28 agosto, 2012

Justiça que sustenta.... os principescos ordenados dos actores do sistema judiciário...

injustiça
"A forma como é encarada a corrupção pela justiça, agride violentamente a minha consciência de cidadão, de democrata e, tanto quanto me consigo avaliar, de pessoa de bem.
Retive que um empresário do norte, depois de ser escutado pela polícia, autorizada por um juiz, tentando corromper um vereador da Câmara Municipal de Lisboa, conseguiu ser, em julgamento, ilibado e, mais tarde, que o vereador em causa fosse condenado.
Mas o processo continuou…
Deixo, para futuro desabafo, a difusa moralidade de tudo isto e foco-me, por agora, na máquina judicial:
Em qualquer julgamento, temos como encargos do Estado – pagos pelos nossos impostos – a investigação (polícia), a elaboração do processo (magistério público), a audiência (juízes), toda a máquina administrativa, estruturas (edifícios) e inevitáveis custos de operação e manutenção.
Quer os procuradores quer os juízes, são dos funcionários mais bem pagos do Estado – pelos nossos impostos.
Fará sentido, que arrastem anos e anos processos com retorno nulo para o erário público, enquanto recebem, principescamente, do esforço financeiro comum?
Processos como Casa Pia, Apito Dourado, Face Oculta, Freeport, e o próximo, BPN, que retorno financeiro deram ou darão ao Estado? E quanto nos custaram e custarão os vencimentos dos funcionários envolvidos, durante anos e anos a fio?
Significará que, porque é cara, vamos deixar de aplicar justiça?
Claro que não! Agora vamos fazer reverter para o Estado todo o património do réu necessário para pagamento dos custos com a justiça.
Caso seja insuficiente, o réu terá como condenação acessória o pagamento por trabalho durante tantos anos, quantos os necessários, até ao completo pagamento da sua dívida.
A dívida poderá ser paga por terceiros.
Mas, porque será que procedimentos incidindo sobre casos de muito maior dimensão, complexidade e até impacto internacional, obtêm condenação em poucos meses nos E. U. A. e por cá, processos muito mais simples, demoram vários anos?
(Refiro-me ao caso “Bernie” Madoff que envolveu, estima-se, mais de 50 mil milhões de euros).
Porque a lei, por lá, é diferente? Pois será.
Mas quem faz com que as leis sejam diferentes por cá?
Não serão os interessados em que os processos se arrastem para garantirem bons ordenados, influência, mediatismo e/ou clientes por tempo indeterminado?
Transponha-se para este país, essa legislação expedita (obviamente, sem a pena capital) e acabe-se com a burocracia que apenas serve para alimentar quem dela vive.
Aguardo para ver quanto tempo a condenação – esperada - do criminoso confesso Oliveira e Costa, ex-secretário de estado de Cavaco Silva, irá levar e qual a pena que suportará…
E nós, com um rendimento per capita inferior a metade do americano vamos, entretanto, pagando por cada processo judicial, dezenas de vezes mais para alimentar o Sistema..." desabafosdeumtraido

9 comentários :

  1. Para falar a verdade estou mais interessado em ver qual a pena do Pai de uma juíza que matou perante uma câmara de filmar o Pai da criança que trazia ao colo, e que mesmo assim está em prisão domiciliária.

    ResponderEliminar
  2. Caro Amigo:

    Permita-me que lhe diagnostique um mal, comum ao nosso Povo.

    Interessa-se muito mais pela gota de água do que pelo oceano.

    A gota de água poderá até ir-lhe suavizando a vida mas, será o oceano - pela sua indiferença em aprender a nadar - quem acabará por afogá-lo...


    ResponderEliminar
  3. Serão os Magistrados,os Juízes,imparciais como devem ser? E os Juízes dos Tribunais Plenários e o Conselho Superior da Magistratura que apoiou a Ditadura clerical-fascista do Estado Novo,seriam Juízes Imparciais?Afinal a Magistratura é influenciada pela Política?
    A Justiça de olhos vendados,
    às vezes não vê a razão,
    e então erra a decisão,
    e faz dos inocentes,culpados.

    ResponderEliminar
  4. Uma justiça de olhos vendados não vê, apenas consegue ouvir e tactear...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo reparo e então eu corrijo a minha quadra.
      A Justiça com os olhos vendados,
      não vê p'ra que lado a balança pende,
      e então sua sentença surpreende,
      fazendo dos inocentes,culpados.

      Eliminar
  5. o oceano é que foi notícia de uma reportagem da sic , de uma recluso com 7 anos de pena efectiva por roubo de um telemóvel, vamos ver como tratam um assassinato filmado.

    ResponderEliminar
  6. O oceano é feito de gotas, e com gotas (aberrantes) destas, não há nadador que se salve (só quem conhecer a bóia certa - talvez)

    ResponderEliminar
  7. mais uma gota aberrante, 14 euros de chocolate , que custa ao Estado até agora 1500, justiça valente (para os fracos). E o pessoal deixa de ir ao LIDL.Deixa tanto como deixaram de comprar a marca Opel.Cada um por si

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A justiça é valente a destruir erário público e a proteger os que o destroem.
      Apenas funciona para crimes ridículos que ofendem a inteligência de um povo injustiçado.

      http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/05/portugal-tem-justica-eficaz-para-pobres.html

      http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/08/democracia-sem-justica-impunidade.html

      Eliminar