt/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#.WM_ogfmLTIU

    ResponderEliminar