27 agosto, 2012

Cadastro é currículo?? Em Portugal, sim.

corrupção lei justiça
O cadastro, ou currículo de muitos políticos portugueses é revelador do estilo de pessoas que decidem enveredar pela carreira politica. 
O caso BPN é outro exemplo, de ex políticos que decidem enveredar pela via empresarial, beneficiando de favores e impunidade, obtidos apenas, por terem pertencido à elite politica.
Ou ainda Sócrates...  O Cadastro de Passos Coelho  também é vasto!!!!

Paulo Morais deixa-nos este testemunho bem realista, desvendando como o dinheiro dos nossos impostos, está desde sempre, condenado e com destino marcado, na mão de gananciosos sem escrúpulos e sem lei. 

"Armando Vara ou Dias Loureiro concluem as suas carreiras como empresários de sucesso. E ricos.
Porque será que tantos políticos se dedicam à vida empresarial? E o que irão eles fazer para as empresas? Negócios com o Estado, claro está. Quase sempre. Negócios de milhões. Os lugares dourados em empresas do regime são, aliás, o destino final das carreiras políticas dos mais habilidosos.
Armando Vara ou Dias Loureiro (e muitos de igual jaez) não teriam provavelmente sucesso em qualquer outro país. Mas por cá, graças à política, concluem as suas carreiras como empresários de sucesso. E ricos. Porque o regime compensa carreiras que são construídas de pernas para o ar e ao arrepio de toda a competência.
Na Europa ou nos Estados Unidos da América, os bons profissionais saem das universidades, vão trabalhar em empresas e instituições, criam riqueza. Depois de terem provado que sabem fazer alguma coisa de útil, alguns optam por disponibilizar os seus conhecimentos ao serviço da comunidade. E aí iniciam uma participação política. No final das suas carreiras, muitos vão para as universidades transmitir o saber que adquiriram ao longo da vida.
Em Portugal, o percurso é bem diverso. Concluída a formação universitária, os dirigentes partidários anseiam por um cargo político. Para o qual são nomeados por via do seu currículo partidário e jamais por qualquer competência académica ou profissional.
Empossados em funções públicas, a maioria logo esquece o povo e até a lei. Exerce o seu lugar ao serviço da teia perversa de negócios em que os partidos estão envolvidos. Ao fim de alguns anos, instala-se comodamente num qualquer "tacho" duma empresa privada, auferindo milhões.
Poderiam eles ser administradores em empresas de referência de países desenvolvidos? Obviamente que não. Apenas obtêm estes lugares porque no exercício das suas funções públicas favoreceram os grupos privados, que agora os gratificam. E que os recompensam pelo prejuízo que provocaram ao Estado português. Prejuízo que continuarão, aliás, a causar, obtendo favores do Estado para os grupos dos quais agora são assalariados. E para os quais afinal sempre trabalharam, mesmo enquanto políticos." CM


"Vários processos de contra ordenação por violação de regras ambientais, vários exemplos de má gestão são matérias que merecem vir a público sobre o passado de Passos Coelho enquanto gestor e economista.
Conheça todos os episódios." Cadastro de Passos Coelho

"Pedro Passos Coelho tem vários processos de execução fiscal pessoais por frequentes apresentações de declarações fora de prazo. (aqui identificamos alguns desses processos e respectivas coimas).
E como administrador do Grupo Fomentinvest Ambiente, SGPS viu-se envolvido em mais de 10 processos de contra-ordenação (em anexo mapa dos processos de contra-ordenação)."

Mais cadastros....

11 comentários :

  1. Penso que a análise da situação está mais do que feita. A justiça não funciona, os políticos são gente de 5ª classe, quase todos corruptos, nunca trabalharam, nunca estudaram...

    E agora? Vamos continuar assim? Não há espaço para as pessoas honestas do país se envolverem e dizerem basta?

    Será que a denúncia nas televisões é apenas montra para promoção de individualidades?

    E quem nos garante que estas, quando lá chegarem, não se deixarão corromper também?

    Vara e Loureiro também foram um dia rapazes honestos e até diziam mal do Salazar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A análise está feita mas milhões de portugueses desconhecem-na... e pactuam com este estado de sitio. Há que divulgar não apenas analisar.

      Eliminar
  2. >Concluída a formação universitária, os dirigentes partidários anseiam por um cargo político

    Permita uma pequena correcao, mas o percurso classico eh o seguinte:
    - colador de cartazes e pau para toda obra em comicios, desde tenra idade na J(S/SD/P/etc)
    - para os meninos bem comportados, e/ou de boas familias, lugar no parlamento assim que tiverem idade para fumar
    - apos uns anos como deputado, tirar o curso a pressa numa universidade privada qualquer
    - enquanto deputados acumular tantos interesses e fazer tantas manobras quantas forem necessarias para engordar-se a eles e aos amigos
    - com a influencia adquirida, despachados para uma qualquer PPP (de preferencia alguma que tenham tido influencia nas decisoes)

    nota: o link "cadastro de passos coelho" parece nao funcionar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo esse o resumo e o percurso dos políticos...
      Obrigada pela sua ajuda com o link...

      Eliminar
    2. Analisei estes comentários, todos conhecemos, sabemos disto temos de nos revoltar, indignar, divulgar, manifestar, com veemência, este blog tem sido muito apelativo, informador destas situações. Noto que o link já está a funcionar e é bastante elucidativo, pertinente.
      A indepência moral, resulta no civismo, cidadania, isenção que nos faz falta para participarmos e nos envolvermos.

      Eliminar
    3. Nem mais... ""A independência moral, resulta no civismo, cidadania, isenção que nos faz falta para participarmos e nos envolvermos.""
      As pessoas insistem em deixar a politica de lado, como se nada tivesse a ver com elas. A politica diz respeito a todos, e mexe com todos os aspectos da vida do país e de cada um dos portugueses. Chama-se cidadania e civismo, estar atento e envolver-se na politica. Por cá a politica é substituída por novelas e futebol. Não se estranhe pois que os países mais fanáticos pelo futebol são também os mais corruptos. Quase me atrevo a concluir que adorar futebol e ser ignorante, tem uma ligação muito estreita?

      Eliminar
  3. A actividade política tem de ter uma carreira com progressão equivalente à pública que permita lugares razoáveis de recuo a quem desempenha funções oficiais.

    Talvez deste modo, se evitassem lugares eternos aos mesmos em listas de deputados e de autarcas com a desculpa que o visado "não tem outro emprego..."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Discordo. a actividade politica devia ser como a tropa voluntaria.

      Depois de provas dadas na sociedade civil, quando alguem estivesse disposto a contribuir para a sociedade (porque queria e nao porque precisava), tirava uma sabatica e fazia uma comisao ou duas na politica, sendo que antes do fim do tempo de vida util (i.e. antes de ficar caquetico) encarregava-se de formar as proximas geracoes.

      Assim acababase com a profissao politica que tanto tem empobrecido as "democracias" por todo mundo.

      Pelo caminho podiamos tentar acabar com os partidos politicos e as eleicoes por metodo de hondt para pseudo democracias representativas, e passavamos para uma democracia directa mais interventiva.
      o tempora! o mores!

      Eliminar
    2. A carreira politica deveria ser apenas para aqueles que tivessem dado já provas da sua competência, com progressão vigiada e de sucesso, com testes de aptidão psicotecnicos, e apenas para pessoas com cadastro limpo, mesmo de suspeitas.
      Na Finlândia por exemplo ...
      Na Finlândia, os secretários de estado fazem carreira sendo sujeitos e superando avaliações e provas objectivas, em vez de designação partitocrática como em Portugal
      A possibilidade de se tornar um membro do poder politico ou de ministérios, finlandês não está circunscrito numa elite intelectual formada em instituições educacionais concretas (como na França), nem em pessoas que tem a capacidade de atrair investidores de diferentes empresas para financiar suas campanhas ( EUA exemplo) ou membros de partidos e organizações políticas públicas cujo único mérito foi alcançado internamente e apenas no seu partido (caso espanhol e português)
      Na Finlândia, as posições no poder, são ocupadas por funcionários públicos (seguindo uma escala de mérito) e cuja escalada na carreira está aberta ao conhecimento de todos os finlandeses.

      Acesse ao Artigo completo: http://apodrecetuga.blogspot.com/2011/06/finlandia-como-lutou-contra-corrupcao.html#ixzz24lZoGuHN

      Eliminar
    3. Qualquer país nórdico é exemplo disso, Dinamarca, Suécia, Finlãndia, Áustria, Noruega etc... Mas as condições do estado social desenvovido conquistam-se com indepêndencia,
      sustentabilidade, a economia tem de estar ao serviço do país, para os seus patriotas poderem ter condições de vida, merecedoras de respeito, cidadania, solidariedade, a aposta é feita na educação, ciência, tecnologia ao contrário de portugal. Temos de aprender muito....

      Eliminar
    4. As pessoas não entendem isso... ""Mas as condições do estado social desenvovido conquistam-se com indepêndencia, sustentabilidade, a economia tem de estar ao serviço do país, """
      Não percebem que em Portugal está tudo ao serviço dos poderosos que sugam a economia e as familias.

      Eliminar