21 fevereiro, 2014

BRUTAL! MANUEL MONTEIRO EXPÕE A VERDADE, OS NOSSOS POLÍTICOS SÃO FANTOCHES


Vejam bem como Manuel Monteiro contou tudo no programa Olhos nos olhos. Para os que ainda tinham dúvidas.
Manuel Monteiro, neste video, revela a ausência de democracia em Portugal e o domínio da podridão mais profunda, da politica.
Abandonou a politica porque se considera um patriota e o CDS está totalmente dominado pelo sistema. Tentou criar um partido, mas os portugueses não aderem a ideais de gente honesta.
Denuncia:
As farsas do poder.
A perda de soberania.
As mentiras das campanhas.
Os políticos empresários que apenas procuram enriquecer na politica.
A desonestidade das promessas politicas.
Os grandes empresários de sucesso, que não passam de parasitas do povo.



Afirma que na politica ou se entra no jogo sujo, ou sai-se da politica."
Manuel Monteiro percebeu que aquilo era uma choldra.
Teve muitos convites para cargos bem pagos na politica, mas disse sempre não.

Saiu do CDS porque viu que o CDS era um partido totalmente integrado no sistema apesar de fingir lutar, contra o sistema.
O sistema está capturado por aqueles que perceberam a falta de carácter e verticalidade dos nossos políticos.
Os nossos políticos pensam que são empresários e lutam pelo seu sucesso e riqueza pessoal, tem uma ambição desmedida, não querem saber de ideais.
Quando aderimos à UE, os políticos perderam as verdadeiras ferramentas de poder, mas continuam a enganar os portugueses, fingindo que têm poder para cumprir o que prometem.
70% das leis que dizem respeito à nossa vida, nem são feitas na AR. Por isso o nrº de deputados e ministros, é uma farsa, são apenas marionetas e empresários a fazer pela vida, na sombra cómoda dos nossos impostos.
Apresentam programas que são pura ficção e os portugueses ainda acreditam naquilo. Eles andam a gozar connosco, a brincar aos políticos, a distribuir dinheiros e cargos públicos, e os portugueses assistem crentes e cegos.
"Não posso aceitar que existam médicos em topo de carreira e professores universitários a ganhar mil e poucos euros, quando os assessores do Governo, com apenas 22 anos estão a ganhar mais de 3 mil e mais de 4 mil euros."
Os empresários fundam empresas para ganhar dinheiro, os políticos têm que ganhar eleições para ganhar dinheiro.
Os grandes empresários de sucesso em Portugal, vivem do orçamento de estado, se não fosse assim nem existiam. E ainda têm o descaramento de ir para a TV, exibir os seus sucessos, que são, na realidade, assaltos ao orçamento?
Subsídios de reintegração. Deputados são uma despesa sem fim à vista...

Alguns textos sobre a falta de democracia.
  1. A falsa democracia que nos prende, não nos liberta.
  2. Ditatorialmente iludidos.
  3. O verdadeiro poder do voto
  4. O pacto dos partidos na luta para manter o ganha pão.
  5. Video - Pagamos muitos milhões para votar?
A doença da direita produz uma adesão acrítica, a tudo que se preste a combater o vandalismo revolucionário contra a lei natural (mormente o direito à propriedade), o que pode implicar até um boicote ao legítimo interesse nacional se este for visto (acertadamente ou nem tanto) como fonte de contestação dos activismos políticos urdidos pelo Estado, contra a dita lei.
Por seu turno, a doença esquerdista produz um deslumbramento ingénuo para com todo discurso ou acção virulentos que busquem justificar na rectificação de disposições (pessoais ou grupais) menos altruístas face ao bem comum, em particular aquelas referentes ao uso do dinheiro, o que costuma resultar na desagregação da harmonia social pela multiplicação de ressentimentos entre as classes dirigentes e dirigidas.
Para combater ambas as enfermidades, é preciso substituir o amor às salvaguardas dos interesses particulares ao amor pelo bem comum.  Mais: é preciso mostrar que ambos os amores partilham de inimigos (internos e externos) comuns, e que não raro os antagonismos que os distanciam são artificialmente criados e fomentados pelos que agem a soldo de oligarquias apátridas.

É urgente acabar com o monopólio dos partidos que devastam Portugal 


5 comentários :

  1. é bom que haja denuncias não interessa de quem,seja bem vindo!

    ResponderEliminar
  2. http://www.admin.ch/opc/fr/classified-compilation/19995395/index.html#a41 è fàcil copiem a const. SUICA,

    ResponderEliminar
  3. https://www.pordata.pt/Tema/Portugal/Proteccao+Social-10 tudo sobre o social em PORTUGAL

    ResponderEliminar
  4. http://www.cga.pt/listamensalDR.asp listas dos previlegiados do ESTADO, é uma vergonha, o que recebem com 15 ou 20 anos de descontos. estäo a roubar o FUTURO dos filhos e netos. e so falam en direitos adquiridos????

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é a abstenção que está errada, é a forma como as pessoas questionam a sua utilidade. Se buscam solução para o caos do País, não é no voto que o encontram, há todo um problema estrutural e profundo que deve ser resolvido de raíz, para que o voto seja realmente democrático verdadeiro e representativo.
      A abstenção não pretende eleger os competentes e honestos, porque esses não os há.E mesmo que os haja, a impunidade e e injustiça que a constituição e a lei permitem faz de qualquer politico um potencial criminoso.
      Quando alguém vem com o argumento que a abstenção não resolve nada, gostaria que me dissessem e o que é que o votar tem resolvido??
      Votar ou abster-se é o mesmo. Ganham sempre os mesmos, a ZON, a PT, a EDP, os bancos; grupo mello, grupo bes, sonae, etc etc

      O que se pretende com a abstenção é levar a cabo uma manifestação, para mostrar aos politicos que queremos mudar este regime onde o voto não muda nada, não nos protege, não nos dá poder, pelo contrário destroi-nos, escraviza-nos e dá poder absoluto e legitimo aos que nos roubam.

      Eliminar