26 setembro, 2012

Estado esconde subsídios de luxo pagos a diplomatas

salários de luxo politica portugal
A Troika quer reduzir apoios financeiros à carreira diplomática, pois o Estado esconde subsídios de luxo a diplomatas.
O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) nunca divulgou o montante dos subsídios atribuídos aos diplomatas. E Paulo Portas, tal como fizeram os seus antecessores no cargo, não vai, para já, divulgar aqueles valores, que já foram alvo da análise crítica da Troika.
Por exemplo, o abono de representação de um conselheiro de embaixada, segunda categoria na carreira diplomática (imediatamente abaixo de embaixador), atinge 6291 euros em Copenhaga,  6285 euros em Roma e 6190 euros em Madrid. Com todos estes abonos (representação e casa), um conselheiro recebe um vencimento mensal que ultrapassa os 11 800 euros. Já em Luanda, segunda cidade mais cara do Mundo, e considerada estratégica para os interesses nacionais, a remuneração mensal ronda os 8400 euros. O MNE admite que "a crítica à não revisão destas tabelas é antiga", dado que "alguns valores estão desactualizados".

Paulo Portas nomeou Maria Monteiro, filha do embaixador e ex-ministro dos Negócios Estrangeiros António Monteiro, adida técnica principal na embaixada de Portugal em Londres. cmjornal.

Governo ultrapassa verba com gabinetes. Passos Coelho gasta 8,7 milhões de euros em assessores, técnicos, secretárias e motoristas. E o Primeiro-Ministro em conjunto com mais seis ministros gastam mais do que está no Orçamento.
Segundo o Correio da Manhã o gabinete do Primeiro-Ministro tem 67 pessoas, cujas remunerações custam mais de 129 mil euros por mês. O encargo anual aumentará cerca de 4% em relação ao previstodn

Continuamos a acreditar que a TROIKA é o nosso inimigo e a desculpabilizar, desta forma, os políticos, o verdadeiro inimigo. 
As pessoas deixam-se ir na onda, e esquecem que, actualmente, sem a Troika não teríamos hipóteses de manter Portugal a "funcionar", já o mesmo não se pode dizer do governo. Basta ver o caso da Bélgica que sem governo, se tem governado muito melhor.
Devemos reconhecer que:
Sem a Troika, ainda ninguém teria denunciado o abuso das fundações. 
Sem a Troika ninguém teria denunciado o abuso das PPP. 
Sem a Troika ninguém teria denunciado o regabofe fiscal da Madeira. 
Sem a Troika jamais saberíamos que os diplomatas são parasitas e abusadores descarados.
Sem a Troika as nomeações de boys eram ainda mais descaradas.
Sem a Troika continuaríamos a ter subsistemas de saúde pública para privilegiados e para pobres... a Troika mandou acabar com os privilegiados, mas o governo, finta-os e contorna de novo o problema... 
E existem muitas outras medidas exigidas pela Troika que pretendem acabar com o despesismo e o abuso dos políticos, infelizmente os políticos, arranjam sempre forma de convencer a Troika de que conseguem arranjar o dinheiro necessário sacrificando os mais desprotegidos, e protegendo os parasitas ricos.
O caso das fundações foi o exemplo mais óbvio deste cenário... A Troika mandou acabar com o buraco negro das fundações e o governo, como não gosta de incomodar os amigos ricos e parasitas, das quase 800 fundações vai fechar, talvez 11??? Bom trabalho...

A Troika anda mal informada e em más companhias...Como afirma Paulo Morais
Mas ainda há quem ache que o Passos Coelho está a trabalhar bem, não conseguem perceber que só corta nos indefesos e não tem tomates para respeitar o memorando e as metas que assumiu, quando toca a vez de cortar aos amigos?
Deixo aqui o link do memorando original com as medidas que a Troika exigia, ainda, no memorando 2,  óbvio que muitas das sugestões, parecem injustas, mas há que perceber que a Troika talvez desconheça que existem salários totalmente descabidos e abusivos que desequilibram as contas e as estatísticas. E por exemplo, quando a Troika exige cortes nos salários, pode muito bem estar a referir-se a esses boys no entanto, como sabemos, Passos Coelho opta sempre por cortar nos médicos ou professores que ganham 1000 euros ou pouco mais, do que nos que ganham fortunas descabidas em cargos de chefia (boys).
É ainda importante realçar que a Troika por exemplo exige cortes na Saúde, que podem parecer injustos, mas a injustiça é apenas sentida na forma como o governo aplica os cortes aos inocentes... pois todos sabemos que a área da saúde está repleta de casos de despesismo, que carecem de controle e cortes, para o bem de todos os que não fazem parte da corja de incompetentes que beneficiam destes actos de pura gestão criminosa.
Alguém nos salva de nós próprios? Alguém nos salva de tanta incompetência e impunidade? Talvez não... mas a Troika tem sido o único travão, por muito ténue que seja, melhor que nenhum.  E não, não pretendo subestimar o abuso dos juros que pagamos. Isso é outra história. A ideia deste texto foi constatar que todos se queixam que não há ninguém que consiga travar a impunidade, o abuso e incompetência dos políticos... e aí há que reconhecer o valor da Troika. 
Que se lixe é o governo... queremos o nosso dinheiro de volta. 

Baixar TSU foi iniciativa do Governo, não da troika, diz chefe de missão do FMI." fonte 




7 comentários :

  1. Não devemos confiar demasiado na palavra da troika...

    Estes fundamentalistas do Friedman precisam, tal como Engels precisou, de cobaias para experimentarem as loucas teorias do dr Milton Friedman.

    Se correr bem passam a aplicá-la sistematicamente.

    Se correr mal - e sempre correu mal, o Chile que o diga - a culpa é do governo lá do sítio.
    A determinação em avançar terá sido do voluntarismo político, infantil, do PPCoelho para agradar à sinistra insinuação mas ela foi, outra vez, da troika.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O texto acima não pretende sugerir a troika como a solução, mas sim exibir de forma mais óbvia que o governo é o último a dar os passos na direcção que todos esperamos e na única que nos poderia salvar.
      Os portugueses estão a dirigir a raiva e as culpas para a troika... não se pretende ilibar a troika de culpa, mas juntar a esta amalgama de culpados, o governo...

      Jamais podemos e jamais devemos esquecer o que o governo nos tem feito e está a fazer.

      O governo deveria ter sido o primeiro a cortar as gorduras e os luxos, e após tanto tempo no poleiro, as únicas iniciativas nesse sentido, partiram de fiscalizações da troika... que mesmo assim o governo consegue defraudar e acabar por não fazer nem metade dos cortes que deveria fazer aos ricos, acabando por ter que estar sempre a carregar nos trabalhadores.

      Eliminar
  2. A "Troika" não é constituida por "meninos de coro". Não são muito diferentes da máfia que nós temos por cá. Mas não deixa de ter "piada", o facto de ser preciso vir a máfia estrangeira dizer aos nossos mafiosos que estão a roubar de mais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora lá está o que eu pretendia transmitir. Obrigada.

      Eliminar
  3. Tenho ódio aos políticos. Eles que não me aparecem à minha frente. Há famílias que passam dificuldades como é o caso da minha família e esta corja de merda de políticos ainda nos querem colocar-nos mais austeridade. No país pequeno como Portugal como é possível ter 230 deputados? Não há nenhum político cabrão que tenha a coragem de reduzir? E as PPP's? E só vão cortar um "bocadito" das gorduras do Estado?

    Estou revoltado daí dizer alguns palavrões.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão no que diz... e ainda mais em estar revoltado. Só quem vive alienado da verdade e do que se faz ao nosso país é que pode não se revoltar.

      Eliminar
  4. O que me incomoda acima de tudo acaba por nem ser o valor propriamente dito...este valor só acaba por ser alto visto que não há retorno. Se um diplomata recebesse x e me garantisse em curto prazo um retorno, directo ou indirecto de 4x até se poderia pagar um milhão de euros.

    Contudo, o que é lamentável é que o que se esteja aqui a pagar são mordomias e regalias e nunca trabalho...quando assim é, até 1 € é caro demais...

    ResponderEliminar