04 julho, 2014

Amor com amor se paga. Os boys laranja.

No dia 2 de maio, o júri da comissão de recrutamento e selecção para a administração pública, (CRESAP) de que fazia parte o engenheiro ambiental Nuno Banza, escolheu 3 nomes para presidente da agência portuguesa do ambiente, entre eles o de Nuno Lacasta (que acabou mesmo por ser o eleito). Três dias antes o júri da CRESAP, de que fazia parte Nuno Lacasta, escolhera Nuno Banza para a short-list de inspector geral do ambiente (Cargo que também já assumiu). A CRESAP, a quem o "JN" pediu explicações, diz que é "normal".
Gente vai mais longe: Trata-se de uma mera coincidência, ou mesmo de várias. Afinal ambos estavam sentados ao lado do todo poderoso presidente da CRESAP, João Bilhim, ambos se chamam Nuno, ambos foram nomeados pelo Governo e não escondem a simpatia laranja.
Semanário Expresso. Secção: Gente.  (20/6/2014)

"A ministra da Agricultura, Assunção Cristas, nomeou dois ex-colegas da faculdade para altos cargos no Ministério que tutela. Segundo o semanário Expresso, um dos nomeados vai para a inspecção geral da agricultura, mar, ambiente e ordenamento do território.
Quanto ao outro ex-colega, que era também assessor jurídico da ministra, fica com a vice-presidência da agência portuguesa do ambiente, mais precisamente com a tutela da autoridade nacional da água.
Num esclarecimento à SIC, o Ministério de Cristas garante que os únicos critérios são a competência e capacidade de trabalho. E que se trata de pessoas com currículo profissional reconhecido." fonte
"Os dois ex-colegas de faculdade nomeados pela ministra Assunção Cristas, para altos cargos no Ministério, deviam ter sido submetidos a concurso público, mas a ministra não o fez." fonte
Cristas nomeia novo inspector do ambiente
Inspector-geral vem de uma grande sociedade de advogados (Sérvulo & Associados) e licenciou-se em direito junto com a ministra.
A ministra também nomeou, como sub-inspectores, Hugo Carolino, que já trabalhara na Inspecção-Geral de Finanças e foi adjunto de secretários de Estado nos governos de Durão Barroso (2002-2004) e Santana Lopes (2004-2005), e Nuno Banza, que nos últimos três anos foi vereador na Câmara Municipal do Barreiro, com o pelouro do ambiente. fonte
BARREIRO - Nuno Banza deixa funções de Vereador do Ambiente para «Aceitar pelouros e trabalhar em prol do efetivo interesse da comunidade»

Um caso muito semelhante que se passou no Instituto Politécnico de Coimbra, que mais parece um albergue familiar. Portugal é um caso raro de improdutividade e os especialistas, afirmam que uma das maiores causas é a cunha/nepotismo. A valorização do mérito é a forma mais eficaz de potenciar a produtividade. Li um artigo no Expresso desta semana, em que se questionava porque razão os estrangeiros não investem em Portugal já que temos mão de obra das mais baratas da Europa. E a resposta foi dolorosa. Ele afirmou que mesmo sendo das mais barata, ainda está cara, porque também somos os que produzimos menos. E terminou referindo que a cunha é a maior causa desse problema português, onde se insiste na desvalorização do mérito.

LISTA QUE REÚNE CENTENAS DE CASOS DE NEPOTISMO (BOYS,GIRLS, FAVORES, TACHOS) QUE ARRUÍNAM PORTUGAL DE DUAS FORMAS. ARRUÍNAM PORQUE GANHAM DEMASIADO E PRODUZEM POUCO. E ARRUÍNAM PORQUE OCUPAM CARGOS IMPORTANTES PARA O PAÍS E SÃO ESCOLHIDOS POR FAVORES, E NÃO PELA COMPETÊNCIA.
CONTINUAR A LONGA LISTA AQUI

SOMOS COMANDADOS POR DITADORES INCOMPETENTES. O mérito só atrapalha.



3 comentários :

  1. Os amigos são para as ocasiões.

    ResponderEliminar
  2. o pior é que mesmo se a selecção fosse pelo mérito, estes cargos não são necessários, inscrevem-se no esbanjamento de dinheiro publico, 90% destas entidades são absolutamente desnecessárias, ou mesmo que tenham verdadeira utilidade Publica têm excesso de cargos. Mérito? o que é isso? colecção de titulos académicos, um curriculo preenchido por cargos na Função Publica e similares e a publicação de artigos "ciêntificos" sem o minimo interesse, repetindo o que já foi afirmado noutros cantos do mundo? como acontece por ex. no universo Universitário português? o que é mérito? para mim é ética pessoal e profissional, é honestidade, boa gestão, respeito pelo erário público, existe isso em Portugal??!! Nunca vi!

    ResponderEliminar
  3. Tem razão. Portugal é só para férias. Trabalho em Portugal mas trabalhei no estrangeiro e disso que não gosto de trabalhar cá´!!! Somo mto pouco profissionais. Enquanto a mentalidade da "Cunha" vingar, culturalmente enraizada não vamos lá. Acho que ainda ninguém se questionou o quanto "anti-ético" e anti-moral é excluir uma pessoa melhor que outra só por causa de conhecimentos. quem vive no meio da burocracia aprende-se a usar o sistema a seu belo prazer.

    ResponderEliminar