31 julho, 2013

Mais exemplos de promiscuidade e abuso de dinheiro público - Luís Filipe Menezes

Clique na imagem, para ampliar

A Câmara de Gaia celebrou dois contratos de ajuste directo com a sociedade de advogados de Amorim Pereira no valor de 120 mil euros, dias antes deste ser apresentado como mandatário financeiro da candidatura do ainda autarca de Gaia, Luís Filipe Menezes, à Câmara do Porto.
Um contrato, no valor de 90 mil euros, foi assinado dia 31 de Dezembro de 2012 e destinava-se a consultadoria jurídica à Águas e Parque Biológico de Gaia. No dia seguinte, a Amorim Pereira, Nuno Oliveira e Associados assinou outro contrato, no valor de 30 mil euros, para prestação de serviços de consultadoria jurídica ao Presidente da Câmara de Gaia.
Após contacto do SOL, a Câmara de Gaia explicou em comunicado que «foi sempre com base em critérios de competência, lealdade e confiança que o município de Vila Nova de Gaia contratou a prestação de serviços de advogados e jurisconsultos e não apenas desta sociedade de advogados».
Luís Filipe Menezes frisa que o ajuste directo não é directamente com o mandatário financeiro da sua candidatura ao Porto, mas com a sociedade de advogados Amorim Pereira, Nuno Oliveira e Associados, Sociedade de Advogados, RL, em que Amorim Pereira «possui apenas uma participação minoritária de oito por cento». fonte

Dr. Amorim Pereira, advogado do Porto, que será então, tudo indica, o número dois de Luís Filipe Menezes na candidatura à Câmara Municipal do Porto.
Tudo indica que este convite se deve ao facto do agora candidato ter, nos últimos três anos,  feito preços especiais às “consultadorias” para a Câmara Municipal de Gaia.
Na realidade, por todo aquele imenso trabalho, não cobrou mais de meio milhão de euros. (Como consta na imagem em cima)
Deve merecer este reconhecimento.

Outras coincidências:
- O Município de VNG contratou com o Instituto do Cávado e do Ave serviços para auxiliar a "interpretação" da Lei nº. 49/2012, por ajuste directo e com um valor de 15.000 euros. Até aqui tudo bem. Mas, por coincidência e apenas por coincidência, o Presidente do Instituto é o Sr. Dr. João Carvalho, exactamente a mesma pessoa que coordena a elaboração do anuário dos municípios, isto é, o ranking financeiro destas autarquias. Como se pode confirmar aqui e aqui.

Mas há mais. 
Segundo um leitor do blog, que enviou este texto, a ajuda de amigos e família, com dinheiro público, prossegue. Menezes é muito generoso com o dinheiro dos outros. Quase todos os políticos o são.
Neste caso, não possuo fontes, portanto a história vale o que vale, contudo, e pelo que já conhecemos deste Portugal de bananas, governado por sacanas, esta história parece bastante verosímil.
(Caso alguém tenha acesso a algum documento que confirme ou desminta esta contratação, agradeço que me envie )
"NÃO HÁ IMPOSTO QUE RESISTA... Imaginem que um familiar vosso padecia de enfermidade e carecia de tratamento diário.Luís Filipe Menezes, o tal que se propõe ir desgraçar o Erário Público Portuense, tal como fez em Gaia, tem destas coisas sociais.O seu pai, habitante numa localidade a sul de Espinho, (Esmoriz/Cortegaça) estando enfermo, carecia de tratamento diário numa dependência da grande Gaia.O filho, evidenciando um amor paternal proibido aos restantes cidadãos, decidiu deslocar diariamente uma viatura Camarária para o seu transporte.Numa das Assembleias Municipais, alguns cidadãos protestaram tal despesismo e, como "Acção Correctiva Imediata", sua Excelência decidiu:Nomear seu pai (72 ou 82 anos de idade) como assessor, atribuindo-lhe a módica quantia de QUATRO MIL EUROS MENSAIS, MAIS DIREITO A VIATURA Nada de anormal nestas anormalidades não fora o "trigésimo quarto assessor deste déspota larápio"
O centro de estágios do Olival, mais uma generosidade, que custou 16 milhões ao erário público!!?? 
Porque é que o pobre cidadão, pobre, é obrigado a sustentar luxos, dos "taradinhos da bola", e sem ser consultado ou saber sequer, onde lhe esbanjam os impostos? 
A fundação PortoGaia, entidade criada em 1999 pela Câmara de Gaia e detida em maioria pelo clube de Pinto da Costa, recebeu 4,2 milhões de euros de apoios do Estado entre 2008 e 2010 e depende quase totalmente do financiamento público. Com nota negativa na avaliação do Ministério das Finanças às fundações, corre agora o risco de ser extinta. Esta fundação geria o centro de estágios.
Em Vila Nova de Gaia, o centro de estágios tem cinco campos de futebol, bancada para duas mil pessoas, ginásio e centro de imprensa. A Câmara de Gaia pagou 1,5 milhões de euros pelos terrenos e em 2004 a Inspecção Geral de Finanças revelou numa fiscalização que a autarquia de Luís Filipe Menezes tinha pago a totalidade dos custos do centro de treinos: 16 milhões de euros. O FC Porto, que desde 2002 usa o espaço, conseguiu assegurar o direito de superfície dos terrenos por 50 anos e paga apenas uma renda mensal de 500 euros, revela o ‘Negócios'. CM

Um artigo que é um verdadeiro elogio ao desporto português... haja vergonha. Até a corrupção do desporto vem ao bolso dos contribuintes.

"A “FUNDAÇÃO” DA CORRUPÇÃO DESPORTIVA
Foi a trafulhice dos terrenos das antas que o clube corrupto ganhou, a câmara municipal do Porto, a antiga, não a moderna, oferendou em bandeja de ouro, os contribuintes pagaram – e os juízes “lavaram” na sua useira e vezeira decisão “pilatiana”.
Foi o presentear camarário gaiano do centro de estágio, foi o reforçativo enfeitamento da dádiva do direito de superfície dos terrenos, foi a cereja no topo do presenteamento de uma renda mensal mesquinha de 500,00 euros – inferior ao que se paga por um apartamento de meia dúzia de metros quadrados e divisões em que mal cabe a cama de dormir e o fogão para confeccionar a janta – tudo também a pagar pelo bolso dos contribuintes.

Já em 2004 a Inspecção-Geral de Finanças havia concluído, ao final da sua vistoria, que tinha sido a autarquia gaiense a que pagou a totalidade do centro de estágio, no montante de 16 milhões de euros.
Nunca se ouviu Menezes desmentir, nem o pagador, nem o montante do custo do centro de estágio, nem o montante da renda.
O que Menezes tenta desmentir são as notícias do pagamento dos encargos, dizendo que é o clube que «financia todos os encargos com esse centro de estágios».
Que encargos?
Os de conservação?
Menezes nunca convenceu ninguém, a não ser os poucos que gostam de ser convencidos. 

E certamente que Menezes até é bem capaz de voltar a desmentir este facto.
A célebre máscara da fundação Porto-Gaia, criada para gerir o centro de estágio, chefiada pelo “papa” condenado, foi agora analisada pela Inspecção-Geral de Finanças a qual, no seu relatório, concluiu que 84,4% das receitas da mesma fundação provêm do erário público.
Isto é, os tais “todos os encargos”, como já sabíamos apesar dos pretensos desmentidos “menezianos”, são pagos na sua quase totalidade pelo bolso dos contribuintes-
(...)
Mas alguém acreditará que, no meio desta politicagem usurpadora que só do Povo Honrado se alimenta, do Povo trabalhador e do Povo pensionista, alguém acreditará, repito, que esta fundação coadjuvante do processo corruptivo do desportivo português irá para o xelindró da tumba dos malfeitores?
Só os ainda ingénuos!
Com tantas ajudas desavergonhadas, corruptas, indecorosas, obscenas, vis, apesar do aumento do passivo e dos prejuízos da SAD, não há dúvida!
A “fruta”, os “quinhentinhos”, as almoçaradas e jantaradas, a conta dos telefones, os cafezinhos com leite, as comissões e as avenças “milhionárias”, tudo isto custa muito, muito dinheiro, milhões e milhões! fonte


8 comentários :

  1. Atenção, Portuenses31 julho, 2013 12:51

    Tenham muito cuidado com o discurso populista e fácil do demagogo que preside à Câmara mais endividada “per capita” do país e que agora quer vir para o Porto desbaratar tudo aquilo que foi feito de bom, sobretudo no domínio financeiro. É que fazer obra e distribuir subsídios à custa de endividamento até o Pato Donald é capaz. Quando se vê que nessa candidatura (ilegal) estão os habituais apoiantes, vulgo subsidiodependentes da "cultura" e afins, está tudo dito. Já para não falar das ligações promíscuas com o “Papa” a quem o candidato já "beijou o anel" e prestou vassalagem. Basta ver a negociata do Olival para se ter uma ideia. Portuenses, abram bem os olhos e não permitam o "saque" da Cidade por parte desse nepotista. Força, Rui Moreira!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. TEMOS OS POLITICOS QUE MERECEMOS SOMOS NÓS QUE OS MOLDAMOS
      UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO, TEMIDO OU SEQUER RESPEITADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA...
      Em Portugal vence sempre a abstenção e a ignorância e os corruptos.
      O povo não sabe que o voto não serve apenas para votar a favor dos que mais se apoiam, serve também para votar contra os que mais roubam e mentem.
      O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
      Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
      (…)
      Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
      Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
      Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
      ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

      Eliminar
  2. Perigo! Danger! Achtung!31 julho, 2013 19:58

    Portuenses, abram bem os olhos e não permitam o "saque" da Cidade por parte desse déspota. Caso contrário serão os vossos filhos a pagar a elevada factura dos seus desvarios. Os políticos esbanjadores (infelizmente a maioria) não têm qualquer respeito pelos dinheiros públicos. Para eles, o dinheiro dos vossos impostos, principalmente o proveniente do vosso Sangue, Suor e Lágrimas é para desbaratar em negociatas, ajustes directos e também, neste caso, para "alimentar" o enorme séquito de bajuladores do candidato que já se prepara para atravessar a Ponte e instalar-se devidamente.

    ResponderEliminar
  3. Cara Zita,

    não querendo abusar do seu magnífico esforço em registar e divulgar os assaltos diários ao povo português por uma classe de ladrões conhecida como "políticos", ia sugerir-lhe que complementasse estes relatos com as fotografias dos ladrões.

    Desta maneira e quando chegar a hora de fazermos justiça pelas nossas mãos não haverá enganos pois teremos nas nossas memórias os rostos dos ladrões.

    Grato pela sua atenção.
    Bem-haja pelo seu magnífico trabalho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. TEMOS OS POLITICOS QUE MERECEMOS SOMOS NÓS QUE OS MOLDAMOS
      UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO, TEMIDO OU SEQUER RESPEITADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA...
      Em Portugal vence sempre a abstenção e a ignorância e os corruptos.
      O povo não sabe que o voto não serve apenas para votar a favor dos que mais se apoiam, serve também para votar contra os que mais roubam e mentem.
      O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
      Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
      (…)
      Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
      Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
      Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
      ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

      Eliminar
  4. Boas


    Sem contar com a falcatrua que existe nas futuras piscinas em Pedroso, em que a camara de Gaia faz as piscinas e o povo não as pode utilizar, dado serem para o FCP, com exclusividade.

    urbano

    ResponderEliminar
  5. E lembram-se do teleférico? Construído para por fim às dificuldades de acesso ao Metro no Jardim do Morro dos habitantes de Gaia da beira rio. Teleférico pronto e as acessibilidades continuam iguais. E não é que o fulaninho nem se digna a dar explicações!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. TEMOS OS POLITICOS QUE MERECEMOS SOMOS NÓS QUE OS MOLDAMOS
      UM POVO QUE NÃO VOTA NEM SABE USAR O VOTO JAMAIS SERÁ REPRESENTADO, TEMIDO OU SEQUER RESPEITADO E JAMAIS SABOREARÁ AS VANTAGENS DA DEMOCRACIA...
      Em Portugal vence sempre a abstenção e a ignorância e os corruptos.
      O povo não sabe que o voto não serve apenas para votar a favor dos que mais se apoiam, serve também para votar contra os que mais roubam e mentem.
      O critério decisivo da democracia é a possibilidade de votar contra os partidos que há 40 anos destroem o país
      Karl Popper, sobre democracia, responsabilidade e liberdade.
      (…)
      Inicialmente, em Atenas, a democracia foi uma tentativa de não deixar chegar ao poder déspotas, ditadores, tiranos. Esse aspecto é essencial. Não se tratava, pois, de poder popular, mas de controlo popular. O critério decisivo da democracia é – e já era assim em Atenas – a possibilidade de votar contra pessoas, e não a possibilidade de votar a favor de pessoas.
      Foi o que se fez em Atenas com o ostracismo. (…)
      Desde o início que o problema da democracia foi o de encontrar uma via que não permitisse a
      ninguém tornar-se demasiado poderoso. E esse continua a ser o problema da democracia. (…)

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/o-criterio-decisivo-da-democracia-e.html#ixzz3qcV7Aoi8

      Eliminar