29 julho, 2011

Enriquecimento muito conveniente. Esgotar as reformas alheias...



2008 - "O ex-presidente da comissão executiva do (BCP), Paulo Teixeira Pinto, saiu há cinco meses do grupo com uma indemnização de 10 milhões de euros e com o compromisso de receber até final de vida uma pensão anual equivalente a 500 mil euros". fonte
Aos 46 anos este jovem bafejado pela sorte de ter um bom tacho, teve direito à reforma vitalícia devido a um relatório da junta médica que o atesta incapaz, por doença. Bingo...

Desta forma a sua incapacidade para o BCP foi muito conveniente pois resultou num enriquecimento rápido e num cargo novo numa consultora financeira que por acaso aceita reformados por incapacidade.
Para os de compreensão lenta e memória curta, as juntas médicas são aqueles senhores que se recusaram a dar baixa a professoras com cancro, e outros doentes igualmente remediados...
Baixas e reformas é um direito exclusivo para os ricos... pensávamos que era para doentes, carenciados, esfomeados?
Suponhamos que este senhor vive só até aos 76 anos... são 30 anos a receber 500 mil euros por ano...
  1. Paulo Teixeira já não está incapaz, para fazer parte dos boys da EDP!
  2. O BCP e o regabofe
  3. Paulo Teixiera Pinto, no Grupo Lena
  4. FMI DENUNCIA A MÁ DISTRIBUIÇÃO DOS APOIOS SOCIAIS,
  5. Bolsas de estudo para os carenciados e brilhantes?
  6. Fundos de investigação para quem irão?
  7. TRANSFERÊNCIA DAS PENSÕES DA  BANCA, PARA O ESTADO?

3 comentários :

  1. Eu,um simples operário emigrante na Holanda desde 1964 e já velhote (87anos)a propósito digo aqui que a Caixa Geral de Aposentações me roubou a minha parca pensão de velhice a que me julgo com direito,por eu ter perdido a nacionalidade portuguesa e ter obtido a nacionalidade holandesa.Mas eu que vim p'rà Holanda já com 40 anos de idade,decidi aos 47 anos pedir a nacionalidade holandesa para assegurar o meu trabalho e minha estadia aqui.Mas eu só vendi a minha fôrça de trabalho, não vendi a minha alma que continua portuguesa até à morte.Sinto-me mais português do que êsses filhos da pata que os amassou em má hora, que roubam e desgovernam Portugal e o vendem aos bocados aos interêsses estrangeiros.Que a minha parca pensão de velhice lhes sirva de veneno.

    ResponderEliminar
  2. Certamente será mais português do que este clã de políticos que desde o 25 de Abril saqueiam a pátria e o povo... que cometem crimes que são autênticos atentados contra a independência e integridade de Portugal como nação.
    Neste momento somos uns pobres pedintes dependentes de empréstimos e caridade.
    Outrora este tipo de crimes que fazem estremecer as bases de uma nação inteira, seriam considerados traição e condenados à guilhotina... hoje permite que os traidores permaneçam impunes e continuem a circular pelas mais respeitadas e vitais áreas da politica e economia.

    ResponderEliminar
  3. BCP agente direto de Phishing
    Somente os bancos têm condições técnicas para monitorar, detectar e prevenir transações fraudulentas. Ninguém melhor que o fraudador (BANCO) pode remover imediatamente do sistema todas as provas após a execução do golpe.
    Sobre as denúncias e as reportagens do tema “vítimas de Phishing”, “BPN – A Fraude” é minha obrigação alertar os consumidores o meu caso.
    De análise refletida no tempo, foi evidente a utilização maléfica deste alegado esquema (phishing), estando o próprio banco diretamente ligado ao golpe.
    Aqui a invasão de Phishing é dentro do próprio banco mediante artificiosos altamente engenhosos, visivelmente posicionados de forma a interferirem diretamente no golpe fraudulento, de livre acesso ao sistema do banco, como se fossem os legítimos clientes.
    Nenhum outro intermediário da cadeia de comunicação informática está tão ligado á vítima de phishing do que o seu próprio banco.
    O meu caso está ainda a ser dirimido em Tribunal desde o ano 2000, não nos termos “BCP agente direto de Phishing” mas enquadrado em todos pressupostos criminais.
    Confirmo este designo criminal desde sempre, realistas e devidamente fundamentado tornando incompreensível a passividade do conhecimento total das mais altas Instâncias Portuguesas.
    Assim, resumo denúncia do agente direto GOLPE de PHISHING:
    1 – Fiz uma transferência de 449.979,79 € e esse dinheiro não consta em nenhum extrato de conta. Pura e simplesmente sumiu.
    2 – É junto ao processo um extrato falso do BCP suprimindo da minha conta 1.027.523,67 €.
    3 – O Senhor Juiz coadjuvado durante 4 anos pelo Sr. Perito Judicial acusado de 108 crimes de associação criminosa, cujo no entendimento do MP também entravam neste esquema criminoso alguns funcionários judiciais que tinham de influenciar os Senhores Juízes com pareceres positivos. Por coincidência o Sr. Perito tem escritório no mesmo edifício onde reside o Ex-administrador do BCP Drº. Alípio Dias, foi dado cumprimento á execução de uma calamitosa injustiça fazendo-se uma transferência da minha conta para o BCP no montante de 396.093,02 €.
    E aqui, pelas razoes expostas, não se pode permitir levar uma pessoa á mais completa destruição, “AGUENTANDO” com dois enfartes e a ser tratado no H.S.J. de uma depressão profunda, vivendo privado de qualquer fonte de sustento, isolado de tudo e de todos.
    Espero só, que a Justiça tire a venda dos olhos para poder ver o que óbvio…e só espero um dia poder retribuir tudo o que por mim possam fazer.
    Hermenegildo Ferreira
    Hermenegildof@sapo.pt

    ResponderEliminar