08 maio, 2012

Greve na Carris, quem vai pagar o buraco da austeridade?

Sócrates e Passos Coelho corruptos
Os transportes públicos perderam 16 milhões de passageiros só no primeiro trimestre deste ano, a um ritmo de 175 mil por dia. Video da noticia.
A crise, a subida dos preços e o aumento do desemprego podem explicar os números.
Quem vai tapar mais este buraco que deve trazer gigantescos prejuízos para as empresas de transportes??
O governo continua a destruir a economia do país, baixou a receita pois cada vez menos impostos entram no estado, não conseguiu baixar a despesa pois até agora não teve coragem de cortar os luxos dos amigos... e o país continua a mostrar que tanta austeridade ainda não deu beneficios a mais ninguém... senão aos que nos desgovernam.

Se os passes e os bilhetes da carris vão aumentar, o povo tem que saber porquê.
BÓNUS PARA GESTORES, AUMENTOS SALÁRIOS PARA GESTORES, 
PRÉMIOS DE MÁ GESTÃO PARA GESTORES
CARROS NOVOS PARA GESTORES...ETC
O PEC impõe o congelamento dos salários na Função Pública, assim como impoe os aumentos na electricidade, na água, nos transportes, nas taxas da saúde e nos impostos.... Para pagar os luxos deles!
É crime a ostensão de uns ás custas dos sacrifícios de outros.
Que gestão é esta?? Todo e qualquer cidadão se deve sentir ofendido quando vê os aumentos e regalias que se dão a uns, quando se pedem sacrifícios ao povo.É o mesmo que dizer: 
- Portugueses vamos lá cortar mais nas vossas economias que o sr milionário da Carris, ou da CP ou das Águas de Portugal precisa de um aumento de 65% no seu salário de 6 mil euros e precisa de um carro novo que o seu Mercedes, já tem 2 anos!!! 
Já tinha feito referencia á mesma situaçao na CP AQUI , Nas águas de Portugal. Todos estes organismos tem sido o exemplo de como se gerem em Portugal empresas do estado -  prejuízos de milhões e mesmo assim continuam no cargo os autores do "crime" e brindados com prémios, aumentos, carros etc e etc.

Em baixo podemos ver o exemplo da CARRIS e os seus luxos ...ás custas dos aumentos dos preços dos bilhetes. 
Ao longo dos últimos tempos, o que as notícias escrevem sobre a CARRIS.

CASO 1 - A Carris renovou, em 2010, a frota da administração com quatro carros de luxo, ano em que a empresa pública fechou as contas com um buraco de 775,5 milhões de euros, avança o Correio da Manhã. Alugou um Mercedes E350, um BMW 320D e dois Audi A6 2.0, no valor total de 176.182 mil euros. Com estes carros, a Carris gastou 3613 euros por mês no ano passado, escreve ainda o CM.
CASO 2 - Após os cortes salariais na Função Pública, o presidente ganha 6577 euros brutos mensais e cada vogal 5727 euros.
CASO 3 - A Carris apresentou 30 novos autocarros articulados, equipados com o serviço Carris Net Bus, fruto de uma parceria estabelecida entre a empresa de transportes lisboeta e TMN, que envolveu um investimento de 11 milhões de euros por parte da Carris. FONTE
CASO 4 - Outro exemplo é o da Carris. A empresa, que em 2009 teve cerca de 41 milhões de euros de prejuízo, viu, por decisão governamental, os ordenados dos seus gestores igualmente aumentados em  2009. O presidente ganhava 4.204 euros e passou a auferir de um ordenado mensal 6.923 euros (mais 65 por cento). Já os vogais passaram de 3.656 para 6.028 (mais 65 %). FONTE
CASO 5 - Quanto aos custos com pessoal, a administração da Carris recebeu um total de 420.556 euros em 2010, traduzindo-se num aumento nos vencimentos dos cargos de topo de quase 33 mil euros em comparação a 2009. FONTE
CASO 6 - Silva Rodrigues ( Presidente da Carris) admitiu que a Carris precisa de diminuir o pessoal, mas disse que a empresa "não tem dinheiro" para fazer rescisões. "Temos de nos endividar para o fazer [rescisões] e, neste momento, há limites ao endividamentofonte
( Esta é sem dúvida hilariante... não têm dinheiro para rescisões? Não tem dinheiro para nada... estão num buraco... mas têm dinheiro para aumentos dos chefes e para carros... que anedota.)
CASO 7 - A Refer apresentou ontem os resultados com os prejuízos de 146,5 milhões de euros em 2010. Só a dívida acumulada conjunta da CP e da Refer atinge os dez mil milhões de euros. Para Silva Rodrigues, a mobilidade é um serviço essencial a todos mas "as empresas não podem continuar a vender barato para todos". fonte

Está à vista de todos, a causa dos buracos que as empresas públicas APRESENTAM... contudo os gestores públicos e os políticos teimam em olhar para o lado e fingir que não sabem. 
- Luxos para gestores 
- Excesso de pessoal devido ás cunhas
- Salários milionários 
- Aumentos de 65% em época de crise.
- Prémios de produtividade aos que dão prejuízos de milhões (produzem prejuízo)
- Gestores mesmo com resultados negativos não são despedidos.
- Carros de luxo. 
- Caso da CP, motoristas ganham 50 mil euros 
ETC...ETC...ETC....

1 comentário :

  1. Se isto acontecesse em empresa privada os gestores estavam com um processo em Tribunal, por gestão danosa...

    ResponderEliminar