14 junho, 2014

As novas barragens não vão produzir energia, mas vão custar 16 mil milhões aos contribuintes?

É preciso reconhecer que se não fossem os ódios de estimação de Mira Amaral o desastre das políticas energéticas do Sócrates e do governo actual, seria ainda menos conhecido do que é. Fui repescar, uma vez mais, um dos seus artigos vitriólicos de onde respigo alguns trechos esclarecedores para a compreensão da formação dos preços da electricidade e da génese do infame défice tarifário que segundo algumas estimativas poderá atingir 8 mil milhões em 2020 ou 1.400 euros em média por alojamento. 
Henrique Neto afirmou que Eduardo Catroga foi integrado na EDP porque ele era um dos maiores opositores das rendas excessivas da EDP. Este é um dos esquemas usados pelas grandes empresas para calar alguns, pois assim Catroga calou-se com o chorudo salário de 45 mil euros/mês...
Desconheço se são estas também as motivações de Mira Amaral, falar até que o calem por bom preço, entretanto devemos aproveitar a informação que ele revela, nesta guerra das quais desconhecemos a causa. Este video, serve para que todos saibamos porque a EDP continua a albergar ex políticos, continua a ter lucros estonteantes e continua a desobedecer à troika, ao governo e ao interesse nacional.




Mira Amaral... «As eólicas e a biomassa», 
«Sempre que escrevo sobre energia, o lóbi eólico, a EDP e ajudantes multiplicam-se imediatamente em artigos e entrevistas! Agora disseram que o preço das eólicas era €70/Mwh, mas a ERSE diz-nos que era em 2013 de €102/Mwh! Também escamoteiam sempre a intermitência do vento que leva a que as novas centrais tenham que ter sempre duas muletas, a bombagem de noite e as térmicas de reserva de dia. Obviamente que tais muletas têm de ser imputadas às eólicas e por isso temos que somar ao seu preço nominal os €62/Mwh calculados no IST pelo prof. Clemente Nunes e chegamos aos €164/Mwh!

As novas barragens não vão produzir energia, vão apenas servir de muleta às eólicas para acumular o excesso de produção da noite! E a CIP veio agora chamar a atenção para os investimentos de 150 milhões de euros, pagos por nós, que têm que ser feitos na rede de transporte para a ligação de tais barragens à rede! Segundo a ERSE, em 2013, Portugal consumiu a mesma eletricidade que em 2006, enquanto que nesse ano os famosos Custos de Interesse Económico Geral (CIEG) eram apenas de 500 milhões de euros e em 2013 foram de 2500 milhões de euros! Eis o monstro elétrico em todo o seu esplendor! Contra factos não há argumentos!
Também recentemente Mexia, para desviar as atenções sobre o alto preço da eletricidade, veio dizer que o mais importante não é o preço mas sim a segurança de abastecimento, problema que não se põe em Portugal pois temos excesso de capacidade instalada e temos excelentes interligações com Espanha. Portugal é o campeão mundial da potência eólica instalada por unidade do PIB e o terceiro em termos de eólica por habitante!»
Mira Amaral no Expresso



MIRA AMARAL, crítica as competências do CEO da EDP dizendo que "julgava que ele sabia alguma coisa da análise económica e financeira das empresas", mas depois das críticas a Henrique Gomes, "acho que o homem também não sabe nada de análise económica e financeira". 
Durante o programa "Negócios da Semana", da SIC Notícias, o ex-ministro defendeu que "António Mexia era o verdadeiro ministro da Energia do Governo Sócrates". Tendo mesmo apontado que quem mandava nas políticas do sector energético era o CEO da EDP e não "o ministro Manuel Pinho", que foi durante 2005 e 2009 ministro da Economia e da Inovação.
Mas se com Sócrates Mexia era o homem-forte do sector energético em Portugal, com Passos a questão não sofreu qualquer alteração.
RENDAS EXCESSIVAS: EDP SAI ILESA DO CORTE, ANTÓNIO MEXIA É O VERDADEIRO MINISTRO DA ENERGIA. ARTIGO COMPLETO:
A VERDADE SOBRE A DEMISSÃO DO MINISTRO DA ECONOMIA E DO SEC DE ESTADO DA ENERGIA. 

O loby da EDP e as artimanhas nos governos


O poder da EDP consegue demitir ministros e sec de estado?


A verdade sobre o escândalo das barragens. 



Os chefes intocáveis da EDP

1 comentário :

  1. enquanto o paradigama da FUSÃO A FRIO (água) fica na gaveta
    A fusão a frio está a ser reclamada por italia EUA Canada japão russia, por ser a energia totalmente gratuita limpa que melhor se conhece
    mas o FMI e o Vaticano quer-nos na plantação como escravos, em guerra uns com os outros por causa do paradigama da FUSÃO A QUENTE ou petroleo.

    ResponderEliminar