31 outubro, 2014

A sociedade europeia está em vias de se auto-destruir.


O QUE NÃO TE CONTAM SOBRE A DIVIDA

Um olhar chinês sobre a Europa
A China é hoje a fábrica do mundo. Quase tudo o que se consome, com excepção da alimentação e bebidas, é hoje 'made in China'.
Pensou-se, em tempos, que a Europa e o mundo ocidental teriam uma saída sólida face à progressão chinesa nos mercados mundiais. Essa saída consistiria em produzir cada vez mais produtos de maior valor acrescentado e maior sofisticação tecnológica. A China apropriar-se-ia dos têxteis, do calçado, dos brinquedos, dos plásticos…  A Europa continuaria a exportar electrónica, tecnologias de informação e comunicação, aeronáutica espacial, serviços avançados...
Esse era o modelo dos economistas da minha geração. Hoje sabemos que pensámos de forma excessivamente linear e simplificada. A China avançou para todos os sectores sem excepção e concorre com o mundo ocidental. Os desequilíbrios instalaram-se e são preocupantes... para não dizer intransponíveis.
Insucesso para o paradigma em que pensaram os economistas e políticos ocidentais. Sucesso para a China.
Face às dificuldades estruturais desta globalização desequilibrada, vale a pena transcrever aqui excertos de uma entrevista de um professor chinês de economia (que corre no Youtube). Sobre a Europa, o Prof. Kuing Yaman - que viveu em França - faz as seguintes asserções:

1. A sociedade europeia está em vias de se auto-destruir. O seu modelo social é muito exigente em meios financeiros. Mas, ao mesmo tempo, os europeus não querem trabalhar. Só três coisas lhes interessam: lazer/entretenimento, ecologia e futebol na TV! Vivem, portanto, bem acima dos seus meios. Porque é preciso pagar estes sonhos de miúdos...

2. Os seus industriais deslocalizam-se porque não estão disponíveis para suportar o custo de trabalho na Europa, os seus impostos e taxas para financiar a sua assistência generalizada.

29 outubro, 2014

Mesmo que crescêssemos 4%, a dívida aumentará sempre 9,2 mil milhões por ano.

A Grécia pediu ao BCE a devolução de tudo o que o BCE ganhou com a sua divida. Portugal tem direito a pedir 4,6 mil milhões ao BCE e não o fez? Veja no video... o inexplicável e insuportável! 9,2 mil milhões, crescerá a nossa divida por ano e o aumento de impostos é um sofrimento inútil.


NESTE VIDEO: Os números da Ruína portuguesa.
Portugueses prisioneiros e escravos de uma divida que não terá fim e crescerá sempre de forma insustentável.
1 - Tínhamos que crescer 12% ao ano para conseguir travar o aumento da dívida. Crescemos realmente 0,5 ou 0,6%. 20 vezes menos. Mesmo que crescêssemos 4%, a dívida aumentará sempre 9,2 mil milhões por ano.
2 - A Grécia exigiu de volta os milhões que o BCE ganhou com o resgate grego, apesar de mais de metade da dívida lhe ter sido perdoada.
Portugal não pediu o reembolso desse lucro. Por isso perdeu mais de 4,6 MIL MILHÕES de euros. Só até 2016. Equivale a 13 vezes o buraco do Tribunal Constitucional, com que o governo e comentadores enchem a boca.
3 - O nosso desemprego aumentou em 9% enquanto na Irlanda diminuiu 20%
4 - Apesar disso a asfixia fiscal aumentou 69% o que significa que quem paga impostos está a pagar o dobro do que pagava em 2009.
5 - E tudo isto para quê? Para que a dívida portuguesa continue a aumentar 9,2 MIL MILHÕES /ano. Mais do que o que gasta o maior dos ministérios por ano: o da Educação que se fica pelos 8 Mil milhões

27 outubro, 2014

Traição: Políticos encomendam e aprovam leis de ditadores? Vale tudo para se protegerem.

Chegamos a um ponto tal de abuso que já achamos tudo normal.
Achamos até normal que os políticos que supostamente deveriam estar do lado dos cidadãos, se coloquem contra os cidadãos, e
que façam tudo para se proteger da ira que provocam neles.
Nem achamos estranho que se estas pessoas que nos desgovernam fossem pessoas de bem, honestas, leais ao país e justas, não teriam que se proteger do povo, mas sim dos que atentam contra o povo e o país.
Se fossem pessoas de bem teriam os cidadãos do seu lado e a apoia-los.
Mas adormecidos nem questionamos porque se protegem eles do poder e da ira do povo?
Porque ocultam privilégios?
Porque encomendam e aprovam leis sem consultar ninguém, para ampliar os seus privilégios?
Porque encomendam e aprovam leis para saírem sempre impunes de qualquer tramóia?
Porque desprezam as manifestações?
Porque utilizam o referendo apenas em situações em que o povo nada pode decidir que lese os interesses da elite politica e seus protegidos?
Porque as petições são invalidadas por decisão dos deputados?
Ao povo nada aos corruptos tudo?
Porque construíram um forte intocável, atrás do qual se protegem, forçando o cidadão a assistir impávido e impotente ao saque do seu país, sem nada poder fazer para os travar ou punir?
Porque as campanhas são um engodo repletas de mentiras sem consequências?
Para eles, os mentirosos, vale tudo para enganar inocentes e ingénuos e levar o povo a perpetuar os inimigos de Portugal, no poder.
O poder que eles precisam para decidir que é o povo que tem que pagar as dividas e os juros deles, e dos banqueiros amigos.
O poder que eles tanto precisam para colocar 10 milhões de portugueses escravos ao serviço do BCE.
O poder que eles tanto precisam para fazer de Portugal o paraíso deles e o inferno do povo.
O poder que eles tanto precisam para legislarem em seu beneficio e protecção.

"O segredo dos privilégios dos políticos já é lei.
Já tem a forma de Lei n.º 64/2013, de 27 de agosto, o sigilo dos privilégios dos políticos e foi hoje publicado no Diário da República.
Portanto, por proteção da lei agora aprovada pela Assembleia da República, com os votos favoráveis do PSD, CDS/PP e do PS, passaram a ser secretos os privilégios dos políticos.
Vejam-se, neste caso e segundo esta lei, por exemplo, as chamadas pensões de luxo atribuídas aos ex-políticos (ex-deputados, ex-Presidentes da República, ex-ministros e ex-primeiros-ministros, ex-governadores de Macau, ex-ministros da República das Regiões Autónomas e ex-membros do Conselho de Estado) e os ex-juízes do tribunal constitucional, passaram a ser escondidas do povo português.
A partir de agora e na vigência desta lei, os portugueses e contribuintes ficam a desconhecer quem são e quanto recebem financeiramente do erário público e do orçamento geral de estado os ex-políticos e governantes.
O que é o mesmo que dizer que os políticos e governantes passam a poder decidir secretamente entre eles a atribuição a si mesmos dos benefícios, regalias, subsídios ou outras mordomias, sem que os portugueses, o povo português portanto, ou até mesmo os tribunais, tenham direito a saber o que os políticos fazem com o dinheiro que é de todos nós.

22 outubro, 2014

Portugueses trocaram a lealdade ao país pela lealdade aos partidos.

futebol milionários politica Há décadas que vivemos tempos muito difíceis mas continuamos a fingir que desconhecemos a causa e que não temos poder para dar inicio ás mudanças necessárias.
Milhões de portugueses perderam os laços fundamentais que os ligavam à pátria mãe e os ajudariam a proteger o país e os seus concidadãos. Por isso Portugal está abandonado por aqueles que deveriam zelar por ele.
Os oportunistas apoderaram-se dele para seu deleite e abuso.

Um povo cego e confuso graças a anos e anos de treino. 
As pessoas foram manipuladas/ treinadas pelos media e pelas campanhas eleitorais para serem fieis e cegos seguidores de partidos, transferindo o dever cívico de lealdade ao país, por uma lealdade cega aos partidos.
Para agravar este triste cenário de eleitores acriticos, temos os eleitores reféns da adrenalina criada pelo suspense de saber quem ganha e quem perde as eleições, são assim levadas a torcer para que o seu voto/clube seja vencedor, numa atitude acrítica e típica do espírito de claque, superficial, histérico, cego e injusto. Não importa quem merece ganhar, quem é melhor para o país, ou quem é mais honesto, ou menos desonesto...  interessa é que ganhe o meu partido.
A análise e avaliação responsável do desempenho e da seriedade dos partidos, é assim substituída por uma cegueira acrítica que permite eleger mesmo os mais corruptos descarados.
O voto, que deveria ser uma arma do povo para fazer justiça votando contra os piores e/ou a favor dos melhores e assim moderar o abuso dos políticos, através da punição, da avaliação, da critica e censura que o voto permite, mas o voto passou a ser usado de forma inconsequente, desfasado da
realidade e não um reflexo da realidade.
É como se se tratasse de um jogo de futebol, quer o seu clube jogue bem ou mal, o adepto fanático não muda de clube. Isso até é normal... o que não é normal é acharem que ser adepto de futebol é o mesmo que ser eleitor.
É urgente perceber que um eleitor que não pune os maus partidos, equivale a um juiz que se recusa a aplicar a pena a um ladrão ou o professor que se recusa a dar a nota aos alunos.
As decisões do eleitor, ao contrário da dos adeptos do futebol, afectam profundamente os destinos do país, e de todos nós.
A função do eleitor não é fazer ganhar o seu partido, é fazer ganhar os partidos que melhor servirão o país, ou seja, menos corruptos e menos desonestos ao mesmo tempo que fará perder as eleições, aos mais desonestos e aos mais corruptos.

O eleitor português, ao contrário dos eleitores dos países menos corruptos do mundo, ainda não possui literacia e maturidade politica. Ainda vêem os partidos como sendo apenas o seu clube do coração, mesmo que façam batota, roubem, percam ou ganhem, façam asneira ou mintam, têm que ser defendidos pelos seus adeptos, contra tudo e contra todos.
Os poucos que votam em Portugal, fazem-no com o espírito de adepto, deliram por nas eleições sentirem que podem influenciar o "jogo", para eles o seu voto é um golo, para ajudar o seu clube/ partido, a ganhar o jogo.
E com eleitores bem fidelizados aos partidos e bem treinados como fieis, cegos e acríticos, os partidos perceberam que podiam roubar, mentir, enganar, desgraçar o país e as famílias, que os clubes com mais adeptos, vencerão sempre.

O resultado para todos nós, é desolador, existem muitos países onde a corrupção é quase nula e onde as pessoas vivem bem, mas Portugal tem sido o país do mundo onde a corrupção mais se agravou (entre 2000 e 2010 baixou 10 pontos na Transparência Internacional). Mas as pessoas continuam a não parar para pensar, continuam presas à manipulação.
Ainda achas que não está na hora de acordar? Reagir e lutar por um país melhor?Vais continuar a gritar golo cada vez que um partido corrupto é eleito? Cada vez que um jovem emigra? Cada vez que um idoso morre abandonado e sem dinheiro para se tratar? Cada vez que uma escola e um hospital fecha e abrem mais e mais privados? Vais gritar golo cada vez que noticiarem que o teu partido desviou mais uns milhões a todos nós? Golo cada vez que o teu partido ajudar a salvar um banco? Golo cada vez que um partido corrupto, o teu, ganha o acesso aos milhões dos teus impostos? 
Está na hora de fazer justiça. Portugal e os pobres portugueses não pode continuar a ter o seu futuro na mão de eleitores irresponsáveis que raciocinam como adeptos fanáticos de futebol. Vote com justiça, seja responsável, não eleja partidos com rastos de corrupção. 
Não deixe que sejam apenas os adeptos cegos a votar... é urgente que todos os portugueses que desperdiçam os votos em nulos, brancos e abstenção, comecem a votar válido contra os partidos mais corruptos, só assim poderemos contrariar e vencer as escolhas irracionais dos eleitores acriticos.

16 outubro, 2014

A mentira e a manipulação são a mais poderosa arma dos corruptos.

Desde 2011 que este blog compila casos de corrupção, um fenómeno que devasta Portugal há décadas sem que nenhum governo o tente sequer travar. E o país empobrece na medida em que a corrupção cresce.
A mentira e a manipulação são uma poderosa arma de corrupção, perpetuam os corruptos no poder. Basta recordar que é com mentiras e manipulações que se têm ganho eleições.  
Pior que termos milhões de portugueses que não sabem o que fazer para lutar contra a corrupção, é termos milhões de portugueses, que sem o saber, ainda apoiam a corrupção ao ajudarem a comunicação social a disseminar as mentiras e a não as questionar e censurar.
É importante não esquecer as palavras de Malcolm X “Se você não estiver atento, os jornais farão odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo.” 
É pois um dever de cidadania mostrar ás pessoas como desmontar e reconhecer a manipulação. Porque lutar pela verdade é também uma luta contra a corrupção.

Este blog sempre tentou defender a verdade e primar pela isenção. Posso falhar mas o esforço é sempre nesse sentido.
Fui avisada, por vários seguidores, para desistir de defender Marinho Pinto porque iria ser "cilindrada", perseguida e "esmagada". Tenho notado que sim. Mas atrevo-me mais uma vez a defender a verdade, correndo o risco de ser mal interpretada e acusada de estar a defender o PDR ou o Marinho Pinto.
Já antes me atrevi, contra tudo e contra todos, expor a verdade sobre outros casos manipulados da politica, e portanto já conheço a reacção do público, pensar que estou a defender partidos.
Quando estava na moda atacar o Ministro da Economia, percebi que havia ali algo estranho e descobri os famosos vídeos, que a comunicação social desprezou/camuflou onde era explicada toda a verdade no caso da EDP versus Álvaro Santos Pereira e Henrique Gomes. Defendi a verdade sobre Manuel Monteiro. Mais um que quis lutar por Portugal e foi esmagado.
Contudo sei que para as pessoas isentas é fácil perceber que não significou que eu estava a defender o PSD ou o CDS, apenas a forma como se silenciam os inconvenientes.
Neste artigo irei tentar expor as mais recentes manobras de manipulação que visam silenciar a nova ameaça ao sistema que os corruptos tanto prezam e protegem, ao que parece Marinho Pinto é uma ameaça. 

14 outubro, 2014

Face oculta: Os condenados vão recorrer das sentenças. Usarão todas as diligências, provocarão todos os incidentes.

Neste video: Cidadão envergonha Armando Vara no tribunal: Devia ter vergonha! 

Vara à solta
Como no jogo de Monopólio, dispõem do cartão ‘Você está livre da prisão’.
Armando Vara foi condenado a cinco anos de prisão efetiva. Mas continua à solta. Impunemente. Vara e Penedos, poderosos e ex-governantes, o sucateiro Godinho e seus cúmplices foram condenados à cadeia e a restituir milhões de euros. Mas ainda não cumpriram nem um dia e não devolveram nem um cêntimo. Como no jogo de Monopólio, dispõem do cartão ‘Você está livre da prisão’.

O processo ‘Face Oculta’ constitui, apesar de tudo, um avanço neste sistema de justiça desolador. A sentença proferida pelo Tribunal resultou duma ação bem conduzida pelos investigadores da Judiciária, capitaneados pelo destemido Teófilo Santiago.
A forma cuidadosa como o Ministério Público proferiu acusação é também uma das chaves do sucesso. E, finalmente, um Tribunal corajoso proferiu uma sentença inédita, condenando corruptos e traficantes de influências. E que incorpora ainda uma fortíssima censura social à permanente promiscuidade entre a política e os negócios.

12 outubro, 2014

As grandes sociedades de advogados são já ministérios-sombra.


Ao lermos o livro "Os Facilitadores", uma investigação da corrupção instalada entre o estado e alguns escritórios de advogados, sentimos uma indignação crescente à medida que tomamos consciência da aberração que é, sermos vitimas, irremediáveis, de uma espécie de corrupção legalizada. Tráfico de influências sofisticado à vista de todos, o crime legalizado?
Muitos dos respeitáveis senhores que comentam na TV, e muitos dos que se movem na politica, e a quem os portugueses ainda dão ouvidos e votos, fazem parte desta conspiração devastadora.

"As grandes sociedades de advogados adquiriram uma dimensão e um poder tal que se transformaram em autênticos ministérios-sombra.
É dos seus escritórios que saem os políticos mais influentes e é no seu seio que se produz a legislação mais importante e de maior relevância económica.
Estas sociedades têm estado sobre-representadas em todos os governos e parlamentos.
São seus símbolos o ex-ministro barrosista Nuno Morais Sarmento, do PSD, sócio do mega escritório de José Miguel Júdice, ou a centrista e actual super-ministra Assunção Cristas, da sociedade Morais Leitão e Galvão Teles.
Aos quais se poderiam juntar ministros de governos socialistas como Vera Jardim ou Rui Pena.
Alguns adversários políticos aparentes são até sócios do mesmo escritório. Quando António Vitorino do PS e Paulo Rangel do PSD se confrontam num debate, fazem-no talvez depois de se terem reunido a tratar de negócios no escritório a que ambos pertencem.

10 outubro, 2014

Não podemos subestimar a porta que Marinho Pinto, quer abrir.




O link para o site do PDR, Partido Democrático Republicano de Marinho Pinto, incluindo os documentos para a recolha de assinaturas.
“Há um novo projecto político para Portugal e que tudo fará para aperfeiçoar a democracia política, a democracia económica e democracia social”, declarou Marinho e Pinto, numa alusão ao PDR, cujo lançamento, na Casa Municipal de Cultura de Coimbra, juntou cerca de três centenas de simpatizantes, que não pouparam aplausos ao fundador do novo partido.

Num discurso recheado de críticas aos partidos políticos - “o caminho que estamos a trilhar é de suicídio colectivo”, apontou - o ex-bastonário da Ordem dos Advogados proclamou mudanças no sistema partidário, afirmando que “é preciso abrir os partidos políticos aos ares novos da democracia”.
E lançou um apelo a todos aqueles que não se revêem no actual sistema a aderirem ao novo PDR. “Queremos mudar a forma de fazer política em Portugal”, defendeu, sublinhando que “o país tem muito a ganhar com a abertura da política aos cidadãos”. E daqui partiu para explicar a posição do PDR no plano da democracia participativa.
 “Qualquer cidadão deve poder candidatar-se autonomamente a qualquer cargo público, sem ter a dependência de um partido político”, defendeu.  Realçou depois  a necessidade de os deputados serem “autónomos e independentes” do seu partido, referindo que estes celebram “compromissos com o cidadão e não com o partido”. “Antes das eleições, os deputados passeiam-se pelo país a prometer tudo aos eleitores. Mas uma vez eleitos esquecem-se dos compromissos que celebraram com quem os elegeu”, acusou, criticando os partidos que “se isentam a si próprios de impostos mas que impõem impostos que esmagam cidadãos e empresas”.

09 outubro, 2014

Em Cuba os cidadãos são obrigados a escolher "socialismo ou morte", mas em Braga podemos ter "socialismo e morte", tudo ao mesmo tempo. O melhor de 2 mundos: este e o outro.

clube dos socialistas mortos visão ricardo araujo
Já nem os falecidos escapam à desesperada guerra pelo apetecido poder em Portugal. Um "trono" onde tudo lhes é permitido e todos os crimes perdoados.
Profanar o sossego dos mortos é mais uma medida desesperada para engrossar as fileiras da seitas partidárias e exibir poder.
Aos gladiadores de poleiros milionários, já não lhes bastavam as mentiras, as promessas falsas, a manipulação, a demagogia e até as simuladas guerras internas.
Agora partiram para atacar no além!?
Vale tudo para alcançar o poleiro em Portugal. Ricardo Araújo Pereira, expõe o ridículo das hienas esfomeadas.

"Exmo. Sr. Presidente da Federação do PS de Braga,
Na qualidade de socialista falecido em 2005, venho felicitar a sua federação por possibilitar a
participação de mortos no processo eleitoral.
Durante demasiado tempo, só pessoas vivas eram chamadas a votar, pelo que se saúda o alargamento do espectro eleitoral a espectros eleitores.
A iniciativa de V. Exa. produz efeitos ideológicos que, tenho a certeza, hão-de marcar a história do socialismo.

07 outubro, 2014

Passos Coelho inventa conceito: Malabarice, filha do malabarismo e da malandrice

"Malabarice
Um dia, Passos Coelho inventou este termo a propósito de qualquer coisa: malabarice. Não explicou, mas esta filha do malabarismo e da malandrice, que não existe ainda nos dicionários (pelo menos no Aurélio), foi uma magnífica contribuição para a literatura nacional, que só posso saudar.
Malabarice é o que estamos a viver hoje.

Malabarice é o secretário-geral do Parlamento apresentar informações falsas para proteger o seu correligionário, quando tem obrigação de prestar informações verdadeiras.

Malabarice é Passos Coelho fingir que abdicou de 10% a título de exclusividade quando recebia 15% por ser vice-presidente da bancada, o que o impedia de receber os malabaristas 10%.

Malabarice é receber um subsídio de reintegração quando já se tem um trabalho pago e se continua a ocupar o mesmo posto no mesmo trabalho pago.

05 outubro, 2014

Este é o sistema que ninguém deve enfrentar sozinho e todos os patriotas e defensores da liberdade devem unir esforços para o combater. Não podemos subestimar a porta que Marinho Pinto, quer abrir.


A PERSEGUIÇÃO CERRADA CONTRA MARINHO PINTO. Ouça uma entrevista de um bravo jornalista a quem eu gostaria de perguntar se é igualmente bravo quando entrevista Cavaco Silva sobre o BPN, Passos Coelho sobre a Tecnoforma, Sócrates sobre as PPP, as SWAP, as rendas da EDP? O Vara sobre a traição à pátria? etc etc



Primeiro criticavam-no porque falava, falava mas não agia...
Decidiu agir, agora criticam-no porque está a agir.
Criticaram-no por ir ganhar muitos milhares como eurodeputado, agora quer vir ganhar menos como deputado, mas ainda assim é criticado.
Criticam-no por ter cão ou por não ter, por dizer ou não dizer, por fazer ou não fazer...  e o mais interessante é que a comunicação social, e seus anexos divertem-se a fazer-lhe perseguição descarada... o povo será assim tão ingénuo, que os capangas do sistema são aplaudidos por manipular a verdade, e por lançarem uma perseguição descarada a quem luta contra o sistema?

Imperdivel!
(Comentário que um cidadão deixou ao video em cima (canal do Youtube, deste blog.)

"Tenhamos em mente o seguinte:
1) O burro, o avô e a criança. Esta história será sempre actual. (para quem não conhece a história)
2) Obviamente que a máquina trituradora da comunicação social ligada ao discurso do poder está concebida e opera para "desinformar" as massas, condicionando o seu comportamento através da sua formatação intelectual e social, e neutralizar tanto os imunes a essas acções como os revoltados contra o sistema que controla a dita máquina. Estes, frequentemente e por motivos óbvios, são os mesmos.
A forma mais eficaz de materializar a neutralização das células de revolta ou fonte de clarificação da realidade sócio-politica que poderá levar a uma revolta, é a sua descredibilização.
Um flagrante exemplo disso é o desprezo e ligeireza incutida na desvalorização da palavra "conspiração" através da adição da palavra "teoria". Esta expressão foi e é usada até à exaustão de forma perniciosa e desvalorizada levando a que hoje a palavra "conspiração" seja automaticamente desprezada e até associada a patologias diversas de foro clínico mental como paranóia e esquizofrenia.

04 outubro, 2014

Não digam que não sabiam... "Os Facilitadores" contam tudo.

Os Facilitadores. Para quem ainda não leu esta obra única e que representa um contributo inestimável para a refundação da verdadeira democracia, pela exposição/confirmação que faz, da falta dela, deixo-os com o expressivo incentivo à sua leitura, pela opinião de Miguel Sousa Tavares.

«Não digam que não sabiam...
Com o apropriado título de "Os Facilitadores" (A Esfera dos Livros), o jornalista e jurista Gustavo Sampaio, já autor de um muito recomendado "Os Privilegiados", acaba de pôr cá fora um notável trabalho de 380 páginas, que é um verdadeiro serviço público - daqueles que, uma vez feitos, já não permitem a ninguém dizer que não sabia ou não imaginava.
"Os Facilitadores" é uma eloquente, exaustiva, e muitas vezes penosa, incursão ao mundo submerso dos grandes escritórios da advocacia de negócios de Lisboa - oito, os principais.

02 outubro, 2014

"Não há corruptos em Portugal" jura Cândida Almeida. Marinho Pinto dá-lhe umas dicas.





MARINHO PINTO EXPÕE A HIPOCRISIA DOS QUE QUEREM ESCONDER O GIGANTE E TAPAR O SOL COM A PENEIRA? 
"A corrupção não existe
A dr.ª Cândida Almeida, enquanto diretora do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), foi à Universidade de Verão da JSD proferir uma oração de sapiência sobre a sua especialidade. Na preleção, a magistrada, a fazer fé na comunicação social, disse "olhos nos olhos" aos jovens sociais-democratas que "o nosso país não é corrupto, os nossos políticos não são corruptos, os nossos dirigentes não são corruptos". Como caução das suas certezas a dr.ª Cândida Almeida invocou o meu nome para sublinhar que eu próprio já tinha sido chamado para detalhar situações de corrupção de que falara publicamente, mas que teria acabado por dizer que "não sabia de nada". Mentira!