14 novembro, 2011

Tal como o Natal é quando um homem quer, legitimo é quando um politico quer.

Aumentos transportes pagam luxos governo
AS EMPRESAS DE TRANSPORTES QUEREM DESPEDIR OS TACHOS, POIS TORNARAM-SE INSUSTENTÁVEIS. E AGORA, TADINHOS NÃO TÊM DINHEIRO. ESTÁ TUDO FALIDO; OS TRANSPORTES, A BANCA E O ESTADO, RESTAM OS RICALHAÇOS DE SEMPRE ... O SUPER ZÉ POVINHO PARA PAGAR OS ERROS DE GESTÃO CRIMINOSA DOS NOSSOS GESTORES PÚBLICOS.
Souberam fazer "orgias" e gozar, ostensivamente e ofensivamente  com o dinheiro do estado.
Souberam contratar, muitas vezes sem legitimidade e indo de encontro aos valores da democracia, boys e mais boys.


E agora perderam o controle da situação tal como qualquer gestor incompetente. E surge a noticia que afirma que o povo irá pagar estas indemnizações dos transportes.
Portanto os portugueses serão novamente chamados ao "castigo"... pagar erros dos nossos próprios ladrões, que contribuem para o continuado empobrecimento generalizado dos pobres. 
Aliás, para os mais atentos já se começa a entender que os governos actuais tem como estratégia global, o continuado enriquecimento dos ricos e submissão dos pobres, que por serem cada vez mais pobres e despojados de poder serão incapazes de os parar. Como poderão ver neste video bastante acertivo.

Em baixo seguem os links que estão dispersos no texto acima... denunciando o esbanjamento e ilegitimidade das gestões nestas EP. 
/2011/08/carris-precisa-de-cortar-pessoal-mas.html
2011/07/manuel-lopes-marques-ex-director-geral.html
/2011/11/estradas-de-portugal-e-anarquia-do-seu.html
/2011/08/carros-de-luxo-para-as-aguas-de.html
/2011/05/mais-um-escandalo.html
2011/10/regalias-sem-sentido-na-tap-e-outras.html
/2011/09/politica-serve-de-trampolim-para.html
/2011/10/12-milhoesano-em-cargos-da-era.html
/2011/10/mais-uns-boys-para-o-povo-sustentar.html

Em baixo, extractos da noticia
"O emagrecimento dos quadros de pessoal das empresas de transporte é uma das maiores incógnitas da reestruturação em curso no sector. Quanto vai custar? A que ritmo vão sair os cerca de três a cinco mil trabalhadores a mais? Quem vai pagar? Apesar do valor da factura ser para já desconhecido, só a última destas perguntas tem resposta: a reestruturação vai ser paga directamente pelos contribuintes.
"Hoje mal sobrevivemos até ao final do mês, estamos sem dinheiro nem acesso a financiamento. Antes as reestruturações eram feitas pelas empresas com recurso à banca, opção que já não existe", explicou um administrador de uma empresa de transporte ao i. Como as empresas mal têm dinheiro para chegar ao final do mês – só conseguem pagar salários graças a empréstimos do Estado –, não têm qualquer margem para avançar com rescisões ou despedimentos, o que vai obrigar o governo a substituir as empresas no pagamento aos funcionários que forem convidados a sair. Ora como nem todas estas empresas estão incluídas no Orçamento do Estado, tal pode trazer uma despesa para os cofres públicos inesperada. " fonte

Sem comentários :

Enviar um comentário