12 abril, 2013

TRIBUNAL CONSTITUCIONAL FOMENTA A DESIGUALDADE E INJUSTIÇA SOCIAL, E DÁ O MAU EXEMPLO




Sou apartidária, e apenas pretendo deixar claro que neste artigo, se denuncia a desigualdade social, levada a cabo e apoiada por todos os governos (PSD/PS/CDS)
NESTE VIDEO, Camilo Lourenço expõe os falsos, argumentos que o Tribunal Constitucional usa, para justificar o alargamento dos sacrifícios, até ao sector privado, ou seja, a um maior número de contribuintes.
Na realidade em Portugal não existe igualdade, o país está cada vez mais divido por classes profissionais, com regalias para uns que não são iguais para todos, e a lei e os governos consentem e fomentam, essa mesma desigualdade e ilegalidade.
Ao minuto 2.42: O Tribunal Constitucional que hipocritamente estende os sacrifícios ao público e ao privado, com a desculpa de que foi para promover a equidade... Quando na realidade ela não existe, nem antes nem depois das medidas.
Enumera e confronta alguns casos de desigualdade- Cito   
- Férias para os funcionários do estado, de 25 a 30 dias úteis
- Férias do sector privado apenas 22
- O sector público tem um sistema privado de saúde
- O sector público não tem, e ainda ajuda a pagar o dos funcionários públicos.
- No sector público trabalha-se 35 horas semanais
- No privado trabalhas 40 horas.(sem rigor) 
Há exemplos ainda de outras classes especificas, do sector público, com direitos que ofendem a igualdade.
O próprio TC dá o mau exemplo, como classe profissional elitista.
- Um juiz do Tribunal Constitucional pode reformar-se ao fim de 10 anos de serviço! Os casos de reformas precoces no sector público, estendem-se por mais classes. Já no privado isso não é permitido.  

No entanto as criticas não são dirigidas aos funcionários públicos, afirma, mas sim ao facto de se estar a construir uma sociedade com dois pesos e duas medidas. E estarem a dizer que estenderam os sacrifícios a todos os sectores por uma questão de equidade, não é uma explicação cabal... as pessoas não podem admitir que estejam sempre a mentir-lhes. Porque se o Tribunal quisesse ser sério nesta matéria e justo, tinha que mexer em tudo isto... por isso fica fácil de perceber que o que os move não é a igualdade social ou a justiça, mas ir ao bolso dos portugueses, usando todas as desculpas possíveis.

Entre algumas mentiras e faltas de verdade do economista e jornalista, fica pelo menos a ideia de que é importante acabar com a injustiça social, que é cada cada vez mais evidente entre as classes profissionais. Situação esta desenvolvida e apoiada por todos os governos que passam pelo poder, e não só. 

NOTA: Eu não sou admiradora ou defensora dos intervenientes do video. Por isso os comentários, dos leitores, que sejam dirigidos à concordância ou não, do que se afirma no video, e não dirigidos ás personagens. 

1 comentário :

  1. Pai, porque não podemos ir de férias como o primo João?
    -Sabes filha, os pais do João não têm o mesmo patrão do pai, e o patrão deles dá-lhes dinheiro para irem de férias.
    O teu patrão é mau pai?
    -É mau, estúpido e sem dinheiro…tu mais tarde irás entender o que é a democracia.
    Mas eu já sei o que é a democracia pai – lá na escola já fizemos eleições para votar no trabalho de pintura mais bonito, por acaso quem ganhou eu já sabia quem seria, foi o amigo dos amiguinhos, percebes pai?!!!
    Ah! e aquilo que dizes dos patrões dos tios serem melhores que os teus deve ser mesmo verdade porque o primo disse que o carro novo com que eles andam é da empresa e que depois fica para eles.
    Pai, porque é que a mãe está sem trabalho?
    -Porque era professora, há mais de 15 anos, e o patrão, que é o mesmo do pai, despediu-a. Mas não te preocupes que o pai ainda trabalha e não te vai faltar nada.
    -Sabes daquele casal amigo da mãe que eram ambos professores e ficaram os dois desempregados?
    Sim pai a mãe falou neles.
    -Pois, coitados, esses estão pior que nós.

    Ai aguenta, aguenta.

    ResponderEliminar