25 agosto, 2011

160 MILHÕES DE EUROS EM SOFTWARE.Contratos não visam poupar dinheiro público mas enriquecer empresas amigas.


Estado gasta 160 milhões de Euros por ano em software.
A ESOP que afirma que fácilmente o estado pode reduzir esta despesa supérflua, para menos 80 milhões, e simultaneamente promover  empresas de Portugal, em vez das estrangeiras.
Infelizmente e apesar de muitos países já terem descoberto soluções eficazes para poupar dinheiro, em Portugal, tudo que envolva competência e poupar faz alergia aos nossos governantes.
A única explicação para casos tão gritantes de incompetência só é possível por todos sabermos que no governo não temos gestores...  apenas "boys". E os contratos não visam poupar dinheiro público mas enriquecer empresas amigas.
Já outra empresa, a ANSOL, tinha apresentado um estudo semelhante.

"A ESOP examinou os dados apresentados em http://www.dgo.pt/cge/cge2009 e chegou à conclusão que a Administração Central do Estado despendeu no ano passado cerca de 160 milhões de Euros em “Software Informático”.
 A ESOP está disponível para colaborar com o Estado português num plano que permita baixar drasticamente a despesa com software na Administração Pública, através da utilização de software de código aberto – software “open-source”. Com base nos valores que constam do Catálogo Nacional de Compras Públicas a ESOP calcula que é possível atingir uma poupança de 50% a 70% na maior parte das aquisições de software do Estado. O que representa uma redução dos custos em software de pelo menos 80 milhões de Euros/ano.
O software open-source não só permite grandes poupanças, mas também a melhoria da balança comercial, com a substituição das transferências externas inerentes ao licenciamento, pelo investimento na economia nacional em formação e consultorias técnicas efectuadas por empresas portuguesas.
O software open-source é amplamente utilizado no mundo inteiro. Apenas alguns exemplos:
A Google, a Amazon e o Facebook têm toda a sua infra-estrutura baseada em software open-source
A Bolsa de Londres (“London Stock Exchange”) tem a sua infra-estrutura baseada em software open-source;  Os smartphones Android, que já lideram o mercado, são baseados em software open-source;
As administrações públicas da Espanha, Noruega, Países Baixos e França são fortes utilizadoras de software open-source;
O software open-source pode ajudar as finanças e a economia portuguesa. É esta a proposta da ESOP."




AO MINUTO 19, UM EMPRESÁRIO EXPLICA COMO É QUE O ESTADO FAVORECE EMPRESAS E LESA A LIVRE CONCORRÊNCIA



2 comentários :

  1. Se já andava deprimido antes de conhecer este blogue, agora fiquei muito mais...

    Tenho trabalhado num projecto de ruínas e património arquitectónico e não consigo compreender a causa de maior parte destes desgraçados edifícios...

    Andava à procura de respostas para toda esta calamidade... encontrei-as agora...

    Continuem o vosso trabalho, eu prometo não dar tréguas com o meu...

    Com LUZ e votos de um bom Ano Novo...

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pelas palavras de alento, que servem também para ajudar a divulgar o conteúdo do blog.

    ResponderEliminar