02 março, 2013

Gastar impostos desalmadamente, criminosamente e impunemente.



A propósito da crise... aqui vai mais um exemplo:
Piscina Olímpica da Maia. Faleceu antes de nascer!!!!!!!
1) Quanto custou construir?
Muitos milhões do nosso bolso.
2) Quem ganhou com a obra incompleta?
Alguns empreiteiros "falidos" no Brasil e outros "pobres".
3) Para que serviu?
Patrocínio de campanhas eleitorais e outros "jeitos".
4) Quem usufruiu dela?
Ninguém, ou melhor, durante anos foi a "casa" dos sem abrigo e viveiro de animais vadios.
5) Quanto custa demolir?
Com a subida dos custos, deverá custar mais do que a "meia obra" feita.
6) Quem foi responsabilizado, espoliado ou preso pelo roubo?
Que se saiba, NINGUÉM.
Possivelmente alguns dos responsáveis continuam comodamente "instalados na Câmara.
7) Poderíamos não estar na taxa máxima de IMI, recolha de lixo, esgotos e outras taxas municipais?
Claro que sim, se não houvesse tanta roubalheira e corrupção.
8) Acertou em todas as respostas?
Claro que sim, era fácil e elementar, meu caro contribuinte.
Mas, nunca se esqueça,sorria, está na Maia, a capital do desporto !!! Em cima a foto de onde estão enterrados muitos Subsídios de Natal, 13ºmês, 
taxas e impostos pagos...

"A piscina olímpica da Maia, uma obra que começou a ser construída há cerca de 20 anos e considerada "um mono" na cidade, já está a ser demolida, pretendendo a autarquia criar ali uma área verde ainda no verão.
Em 2003, a Câmara da Maia desistiu de construir aquela piscina, tal como estava programado pela autarquia desde a década de 1990, pelas mãos do então presidente Vieira de Carvalho.(...)
Esta empreitada é acompanhada por um "supressor de poeiras", uma máquina que lança água para o local que está a ser demolido, evitando que haja poeira no ar.
Para Bragança Fernandes, tendo o Estado desistido do projeto há mais de uma década e não tendo a autarquia interesse em concluir uma obra daquelas, que já então estava orçada em 30 milhões de euros, a demolição é o mais adequado para "acabar com um espaço que era já um antro de droga".
"Se a câmara tivesse avançado com o projeto, Portugal teria ali mais um 'elefante branco'", concluiu."

Mais obras... despesismo?
  1. O caso da piscina de Braga.
  2. Piscina dos Olivais. 
  3. O caso do Novo edifício da Policia Judiciária em Lisboa. A segunda tentativa.
  4. O caso dos candeeiros do Siza Vieira
  5. O caso do pombal escolar
  6. O caso da casa de cinema
  7. O caso do pavilhão de Viana
  8. O caso das pistas para carros (de brincar)
  9. O auditório de Viana 
  10. As piscinas da Azambuja
  11. O caso da Parque escolar
  12. O caso da Ilha da Madeira, elogiado além fronteiras...
  13. Os casos das câmaras mais endividadas 
  14. Mais piscinas sem nadadores, só para fazer dinheiro?
  15. Parque empresarial... sem empresas? 
  16. Enriquecer amigos
  17. O despesismo do poder local

Sem comentários :

Enviar um comentário