03 julho, 2014

A ADSE não é só um belíssimo seguro de saúde. É também um belíssimo seguro de vida para os grupos privados da Saúde.

A troika mandou fundir os muitos subsistemas de saúde de elites, que existem em Portugal e que desrespeitam os valores da democracia na UE, que se quer igualitária.
Claro que o governo percebeu que era impossível ir contra os interesses das elites. Então e como sempre faz, atacou a elite mais fraca: a ADSE. Não resolveu o problema, nem a desigualdade nem o despesismo, apenas o agravou para o lado do cidadão.
A troika mandou também cortar na despesa da ADSE, mas o governo sabia que isso iria lesar os lucros sagrados dos hospitais e clínicas privadas dos amigos do governo, onde a grande fatia de clientes são os funcionários públicos, então para evitar cortar na despesa, optou por aumentar as contribuições dos FP. Esperteza saloia! 

"A ADSE é um "belíssimo seguro" para os grupos privados
Consegue o leitor imaginar o Governo a subir as contribuições sociais para evitar cortes nos apoios aos desempregados? Ou aumentar mais os impostos para evitar novos cortes no SNS? Com certeza que não. Mas foi isso que aconteceu no subsistema de saúde da Função Pública.
(...)Também na ADSE a abordagem inicial era essa. Conforme lembra a jornalista Marlene Carriço (...) o memorando da troika fixava como meta para 2016 a autosustentabilidade da ADSE. E dizia como: "através do decréscimo das contribuições da entidade empregadora e pelo ajustamento do âmbito dos benefícios de saúde".

Só havia uma forma de cumprir esta orientação: cortando nos benefícios do subsistema. Foi isso que se fez nas prestações sociais, por exemplo. Mas não foi isso que o Governo fez na ADSE. Pelo contrário, optou pelo aumento dos descontos dos funcionários públicos e dos reformados, que passaram de 1,5% para 3,5%. 
Quem teria perdido com o corte nos benefícios da ADSE? Sem dúvida os funcionários. Mas não foi isso que demoveu um Governo que nem sequer pestanejou quando cortou a eito nos salários, aumentou o horário de trabalho (sem compensação pecuniária) e reduziu de forma abrupta as pensões actuais e futuras da Função Pública. O que levou o Governo, sempre tão diligente no cumprimento do memorando da troika, a evitar cortes nos benefícios prestados pela ADSE não foi a saúde dos funcionários, mas sim a saúde financeira dos grupos privados de saúde.

A ADSE tem um papel fulcral na dinamização deste sector, já o assumiu o ministro da Saúde, como também a presidente da ES Saúde, que disse ainda que "é um belíssimo seguro de saúde". Imbatível pelos seguros privados, provou o Negócios.
E por ter uma cobertura inigualável e um preço sem paralelo, a ADSE conduz a uma utilização massiva dos serviços privados de saúde. Os necessários, mas também os dispensáveis. E, em questões de saúde, opta-se sempre por mais: mais consultas, mais prescrições, mais exames. E mais facturação para os grupos privados.
A ADSE não é só um belíssimo seguro de saúde para os funcionários públicos. É também um belíssimo seguro de vida para os grupos privados da Saúde." Negócios

-- Arnaut "Há interesses em degradar SNS"
António Arnaut afirmou que há interesses políticos em degradar o SNS, transformando-o apenas num sistema assistencial para os mais pobres, e obter financiamento público para salvar unidades privadas. "O que se pretende é, através do engodo da livre escolha, obter um novo financiamento do Estado para salvar certas unidades em situação deficitária que não têm procura para a capacidade instalada", acusou.
António Arnaut lembrou a propósito que o setor privado já é hoje em dia financiado em mais de 30% pelo SNS, através do SIGIC, das convenções e dos subsistemas de saúde.
"A ADSE pagou-lhe, em 2011, 492 milhões de euros", sublinhou.
(...) "Os privilegiados e o grande capital pensam que o mundo é a sua coutada e os trabalhadores e pobres o seu rebanho", disse, dirigindo em seguida as suas "preocupações" Ministério da Saúde. FONTE

O SNS EM INGLATERRA, UM EXEMPLO QUE PORTUGAL NÃO QUER SEGUIR, É BOM PARA OS DOENTES E MAU PARA OS PARASITAS.



OUTRAS OPINIÕES SOBRE O TEMA.
  1. Hospitais privados passam a ter doentes da ADSE, grande negócio.
  2. Hospitais privados da ADSE, vantajosos?
  3. A equidade e a ADSE. Que haja ADSE para todos? OK... 
  4. Crise no SNS, não na ADSE?
  5. SNS a alternativa é a ADSE?
  6. Uns contra e outros a favor da ADSE?
  7. Engenharia financeira para enganar os portugueses.
  8. Médicas e enfermeiras burlam ADSE
  9. Estado como gestor da Segurança Social é garantia de roubo institucional
  10. Diferença salarial entre funcionários públicos e privados.
  11. -TC Protege uma equidade que não existe?
  12. -EP, as elites protegidas, exemplos de equidade?
"Carlos Cortes, responsável do Centro da OM, revelou que o desmantelamento da consulta de Hematologia do CHBV obrigou doentes com várias patologias, entre as quais oncológicas, a esperar quase um ano até serem encaminhados para outras unidades, com "consequências graves"."

NINGUÉM DEVE SOFRER MAIS OU MORRER MAIS, APENAS PORQUE TEM MENOS POSSES, EM PORTUGAL O SNS É CADA VEZ UM SERVIÇO, SEM QUALIDADE, PARA POBRES. TAL COMO NO BRASIL E ARGENTINA 

32 comentários :

  1. Nunca se viu um Funcionário Público implorar ou pedir para pertencer ao SNS, queixam-se muito mas jamais trocariam. Já os do SNS morrem muitas vezes à espera de uma consulta ou cirurgia, e implorariam para pertencer à ADSE, para terem acesso aos serviços de saude de luxo e privados, como tem os da ADSE.
    E depois os FP dizem que quem critica é só por inveja... nem percebem que estão assim a reconhecer a desigualdade que sempre quiseram negar.
    Mas pedir igualdade não é inveja, viver na desigualdade é que é egoísmo... Defender o seu interesse em prejuízo do bem comum é egoísmo, exigir sustentabilidade e igualdade, não é inveja é coerência e justiça.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. alem de anonimo es estupido com uma porta....mal informado e MAL FORMADO....triste é o que és

      Eliminar
  2. Se o "Anónimo 03 Julho, 2014 11:48", QUER VIVER EM IGUALDADE, desconte todos os meses 3,5% do seu salário bruto e contrate um seguro de saúde. Vai ver que consegue um seguro de saúde bem melhor que a ADSE. Mas como é coerente e justo, prefere atacar os funcionários públicos e reclamar a ADSE, resta saber se estaria disposto a descontar os 3,5% do seu salário. Com o aumento dos descontos para 3,5%, a ADSE passaram a dar lucro (as receitas com os descontos são maiores que as despesas), facto já reconhecido pelo governo. Assim, os descontos do funcionários públicos para a ADSE também já servem para ajudar a pagar o buraco do orçamento de estado, são um imposto acrescido, que mais nenhum outro trabalhador paga. Por este motivo, acho graça às proclamações de coerência e justiça... ahahahah.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se acha que está assim tão mal servido com a ADSE, deixe de descontar para a mesma e contrate um seguro de saúde. Pelo que sei um funcionário público não é obrigado a pertencer à ADSE.
      Eu cá não me importava de descontar 5% do meu salário para a ADSE.

      Eliminar
    2. A ignorância e o egoísmo ficam bem claros no seu comentário... sr anónimo das 15.17, primeiro pq como sabe qualquer empregado estaria disposto a pagar 3,5 euros para ter acesso a hospitais e clínicas privadas de luxo... e portanto estar a gozar com os que lhe pagam esse luxo a si, demonstra a baixeza de espírito que leva este país ao caos. Porque para além de beneficiar da ADSE, como se percebe, ainda goza com os que pagam com a vida e o desespero de não ter mais que o SNS, onde se morre anos à espera de consultas e exames que na ADSE se fazem em 2 ou 3 dias.

      Todos devemos lutar pela igualdade. E não criar elites lesando o interesse das maiorias. Um sistema de saúde igual para todos é uma das bases essenciais da democracia e igualdade, só o facto de não ser assim já siginifica que quem tem poder para tal, legisla para fugir do SNS e esses são os mesmo que depois legislam para degradar o SNS, pois não precisam dele para nada. Se todos usassem o SNS, iria ver que teríamos melhor saúde porque era do interesse de todos melhora-lo e defende-lo.
      Quanto ao lucro que dá a ADSE, como diz o governo... nem ele poderia dizer outra coisa... porque é ele que quer manter a ADSE para beneficio dos amigos, por isso pode muito bem dizer que dá lucro, que a gente já vai ver se acredita.



      Eliminar
    3. Já agora deixo-o com este artigo
      A despesa oficial da ADSE é de 560 milhões, dos quais 221,5 milhões vêm do Estado, o que representa um deficit de 337,8 milhões de euros.
      Isso significa que, que para este subsistema de saúde ser sustentável, cada funcionário público teria de ter um salário bruto mensal de 7.262 euros durante 14 meses, revela o presidente do conselho de administração do Hospital de São João, António Ferreira, com base no relatório de actividades da ADSE de 2011.

      ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2013/01/para-adse-ser-sustentavel-cada.html#ixzz36QVFxyRp

      Eliminar
    4. Por lapso, em cima disse 3,5 euros, em vez de 3,5% do salário... mas creio que se percebeu o engano, pelo menos conto com a inteligência dos leitores que perceberam ;)

      Eliminar
    5. Por acaso, num trabalho de pesquisa que estava a fazer, dei com este texto e com as falsidades nele contidas e nos links apontados. Se na verdade a ADSE teve uma despesa de cerca de 560m€ em 2011, a verdade é que o Estado só contribuiu com 34,4 m€ nesse ano e 0 nos anos seguintes. O problema é que algumas pessoas botam faladura (entre os quais o tal Sr. do Hospital), percebem pouco de tudo e muito de nada, e ele truncou números de 2010 com 2011 para chegar às suas brilhantes conclusões. Para confirmarem os valores que referi consultem https://www.adse.pt/document/Relatorio_Atividades_2013.pdf, páginas 115 e 135.

      Refira-se ainda que o SNS custou 7801M€ em 2013 e que a partir de 2010 a ADSE passou a ser contribuinte do SNS. Em 2015, as entidades que descontavam para a ADSE vão deixar de o fazer e, portanto, passa a ser um sistema unicamente dependente das contribuições dos beneficiários.

      Eliminar
  3. Completamente de acordo, já agora, também nunca vi o tribunal constitucional a falar sobre a desigualdade entre os sistemas de saúde em Portugal. Talvez um dia quando a justiça for privatizada..

    ResponderEliminar
  4. A ADSE atualmente é facultativa e porque continuam o FPUBLICOS a descontar?!!porque não encontram nenhum Seguro de Saúde topo de gama para eles e familia por aquele valor!! Tenho vários FPublicos na familia e sei do que falo!!! A ADSE devia ser extinta, assim, como outros subsistemas de saúde pagos com o erário Publico ou auto-suficiente!! Porque os FPublicos "choram" quando se fala na extinção da ADSE??!! outra mama como aquela não encontram! existe o SNS e devia somente existir este, quem quer Seguros de Saúde topo de gama que os pague do seu bolso e deixe de vir esvaziar o meu! eu só tenho que contribuir para o SNS!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Estaline também nem a família respeitava. ;)

      Eliminar
    2. nem tu respeitas a tua.....a actual e a futura....

      Eliminar
  5. sousa_craveiro:
    A ADSE não acaba não é porque este desgoverno da Direita Ultramontana e revanchista tenha "pena" dos funcionários públicos, que, aliás, trata como se fossem os novos leprosos, mas sim, para evitar a falência das CUfs dos Mellos, das Arrábidas dos Espiritos Santos, cLIPÓVOAS, Trofas Saude, ETC...
    * mAS comentários como este anterior provam o sucesso deste Desgoverno no "dividir para reinar"! Gr estratégia esta de meter os tugas uns contra os outros; privados contra func. públicos, novos contra os velçhos, empregados a tempo parcial contra os a tempo inteiro, precários contra os " dos direitos adquiridos"!?!?!?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Engana-se não se trata de meter uns contra os outros mas sim de colocar todos em pé de igualdade a lutar todos pelo mesmo. O que põe uns contra os outros não é quem denuncia, mas sim quem beneficia de privilégios e tenta esconder e manter isso à custa de outros que não têm o mesmo direito de viver e de se tratar. Não venha manipular as coisas. Não é a denuncia que põe uns contra os outros, é o facto de esta situação exixtir.
      Se as pessoas estão umas contras as outras é porque há razões para isso, caso contrário é como lhe digo, que todos fiquem com ADSE, ou todos com SNS, ou todos com o SAMS, e vai ver que já não há uns contra os outros mas todos pelo mesmo... consegue perceber a diferença?

      Eliminar
    2. Enorme admiração pelo seu raciocínio face ao comentário, Zita.
      Que poderei dizer mais?!

      Eliminar
    3. Já agora, para as zitas paivas deste país, aqui fica:
      http://www.adse.pt/DOCUMENT/Plano_Actividades_2013_.pdf
      É claro que nem se dignarão ver com medo de perderem a razão e ficarem sem ter o que criticar. Ou então com medo de não entenderem nada. ;)

      Eliminar
    4. Portanto quer que eu leia um documento que começa logo assim
      "Direção-Geral de Proteção Social aos Trabalhadores em Funções Públicas"
      Quando o que eu defendo é precisamente o oposto, que exista apenas um documento igual para todos. Protecção dos FP? E porque não é igual à dos funcionários privados?
      E portanto quer que um documento escrito pelos que defendem os funcionários públicos, venha mostrar algo que lese os FP?
      Já agora podia especificar o que quer que veja...
      Acrescento ainda que caso não tenha reparado o artigo contem no final vários links, bem visiveis, para opiniões discordantes, mas claro nem leu, pq estava com medo de perder a razão....
      E está ainda no final do blog um texto que diz.... :
      Este blog não deve ser usado como base exclusiva, para formar opiniões, sobre os temas discutidos. Os leitores devem considerar estas opiniões, à luz de outras similares ou contrárias, disponíveis aqui ou em outras fontes.
      Sou apologista do espírito critico e cepticismo, que deve manter-se face aos meus comentários e aos temas discutidos.
      A ideia é que todos nós questionemos aquilo que nos querem impor como verdade absoluta, não pretendo impor, apenas levantar questões.

      FINALMENTE, A ADSE ESTÁ MAL? MUDE-SE PARA O SNS... SIMPLES.
      O SNS ESTÁ MAL? MUDE-SE PARA A ADSE... AH E TAL NÃO PODE, é proibido.

      Eliminar
    5. Estamos a falar de pessoas que morrem, por isso deixemos de fingir que é justo... o SNS é dos pobres e cada vez terá menos qualidade, a única forma de o salvar é fazer dele um serviço de todos.
      Estas pessoas que morrem de cancro por esperarem anos por consultas têm inveja dos que têm a ADSE e apenas esperam umas horas? Claro que têm, e não deviam ter.

      Ordem dos Médicos Doentes com cancro um ano à espera Médicos denunciam situação. 13 de Junho 2014,
      A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (OM) denunciou ontem "os graves problemas que atravessa o Centro Hospitalar do Baixo Vouga", que integra os hospitais de Aveiro, Águeda e Estarreja. Carlos Cortes, responsável do Centro da OM, revelou que o desmantelamento da consulta de Hematologia do CHBV obrigou doentes com várias patologias, entre as quais oncológicas, a esperar quase um ano até serem encaminhados para outras unidades, com "consequências graves".
      Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/saude/doentes-com-cancro-um-ano-a-espera134518697

      Eliminar
    6. Se a Zita Paiva quer plena igualdade entre público e privado, porque não obriga o Estado a ter seguro de saúde como têm as empresas privadas normais? Porque quer obrigar os funcionários públicos a pagar a totalidade da ADSE? Se a Zita quer igualdade entre público e privado, porque não obriga o Estado a fornecer saúde no trabalho a todos os FP como obriga no privado? SE a Zita quer igualdade, porque não obriga o Estado a pagar aos seus quadros o valor médio dos quadros das privadas? Se realmente quer igualddae, porque não obriga as privadas a fazer concursos com direito a reclamação e a recurso, designadamente para os tribunais, como acontece no Estado?
      Apagaram-me um comentário. Fizeram bem. Defenderei sempre um Estado forte, com os melhores a trabalharem nele, mesmo que isso irrite os ultraliberais. Se de vez em quando me saírem palavras mais duras contra o trollismo, as mentiras e os insultos na net contra os trabalhadores do Estado ou do setor privado, estarei sempre contra. O ultraliberalismo tem dado cabo da economia mundial. Poucas centenas de cavalheiros estão a destruir o planeta, a controlar os políticos e a manipular a opinião pública, usando os testas de ferro. Sou contra. Quando o Estado acabar como regulador, o sapiens sapiens (pouco sábio) será o predador que a história mostrou. Foi a implantação dos Estados que tornou o homem cidadão. Mas a ferocidade continua no seu cérebro reptiliano. Se gostam, façam-lhe bom proveito.

      Eliminar
    7. O seu raciocínio parece-me bem, vai precisamente de encontro ao que eu defendo. Não percebo é porque o faz como se estivessemos em lados opostos. Pela igualdade sempre, acho muito bem- Só não percebo é porque me diz para eu ir obrigar o governo a impor a igualdade- Porque tenho que ser eu? E não o sr? Porque não vamos os dois? E vou até mais longe, vamos todos obrigar o estado a fazer tudo isso?
      Parece-me uma luta válida.

      Eliminar
    8. Só há uma coisa que deixa o pessoal com o bicinho atrás da orelha, afinal se a Função Pública e a ADSE é um mar de injustiças porque é que os FP ficam furiosos quando se fala em acabar com a ADSE? deveriam ficar contentes e juntar-se a todos os que querem acabar com a ADSE? Não? Era um alivio para a FP? Há assim umas incoerências que ficam por entender.
      O mesmo se passa com as outras regalias...

      Eliminar
    9. A Zita nunca pensou que os FP podem não ficar irritados por causa do fim da ADSE? Nunca admitiu a hipótese de ficarem irritados por haver um pequeno grupo ultraliberal que na prática não admite que outros portugueses, no uso da sua liberdade individual - e após concurso público em que a uma vaga chegam a concorrer milhares de cidadãos, com direito de reclamação (inclusivamente com recurso a tribunal) - optem por oferecer os seus serviços aos órgãos do Estado?
      É claro que a mim também me irritam coisas bastantes. Quando um cidadão qualquer (quase sempre de linha ultraliberal e que vende serviços ou produtos razoavelmente inúteis) se coloca em bicos dos pés a manifestar a sua grande importância para a economia e para a sociedade (maior do que a de um médico do SNS, um magistrado, um professor...), eu fico irritadíssimo, apesar de não ter nenhum familiar a trabalhar como FP. Já quanto à ADSE, parece-me que disse acima que realmente defende a igualdade. Aceitará portanto que o Estado ofereça um seguro de saúde aos seus trabalhadores. Assim, acabe-se com o pagamento de 3,5% e torne-se a ADSE gratuita para os trabalhadores. Aliás, cada cidadão com ADSE fica em cerca de metade do custo de um utente do SNS, Contas feitas, com relatório exposto na internet. Porquê? Porque pagam uma grande parte (presentemente, quase a totalidade). E pagam também para o SNS ao ser-lhes abatido 11% para a segurança social e a percentagem de impostos correspondente às tabelas gerais.
      Já agora, eu não quero ir "de encontro" ao que a Zita defende. Sou bastante conciliador. Prefiro ir "ao encontro" da Zita e de todas as pessoas com quem "converso". :) (É uma graça).

      Eliminar
    10. Mantém-se a questão, porque é que os FP detestam que falem mal da ADSE, ou que digam que devia fechar, se afinal é tão má para todos? A sua teoria de estarem revoltados com os ultraliberais não convence as muitas pessoas que continuam a não acreditar. E lembre-se não é a mim que tem que convencer, é muita gente.
      Depois há que recordar que a teoria de que a ADSE é mais barata para o estado do que o SNS, essas contas tem muito que se lhes diga.
      Existem várias pessoas da adse que usam o SNS, quando não há clinicas nem hospitais de luxo por perto, e esses não são contabilizados.
      Segundo os mesmos teóricos, também o ensino privado subsidiado, fica mais barato ao estado que o ensino público... porque existem formas de fazer as coisas pender para onde convém.
      Como bem sabe. Aliás e como já disse num comentário, há sempre mais que uma teoria e um estudo sobre o mesmo tema.
      Também está no artigo um link para um estudo que diz que para a adse ser sustentavel, cada funcionário Publico teria que receber 7 mil euros durante 14 meses...
      Por isso vamos pesando as versões a ver qual delas tem mais razões para ser falsa. É o que nos resta, a nossa capacidade de discernimento, num país onde nem as mais altas figuras do estado, da justiça, da igreja, etc etc , são de confiar.

      Eliminar
    11. Concordo consigo, Zita. Já nem sei se existem "altas" figuras do Estado. Cada vez parecem mais figurinhas. E concordo consigo noutra coisa: pesar as versões e abordá-las com seriedade. Mas (na minha opinião, obviamente), eliminando primeiro as versões de fontes não credíveis. Ainda sobre a ADSE, coloca-se a questão de o aumento de descontos para 3,5% proporcionar receitas significativamente superior às despesas. Ou seja, mais de um milhão de pessoas pagará a sua saúde (não considerando o recurso excecional ao SNS) e ainda sobrará verba desse pagamento para tapar outros buracos do orçamento. No mínimo, representará um corte nos salários. De resto, retirando os FP de algumas (poucas) cidades, a grande maioria não dispõe de clínicas privadas perto da residência. Por isso, até as consultas em médicos não convencionados (e convencionados nessas zonas territoriais são muito raros), pagas a 70, 80 ou mais euros, têm uma recompensa de apenas cerca de 20 euros.
      Mas nos grandes centros (Lisboa, Porto e pouco mais) acredito que a ADSE seja uma boa fonte de financiamento de clínicas privadas. E eu sou defensor do SNS porque sei que o seu fim levará o setor privado a estabelecer os preços que quiser. Mais uma razão para defender um Estado forte.
      PS: Não me tinha apercebido que é a "dona" deste espaço. Peço desculpa de alguma inconveniência. Cumprimentos.

      Eliminar
  6. Concordo inteiramente com a Zita, não é Privados contra Função Publica, é uma questão de justiça, de igualdade - um sistema Publico para todos e não várias coutadas feitas à medida para determinadas castas pagas com os impostos de todos.Os Funcionários Publicos só demonstram um egoísmo atroz e ausência de valores democráticos. O que tem de errado um único SNS?!! onde todos sejam iguais nos descontos e atendimento?? errado é usufruir de privilégios adquiridos à custa do suor dos outros.Queixam-se que os descontos para a ADSE são elevados, deixem de descontar e vão ao SNS!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o FP é OBRIGADO a descontar para ADSE...nao é nada facultativo isso é mentira.

      Eliminar
    2. Uma pessoa que é obrigada a descontar para a ADSE, não fica furiosa e agressiva quando lhe dizem que querem acabar com a ADSE... deveria ficar feliz, e usar o SNS, para mostrar ao governo que é muito melhor usar o SNS. vamos lá ver se a gente se entende. Haja honestidade para se perceber as coisas.

      Eliminar
    3. Uma certa intervenção cirurgica vascular custa 5.000€. Conheço duas pessoas que têm necessidade dessa intervenção. Uma é o SNS. Outra é da ADSE. Esta já a fez e só pagou 20%, portanto 1.000€. A outra... Eu mesmo, por causa de acufenos bilaterais estou à espera de uma consulta de otorrino, pedida pelo meu médico no H. de Setúbal, há 20 meses!!. Se tivesse ADSE já tinha sido atendido no H. da Luz. Se o estado em vez da ADSE pagasse um seguro de saúde como a minha entidade profissional, o F.P. continuava à espera. O seguro pura e simplesmente não cobra. Para dar a mesma cobertura que a ADSE o valor do prémio seria incomportável. Isto são factos o resto é teoria.

      Eliminar
    4. Sou do prvado. Por favor passem a cobrar-me 3,5% e a dar a mesma cobertura da ADSE. Troco já!! (e nem precisam de isentar-me dos 3,5% de sobretaxa de IRS...)

      Eliminar
  7. Últimas noticias
    O Estado deixará de comparticipar a ADSE, passando a mesma a ser financiada apenas pelos descontos dos beneficiários.
    Desta forma, e segundo a Inspeção-Geral das Finanças, esta passará a funcionar em condições iguais a um seguro privado, com diminuição de benefícios e aumento das restrições.

    Como consequência, deverá haver um aumento de descontos e/ou redução de benefícios, a renúncia à condição de beneficiário e a quebra de adesão de novas inscrições, tornando mais difícil a subsistência do sistema, lê-se no Negócios. Desta forma, a procura deverá recair para o Sistema Nacional de Saúde (SNS)

    Esta medida estava prevista nas metas do memorando da troika para 2016 mas o Governo decidiu antecipar a medida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ser como diz, o Estado deixa de apoiar a saúde dos seus trabalhadores, ao contrário da lei geral do país em que a maior parte dos descontos para a Segurança sócial, que financia o SNS, é feito pela entidade patronal. Os funcionários públicos não beneficiam do SNS, uma vez que as suas despesas são reclamadas à ADSE pelo SNS.
      Não me refiro às boas empresas que ou têm sistemas da saúde próprios, bem mais generosos que a ADSE; ou oferecem Seguros de Saúde melhores que a ADSE e que são pagos pelas empresas.

      Eliminar
    2. Pois... Aqui temos mais um FP (Mrsrosa) já em pânico com a hipótese de lhe restringirem a ADSE. É porque é tão má e tão cara. E não é verdade o que diz um comentarista em cima, que o FP não pode desistir da ADSE. Pode sim. Antes não podia, agora já há uns tempos que sim. Viu-se que realmente desatou tudo a desistir. A verdade é que a ADSE vai deixar de existir nos moldes em que existe, porque por mais que esteja a ser "segurada" para sustentar os amiguinhos dos grupos privados de saúde, o facto de ser um regabofe de utilização sem quase limitações (há pessoas que fazem análises de 15 em 15 dias, e vão ao médico quando dão um espirro), vai torná-la insustentável a breve trecho. E vai ser impossível mantê-la por mais malabarismos que se façam. Isto foi-me dito por um médico que trabalha na Clipóvoa e que assume que realmente o lucro trazido pela ADSE é fenomenal mas que o subsistema caminha a passos largos para a insustentabilidade. Poderá não desaparecer, mas tal como os seguros de saúde, ter limitações de plafonds, número de exames e consultas, etc...

      Eliminar