22 agosto, 2013

Governo paga medicamentos em hospitais privados, que não há nos hospitais públicos?


Fui ver o filme "Elysium", e pude constatar que é mais uma tentativa de despertar as pessoas para a realidade que gradualmente se está a impor, no mundo.
De forma dramatizada, e romanceada mostra um mundo, no futuro, onde os ricos e poderosos decidem construir um oásis, inacessível aos mais pobres, pleno de luxo e regalias. Nesse oásis tudo é perfeito, nada falta, não há poluição, não falta tecnologia para curar doentes, não existem pobres nem trabalhadores.
Esse oásis é sustentado por cidadãos comuns, sem direitos, verdadeiros escravos que arriscam a vida sem qualquer protecção legal, e sem acesso a médicos e a outros direitos que actualmente consideramos garantidos.

Infelizmente parece que a temível ficção do filme começa a assemelhar-se à realidade que todos os dias nos choca e que sempre abominamos.
Actualmente começa a tornar-se óbvio que são essas as intenções dos governos dos países vencidos pela corrupção. São os governos compostos por políticos desleais e vendidos ás elites, que conduzem os países para o empobrecimento generalizado, das classes trabalhadoras, e facilitam o enriquecimento de elites bem definidas. Elites económicas e sociedades secretas (Banca, maçons, bildberg, grandes grupos económicos)
Os colégios privados estão bem equipados, os hospitais privados, estão bem equipados, os bens de luxo são cada vez mais procurados. As elites desenham-se, a pouco e pouco, cada vez mais bem definidas e os seu  mundo começa a ser criado à sua medida. Não podem fugir para o espaço, como no filme que refiro, por isso impõe-se que sejam discretos. Mas já se torna difícil disfarçar? Ou sou apenas eu a delirar?
Este video é um exemplo claro, que mostra como a nossa realidade se assemelha em muito ao filme Elysium, - Como conseguir tratamento do cancro na Alemanha. 


"Estado paga no privado o que recusa no público.
Terapêutica para o cancro recusada no SNS é dada pela ADSE em hospitais particulares.
O Estado dá aos funcionários públicos doentes com cancro medicamentos que recusa aos restantes portugueses. Nos hospitais públicos, os médicos só podem prescrever terapêuticas aprovadas após um demorado processo, enquanto nos hospitais privados paga, na íntegra, aos beneficiários da ADSE os remédios logo que entram no mercado nacional.
O Ministério das Finanças, responsável por este sistema de proteção social dos funcionários públicos do sector administrativo até 2014, confirma a discrepância de critérios. E revela até que as comparticipações a 100% para os antineoplásicos, incluindo os inovadores, são extensíveis a outros medicamentos.
O Ministério da Saúde não revela quantos fármacos para o cancro esperam por entrar no SNS, para não prejudicar o processo negocial, mas há já casos conhecidos. Por exemplo, a abiraterona, para o cancro da próstata metastizado, recusada a doentes em vários hospitais públicos, incluindo nos três centros do Instituto Português de Oncologia, e que ainda está em avaliação pelo Infarmed para comparticipação, é dada aos beneficiários da ADSE nos hospitais privados desde que começou a ser comercializada em Portugal, em outubro de 2011". fonte
Sabia que o governo fez o favor de ajudar os hospitais de luxo privados dos grandes grupos Mello e BES, e outros, ao ter permitido que ficassem com todos os utentes da ADSE? E em alguns hospitais a ADSE já garanta 20% dos clientes. 
Esta situação não se passa porque o governo nutre uma paixão especial pelos funcionários públicos. Esta situação surge porque há sim uma paixão pelos grupos amigos dos governos e perante a falta de doentes/clientes nos hospitais privados, o governo decidiu oferecer a esses hospitais privados, 1,3 milhões de novos clientes/doentes: os funcionários públicos - colocando por exemplo os hospitais do grupo Mello e BES, CUF E LUZ, nos associados à ADSE.
"Importa realçar que a maioria dos utentes que trocaram o publico pelo privado, foram os funcionários públicos e as suas famílias, que totalizam os 1,3 milhões de beneficiários da ADSE, que pagam menos no privado do que no público. É que no privado uma consulta de especialidade custa-lhes €3,99, enquanto, no público, teriam de pagar uma taxa moderadora de €7,5 e sujeitar-se a listas de espera de cinco meses.  ARTIGO COMPLETO:
O ASSUNTO MAL FOI DIVULGADO MAS EIS A PROVA: "(...)Há hospitais privados a discriminar os beneficiários da ADSE. Em causa estão o Hospital da Luz e a Clínica CUF. Não podemos ter no hospital só doentes da ADSE", que já representa 20% do negócio. fonte
Ora digam lá que o governo não é amigo? 20% de clientes novos? E a malta do SNS, quantos anos de descriminação? Quantos anos à espera de consulta??? Ah isso não interessa nada. São só invejosos...

O descaramento do governo é imparável, a falta de vergonha torna-o mais ágil e eficaz, a impunidade permite-lhe continuar, e o povo apoia, com votos inteligentes...
E que se extinga a saúde pública, para os ricos explorarem os necessitados. Em breve Portugal será um paraíso para os ricos e um inferno para os pobres.
"Holding da família Soares dos Santos investe 5 milhões de euros em rede de clínicas em centros comerciais." ....Soares dos Santos abre 40 clínicas?
Já estamos habituados a que os governos utilizem o dinheiro público visando os interesses de empresas "amigas" e lesando os interesses do povo e do estado.

E mais chocante ainda se somarmos as mais recentes noticias que ensombram o futuro dos portugueses: Quem aguenta?  

1 --  "Insuficiência de equipamentos impede radioterapia. 
Entre três mil e quatro mil doentes de cancro por ano não fazem tratamento de radioterapia devido à insuficiência deste tipo de equipamentos no País, segundo especialistas ouvidos pelo CM.

2 --  "UE esbanja milhões em festas e luxos.
Durão Barroso, comissários e outro pessoal gozam férias em destinos exóticos e compram presentes caros em tempo de... austeridade." FONTE

3 --  "Grande Lisboa com uma única urgência nocturna completa em Setembro." FONTE

4 --  "Governo corta no valor dos exames no SNS e paga mais a privados. Preços pagos ao público por análises e exames sofreram cortes de 9,5% desde 2009. Já os privados com convenções estão a receber mais 9% do que em 2006. Este ano tiveram um aumento médio de 2,2%."  fonte

5 --  "SNS cortou 58 milhões de euros no transporte de doentes não urgentes.
Deve ser criada em breve a nova figura de veículo dedicado ao transporte de doentes. Para os taxistas, trata-se de "uma cedência ao lobby dos bombeiros" que acabará por sair "mais cara" ao país." fonte

6 --  "Na realidade, as transferências do Orçamento de Estado para o SNS têm vindo a diminuir drasticamente, sendo os governos muito criativos na invenção de múltiplas e enviesadas formas de o sub-financiar." fonte

7 --  "Governo está a cortar mil camas nos hospitais do SNS.
Compromisso é assumido na sexta revisão do memorando de entendimento com a troika." fonte

8 --  "Auditoria do Tribunal de Contas revela que alunos das escolas privadas saem mais baratos ao Estado" fonte

9 -- Ministério da educação vai ser processado por beneficiar um grupo privado (GPS), desde o governo Sócrates. "Em causa está o alegado favorecimento a dois colégios privados das Caldas da Rainha, financiados pelo Estado. Só no ano passado, podia ter-se poupado mais de um milhão de euros." fonte

10 --  "Educação: "Governo corta o triplo do que a troika mandou. "
11 --   SNS: "A ‘troika’ mandou cortar 550 milhões e o Governo cortou mais 650 milhões e este ano vai cortar mais”, sublinhou.
12 --   Baixar TSU foi iniciativa do Governo, não da troika, diz chefe de missão do FMI." fonte
13 --   Portugal reduziu em mais de 5% dos funcionários públicos entre dezembro de 2011 e setembro de 2012. Superando, assim, em mais do dobro a meta anual imposta pelo memorando da troika.
14 --   Doentes de cancro, ficam em casa à espera da morte, por falta de dinheiro para os tratamentos.
15 --   Taxas moderadoras afastam 1800 pessoas por dia das urgências.
16 --   Neste video, a noticia de que Portugal é considerado o país mais pobre da Europa.




17  - "Segundo o relatório Fiscal Monitor, Portugal é a segunda economia do mundo com maior aumento da carga fiscal entre 2009 e 2012."   Económico

18  - "Entre os seis países da União Europeia, Portugal é o único onde as medidas de austeridade exigiram um esforço financeiro aos pobres superior ao que foi pedido aos ricos, revela um estudo recente publicado pela Comissão Europeia. Na comparação com Grécia, Estónia, Irlanda, Reino Unido e Espanha, Portugal é também o País que regista um dos maiores aumentos de risco de pobreza devido às medidas de consolidação orçamental adoptadas durante a crise, ultrapassando a barreira dos 20% da população em risco." RTP
19 - "O pico de mortes em Portugal está relacionado com o programa de austeridade. O SNS foi forçado a cortes radicais desde que começaram a executar o plano de resgate do FMI em Maio, os efeitos começaram a sentir-se."(The Guardian)
20 - Portugueses desesperados, procuram tratamentos que curam o cancro, na Alemanha, mas pagam caro, o que para os ricos, não é problema. fonte
21 - "Portugal é o país da União Europeia, com excepção da Letónia e Lituânia, a ter maiores desigualdades na distribuição dos rendimentos das famílias." Fonte
22 - "Portugal entre os países que possui a mais pesada carga fiscal para a classe média." Fonte
23 - "Índice de Desenvolvimento Humano: Portugal é 41.º
24 - "Portugal tem 3,4 camas de hospital por mil habitantes, dos valores mais baixos da UE.
25 - "Forças de segurança vão receber um aumento de 10,8% OE 2013
26 - "Portugal é o terceiro país da Zona Euro com mais polícias.
27 - "A despesa de Portugal com Defesa é superior à média da Zona Euro 
28 - Fosso entre ricos e pobres no nível mais elevado em 30 anos
29 - Emigração aumentou 85% em 2011. Quase 44 mil residentes em Portugal abandonaram o país nesse ano. Números estão longe de reflectir a situação actual. fonte
30 - "O esforço pedido pelo Governo às famílias em 2012 vai ser mais do triplo que o acordado com a troika, enquanto o corte nas ‘gorduras’ do Estado vai permanecer inalterado." fonte
31 --   "As unidades de cuidados continuados estão a ser geridas por empresas do sector lucrativo e por IPSS.  Os governos, após reduzirem a capacidade no público, estratégicamente decide ABRIR O SECTOR AO NEGÓCIO PRIVADO... MAS COMO SEMPRE, OFERECE MAIS BENEFÍCIOS AOS PRIVADOS QUE AO PRÓPRIO ESTADO." ARTIGO COMPLETO
32 --  A Lei n.º 69/2013 hoje publicada procede à quinta alteração de uma lei com cerca de quatro anos, o Código do Trabalho (aprovado pela Lei n.º 7/2009) e vem desta feita alterar em baixa o valor da compensação devida pela cessação do contrato de trabalho.
Descrever o que muda de forma simples passa por afirmar que a indemnização por despedimento foi reduzida para 18 dias ou mesmo para 12 dias conforme o enquadramento contratual de cada situação concreta e forma de despedimento. (entra em vigor em Out de 2013). fonte

Despesismo no SNS, incompetência corrupção ou ambas? 

3 comentários :

  1. A situação ainda aporta novas armadilhas. Os contratos existem mas a necessidade e opção de se fazer ou não é exclusiva da entidade privada;como e estado é um mãos largas desleixado a opção é obvia pelo mais dispendioso(tiramos o pelo com um puxão ou anestesia geral?). E ao contrario do nosso Estado Saude GratuitaParaTodos quando há que fazer exames complementares a opção é uma unidade do mesmo grupo e não recorrer auma unidade do estado ou não ali perto.Fazem bem quem faz mal são os nossos?!!cruzescanhoto, gestores hospitalares que com laboratórios grandes deixam fazer naquele laboratótio muito especial ali ao pé do marques!!
    abram os olhos eleitores agora em Setembro e não deixem que eles votem por si. Na minha camar t~em a maioria absoluta com 19% porque os outros 63% decidiram ir para a manifestação contra o painatal!ou pro-shoping. Saloios!

    ResponderEliminar
  2. http://www.youtube.com/watch?v=5c_PBNP-JvQ

    ResponderEliminar
  3. Até cerca de 1992, não posso precisar exactamente quando, quem tinha uma carreira pública, não podia exercer actividade privada sem licença superior e, aos privados, era VEDADA qualquer actividade pública.

    Foi o montanheiro do Poço de Boliqueime, que nessa altura - com um argumento tão rouco e ôco como a sua xico-espertice - vendeu a necessidade de incluir na administração pública (ap) "os mais competentes" (tipo Oliveira e Costa, Dias Loureiro, Francisco Sanches ou Arlindo Carvalho) para colocar a ap a "andar nos eixos"...

    Estamos a ver o resultado. O Padrinho do BPN com a desculpa da "competência" (só ele sabe o que isso é) infiltrou nos altos postos da ap verdadeiras toupeiras bombistas a trabalhar para os mais ocultos interesses privados. Com a sua benção.

    Falo deste Padrinho porque ele detém a maior premanência na desgraça em que degenerou o país desde o 25 de Abril de 74 até hoje.

    A saúde foi o sector mais bombardeado. Por dentro como por fora. Por dentro, destaco os ordenados dos médicos e dos enfermeiros do quadro, o valor das suas horas extraordinárias, os "golpes" aos horários que os médicos praticavam, com toda a presporrência, nos hospitais públicos para estarem frescos para a actividade privada. O duplo emprego dos enfermeiros.

    O roubo, leem bem, o roubo de material de cirurgia e afim nos hospitais públicos para formar clínicas privadas enfim, tudo foi feito por dentro.
    Por fora, estavam os interesses conhecidos a construir hospitais privados, seguros de saúde, adjudicações directas de produtos, sempre a contar com as promessas de passagem de clientes para a privada, a troco de muitos milhões.

    O Padrinho e os muchachos estão bem e recomendam-se.

    Os pobres que paguem a sua riqueza, e continuem a votar neles...

    ResponderEliminar