22 junho, 2012

Mais de 18 anos a roubar até o conseguirem apanhar.

Tudo começou com as alheiras, que mais caro saíram, a Portugal.

O jovem Duarte Lima comprou o seu futuro na politica e consequentemente, na corrupção, com as alheiras que oferecia a Margarida Marante. "Quando entrou para a Universidade Católica era olhado de lado e com estranheza pelos colegas. Pobre e provinciano, não se vestia como os outros. A mais tarde famosa jornalista Margarida Marante tornou-se sua amiga. Duarte Lima oferecia-lhe alheiras feitas pela mãe. Margarida apresentava-lhe amigos, sobretudo na área do PSD." CM
Foram precisos 18 anos a roubar os portugueses e a lesar um país, para que finalmente a justiça o colocasse onde devia estar desde a juventude.
Cavaco Silva seu grande amigo pessoal, profissional e partidário, deveria sentir vergonha de pretender ser credível como representante de um povo, quando é amigo dos maiores larápios do povo que representa, e dos maiores criminosos de Portugal. Até que ponto desconhecia o percurso e as vidas de luxo deste criminoso?
Em baixo relata-se o percurso tenebroso, de Duarte Lima, ilustre politico português e que convivia com os todos os ilustres políticos de Portugal. Em comum partilhavam a vontade férrea que os move e une sempre - saquear Portugal incessantemente. 

1- Desde os anos 90 que iniciou o saque, disfarçado com a lavagem de dinheiro. 
2- Já nessa altura,1994, houve uma investigação que como sempre não deu em nada.
3- O caso denunciava compras de terrenos e apartamentos em Lisboa e Sintra.
4- Foi também detectado enriquecimento ilícito através de tráfico de influências e branqueamento de dinheiro.
5- Entre 1992 e 1994 foram creditados mais de 750 mil contos em seu nome. (3,75 milhões de euros).
6- Fazia entrar o dinheiro nas contas em numerário, para ocultar de onde vinha e os motivos dos pagamentos.
7- As contas controladas por Duarte Lima nunca tinham saldos elevados. A técnica era fazer circular o dinheiro de conta para conta e depois fazia aquisições de arte.
8- Os investigadores dão um exemplo: uma conta do Banco Fonsecas & Burnay de Fernando Nunes (ex-sogro de Lima) foi usada como passagem de dinheiro que acabava em contas de Duarte Lima. 
9- Só nas contas em nome do ex-sogro e da ex-mulher, Alexina Bastos Nunes, foram transferidos para contas de Lima 474 mil contos.
10- A partir de 1993, fazia o mesmo mas alternou com contas de duas sobrinhas, Alda e Sandra Lima de Deus e alguns dos irmãos.
11- Duarte Lima, apesar de ter que estar em regime de exclusividade de funções, no Parlamento e de ter a inscrição suspensa na Ordem dos Advogados, mantinha uma intensa relação "profissional" com muitas empresas, situação detectada pelos dinheiros que entravam nas suas contas.
12- Na investigação são detectados, sendo assim ilegalmente, dezenas de depósitos feitos pela então Mota e Companhia a um ritmo mensal.
13- Manuel António da Mota, fundador da empresa já falecido, e o seu filho, António Mota, actual patrão da Mota-Engil, pagaram perto de 150 mil contos a Duarte Lima entre 1991 e 1993.
14- Lima, em 1993 começou a usar recibos verdes para explicar de onde vinha o dinheiro, mas apenas justificaram dois pagamentos a título de prestações de serviços. 
15- Começou, nessa altura, a receber dinheiro por antecipação a serviços a prestar no futuro.
16- Nas declarações efectuadas aos investigadores, tanto António Mota como Manuela Mota, também administradora da empresa, justificaram os pagamentos de 1991, 1992 e1993 disseram que foi para comprar obras de arte a Lima e ao ex-sogro. 
17- Disseram também que Lima era seu consultor internacional, (Angola) pois ajudava a construtora. 
18- Inconsistente pois o ex-deputado, tinha a inscrição suspensa na Ordem dos Advogados e nunca declarou ao Fisco estes rendimentos.
19- A Associação Nacional de Farmácias (ANF) também pagou milhares de contos a Lima.
20- Tanto em relação à Mota e Companhia, como à (ANF) e ainda as obras feitas num dos seus apartamentos de Lisboa Lima funcionou como um avençado no Parlamento.
21- Da Altair Lda. e da Portline S.A., Duarte Lima recebeu dinheiro a título de "despesas confidenciais" e "saídas de caixa".
22- A ocultação de dinheiro tinha como método favorito de Lima a compra de antiguidades e obras de arte. Só a três comerciantes de arte ele comprou 250 mil contos num curto espaço de tempo.
23- Para quem conhece a lei como ele, este era um  método seguro de ocultar a riqueza (branqueamento de capitais), pois são difíceis de controlar as transações  como consta no decreto-lei 325-95 (sem regras específicas e sem uma autoridade de supervisão)
24- Até 1995 o branqueamento e o tráfico de influências não eram crime, foi o Governo de António Guterres que mudou a lei. A bancada do PSD chefiada por Duarte Lima várias vezes recusou criminalizar este tipo de crimes.
25- Devido ao segredo bancário inviolável, a Suíça era um paraíso para ocultar capitais. Duarte Lima tinha contas no Swiss Bank e daí transferiu dinheiro para a Cosmatic Properties, Ltd., uma empresa offshore que utilizou para várias aquisições. Usou 233.883 contos para comprar uma quinta na região de Sintra que supostamente pertence a uma empresa, a Cosmatic, que por sua vez só terá enviado para Portugal 120 mil contos
26- As autoridades suíças, nunca forneceram os elementos pedidos pela investigação portuguesa porque Duarte Lima e a ex-mulher se opuseram, impedindo judicialmente que a carta expedida pelas autoridades portuguesas fosse cumprida.
27- Os ganhos na bolsa foram a grande desculpa de Duarte Lima para o seu enriquecimento. Declarou ter ganho 60 mil contos, mas apesar de ter o seu nome os investimentos eram de outras pessoas. Em dois dos casos tratava-se de empresas de construção: a Severo de Carvalho, a que Lima tinha grande ligação, e a Sociedade de Construções Translande.
28-  Mas os investimentos mais significativos na bolsa foram por contas do ex-deputado.
29- Os rendimentos declarados em sede de IRS, que não incluíram os da bolsa por não se encontrarem sujeitos a tributação, totalizaram 182 mil contos, entre 1987 e 1995. Mas o dinheiro movimentado  entre 1986 e 1994 é superior a um milhão de contos. Só entre 1992 e 1994 foram 640 mil contos.
30- Foi em 1981 que inicia actividade na capital como assessor político e de imprensa do ministro da Administração Interna, Ângelo Correia.
31- Nunca mais haveria de parar no seu caminho para o poder e para a fortuna.
32- A carreira meteórica de deputado coincidiu com uma ascensão política fulminante. Foi o todo-poderoso vice-presidente da Comissão Política Nacional do PSD entre 1989 e 1991, presidindo ao respectivo grupo parlamentar, de 1991 a 1994, durante o governo  de Cavaco Silva. 
33- Tinha acesso a todos os gabinetes de ministros e secretários de Estado, era um nome mágico para empresários e particulares sequiosos de influência e proveitos. 
34- Vêm então os escândalos e cai em desgraça. Primeiro um construtor civil de Mogadouro envia-lhe um fax para o Parlamento a pedir um "jeito" num concurso de obras. Depois a história da casa de Nafarros.
35- Lima terá gasto milhares de contos em regularização de quotas e inscrição de novos militantes, grande parte deles recrutados em bairros sociais.
36- Com 56 anos, Duarte Lima é um homem rico e poderoso. Na luxuosa casa da av. Visconde Valmor, no centro de Lisboa, ofereceu jantares luxuosos os convidados ainda recordam as antiguidades nos salões. José Sócrates foi um dos convidados mais famosos.
37- Pedro Lima, o filho, é TESTA-DE-FERRO, suspeito de branqueamento de capitais, burla qualificada e fraude fiscal agravada, foi libertado e diz que não tem dinheiro para pagar a caução de 500 mil euros, ainda que seja sócio e administrador de cinco empresas.
38- Duarte Lima (DL) está preso. Mas mais do que o homem, o que está sob suspeição é o que ele simboliza e a classe política a que pertence. Em primeiro lugar, porque DL foi o primeiro grande representante da promiscuidade excessiva entre a política e os negócios. 
39- Como tantos outros que se lhe seguiram, acumulava o seu papel de representante do Povo e do Estado Português com as funções de consultor de grupos que faziam negócios com esse mesmo Estado, como o grupo Mota. 
40- Assessorava até entidades cuja actividade depende de despachos administrativos do Governo, como a Associação Nacional de Farmácias e outros.
41- DL esteve ligado a negócios com o BPN. Onde contraiu empréstimos de cerca de 50 milhões, sem oferecer qualquer  garantia ao banco. Privilégios só concedidos quando não se espera que o dinheiro seja devolvido. Pretendia comprar terrenos em Oeiras onde pensava que se iria construir o IPO.
42- Também contraiu outro emprestimo ao BPN de perto de 7 milhões para comprar arte. 
43- Como todos os grandes vigaristas do regime, também andou pelo negócio sujo do imobiliário (comprar terrenos baratos, valorizando-os depois através da influência política nas câmaras e no Governo). Realizava assim fortunas com as vendas imobiliárias, mas também com os esquemas de financiamentos que hipervalorizavam as garantias.
Esta foi a resposta de Duarte Lima,
no Público.
(Clique para ampliar)
44- Em 1998, antes das eleições o director do Público, José Manuel Fernandes refere a escolha do PSD, sobre alguém com a "imagem pública tão negativamente marcada como Duarte Lima", recordando os "20 volumes e 11 apensos" do processo crime. Mas ele sente-se tranquilo para responder...
45 - (actualizado 22/6/2012) 
Duarte Lima com 'jackpot' de um milhão de luvas, na compra dos submarinos portugueses, terá recebido do contra-almirante Rogério d'Oliveira, um dos implicados na investigação das autoridades alemãs à compra dos dois submarinos. A ferrostaal pagou 62 milhoes de luvas, para que lhe comprassem os submarinos, Portugal e Grécia, os corruptos falidos, compraram. Para ajudar a afundar o país... 
46 - Duarte Lima recebe todos os meses 2200 euros de pensão vitalícia. A subvenção foi atribuída em 1995 por ter sido deputado e líder parlamentar do PSD. Fonte

Foi finalmente detido, mas não parado, pois o saque continua com subsídios e dividas ao estadoEm Portugal, deixou por quase 2 décadas um rasto descarado de crimes contra o estado, dos quais se conseguiu sempre safar impune. Fazendo jus ao ditado "diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és." Na politica, em Portugal, para além de se promover o crime ainda se protegem os amigos criminosos.
Siga este link e conheça Mais alguns crimes para somar

Fontes consultadas:

6 comentários :

  1. Talvez se às crianças, no ensino básico, fossem administrados conceitos de Honra, Honestidade, Dignidade, Domingos Duarte Lima (DDL) tivesse hoje uma vida normal. Talvez pobre. Mas normal.

    E também Oliveira e Costa, Dias Loureiro e, até, Cavaco Silva... e o país estaria melhor.

    A nossa educação não vinca nas crianças o valor de conceitos úteis a uma sociedade solidária e digna.
    O pai que, ganhando pouco, paga impostos é um "parvo" porém, o pato-bravo que suborna tudo e todos e foge aos impostos é um esperto...

    E a criança cresce com este paradigma: o que resulta é fugir aos impostos e corromper...

    Ser pobre é uma indignidade.
    Mas corrupto, é uma alta-individualidade!

    E aí está o DDL e os milhares de portugueses menos conhecidos mas igualmente já tendo "molhado a sopa" ou espreitando a sua "grande" oportunidade...

    Quando a sociedade está insensível à corrupção, e o seu nível mais representativo, o político, fede, só algo manifestamente limitador das tentações pode tentar travar o descalabro absoluto:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Polygraph

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A abstenção afinal obtém um resultado contrário, ao que pretendem os abstencionistas
      Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
      Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão ou porem o Marinho Pinto como cabeça de lista, por exemplo. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam.
      A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote. Também é por vossa culpa que os extremistas estão a ganhar terreno, e pela mesma razão. É fácil pôr os fanáticos a votar. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas dos partidos, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem de acordo com o que acham ser a melhor solução, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.

      Quando opta por não votar pode estar a atingir o resultado contrário daquilo em que acredita.
      Esclareça-se e compreenda porque é importante votar em consciência contra os partidos corruptos.
      Faça uma escolha, opte por votar com quem mais se identifica, e quem menos o lesou, o poder é seu! Use-o para ajudar todos nós.


      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/10/percebam-que-abstencao-afinal-obtem-um.html#ixzz4VIExhUcU

      Eliminar
  2. Era bom que alguem conseguisse fazer um apanhado dos valores que vieram da CEE desde 1986 e que foram desbaratados em subsidios inuteis, formações inuteis, apoios a projectos sem futuro, obras sem necessidade, em favorecimentos, e apresentar esses factos aos (irresponsáveis) politicos para os responsabilizar pelas consequências da sua incompetência e aproveitar para que se calem perante a evidência das péssimas opções que tomaram.Alguns deles andam por aí, na comunicação social e em tachos bem abonados a mandar bitaites sem vergonha na cara.
    Por cada bitaite que agora mandam deviam justificar os disparates e as opções erradas que tomaram quando passaram por cargos politicos em tempo de vacas gordas.
    Já estou a ficar velho, mas gostava que isto melhorasse para os filhos e netos. Olhando para trás verifico que houve demasiada incompetência e oportunismo no aproveitamento do dinheiro que veio das ajudas da CEE, pouco se fez na agricultura, nas pescas, na industria que criasse solidez de estruturas produtivas para o futuro. Isto foi culpa dos politicos e dos oportunistas, e a situação começou com o governo de Cavaco Silva e prolongou-se no tempo até aos nossos dias. Este problema de mau aproveitamento dos dinheiros comunitários, mais a corrupção dos politicos, mais as obras publicas mal contratadas, mais o BPN, mais as SCTs, são demasiados problemas para um país tão pequeno, e o que nos vale é que temos um povo com alma grande ..... e sereno.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O voto branco e nulo, tem poder?
      As mentiras são muitas, são estratégias sujas para manter as vitimas longe do tribunal onde os seus carrascos estão a ser julgados, e poderiam ser condenados: as urnas.
      "É de respeitar a posição de quem prefere não optar, mas o voto branco não funciona para quem quer tomar posição na luta social e política.
      Uma impressionante cadeia de emails anónimos tem divulgado uma mentira.
      Um apelo ao voto branco "contra estes políticos" garantia que, "se a maioria da votação for de votos em branco, são obrigados a anular as eleições e fazer novas, mas com outras pessoas diferentes nas listas".

      Tanto circulou a mentira, que a Comissão Nacional de Eleições teve de lançar um esclarecimento sobre a lei: "Os votos em branco e os votos nulos não têm influência no apuramento dos resultados - será sempre eleito, à primeira ou segunda volta, o candidato que tiver mais de metade dos votos expressos, qualquer que seja o número de votos brancos ou nulos." A abstenção nem é digna de referencia pois todos sabem que a esta tem diversas causas, e portanto não pode ser uniformizada. Não se pode apurar que o abstencionista quer isto ou aquilo, porque na realidade o abstencionista apenas não quis ou não pode votar, porquê? Apenas se pode especular.

      Os votos brancos e nulos já atingiram percentagens importantes. Somados, em eleições presidenciais anteriores, chegaram a 2% a 3%, ultrapassando mesmo alguns candidatos. Cabe perguntar: quem o recorda? Quem se incomodou? Quem vibrou e quem tremeu? Os votos brancos e nulos são uma má opção de protesto, desde logo porque podem não ser protesto nenhum. São apenas uma expressão vazia, onde cabe o apelo autoritário, a hesitação radical (que não se decide a tempo), a desilusão do momento. É de respeitar quem prefere não optar, mas o voto branco não funciona para quem quer tomar posição na luta social e política. Jorge Costa, Jornalista

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/11/o-poder-do-voto-voto-em-branco-e-nulo.html#ixzz4YE29VO6z

      Eliminar
  3. PORTUGAL é um pequeno País que apenas sofre da pouca vergonha que vai por esse Mundo e especialmente na Europa. Eu gostava que alguém que saiba me informasse, qual o motivo porque os homens do dinheiro dizem que são eles que fazem andar o Mundo. Será que são estes homens? Que fazem as obras, as descobertas, movimentam os transportes, fazem as vias de comunicação, produzem os produtos alimentício, fabricam todos os objetos com que nos vestimos calçamos etc. etc..Se não formos capazes de fazer valer a nossa força, perante esta gentalha que nos engana, que nos rouba e nos mente a toda a hora, não passaremos destas crises que os que trabalham são sempre os sofredores.

    ResponderEliminar
  4. A corrupção está legalizada e tem um nome novo: - AUSTERIDADE. A partir daqui continuaremos a ver os (i)rresponsáveis, com 'tempos de antena', a elogiar os grandes criminosos, corruptos e assassinos, salientando as suas grandes 'virtudes' de empreendedorismo.

    ResponderEliminar