22 fevereiro, 2012

Justiça mais uma vez beneficiada. Será pelo bom desempenho? Ou em Portugal há portugueses de 2ª e de 1ª?

justiça subsidio de férias e de natal
Certamente há algo aqui que nos falha...  a justiça é protegida no cortes de subsídios?
1º - Os reformados da justiça vão ser poupados aos cortes exigidos aos reformados de Portugal?
- Isto é estranho e mais estranho fica quando por detrás desta aprovação, esteve uma proposta do PCP!?
- Estranha-se ainda que mudem a lei para contrariar outra que sai, pouco antes?!
- E ainda mais estranho a lei ser feita à medida de uma classe profissional?!
- Não teria sido melhor terem feito uma lei explicita onde claramente se referia que quem ia sofrer os cortes nos subsídios eram apenas os miseráveis de Portugal!? Era mais fácil do que andar a inventar desculpas para isentar a justiça, o Banco de Portugal, e as que se seguirão...  

Ainda recentemente Portugal ficou abismado com a lei que protegeu o Banco de Portugal  dos cortes no subsídios de férias e de Natal, o qual inclusive já lhes foi pago. O Banco de Portugal, bem precisava de ser protegido, pois trata-se de uma classe castigada pelas pela austeridade e miséria que se vive no seu local de trabalho. 
Mas os luxos da justiça também são ofensivos e desmedidos. Reformas de sonho e outras regalias que ofendem um país pobre e em grave crise. No entanto têm que ser poupados aos cortes!?

Deve ser do mérito, são privilégios de classes, conquistados por bom desempenho!? 
Em suma, um Banco de Portugal, que ficou muito aquém das suas competências, pois não soube agir atempadamente e com a justiça que lhe cabe impor, nos caso BPN, no caso BPP, na regulamentação do regabofe dos empréstimos bancários, e outras áreas de sua intervenção. (Neste video as acusações de negligência no caso BPN, ao BdP) 
Portanto calcula-se que este prémio, que o isenta de sacrifícios, seja uma forma de agradecer o seu bom desempenho na fiscalização das finanças nacionais.!!!!!?

Quanto à justiça, também merece um prémio por bom desempenho. Quase ia prendendo o Isaltino Morais, quase que já conseguiu anular todo o processo "Face Oculta", deixa prescrever processos de crimes contra o estado, está em vias de prender o indigente que roubou o champô, enfim um rol infindável de casos resolvidos e justiça feita, que nos deixa tranquilos e cientes que merecem realmente ser isentados dos sacrifícios...  

O Parlamento aprovou por unanimidade uma proposta do PCP que elimina a possibilidade das pensões dos magistrados jubilados serem alvo de contribuições extraordinárias, como as incluídas no orçamento.
A proposta do PCP visava eliminar o artigo 73 da proposta de lei do Orçamento do Estado para 2012 que previa que as pensões dos magistrados podiam ser alvo de contribuições extraordinárias.
As pensões de aposentação dos magistrados jubilados podem ser objecto de contribuições extraordinárias nos termos da lei do Orçamento do Estado”, dizia a proposta de lei original. *(Agora já não podem!! Boa. Que conveniente)
No entanto, os pareceres enviados à Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias contradiziam e geravam polémica em torno destes artigos e os partidos consideraram que o Estatuto do Ministério Público não deve conter normas orçamentais de vigência provisória. fonte
*Nota do blog.

Mas a lei prossegue a proteger quem a faz.
Os JUÍZES do TC e a CES..(contribuição especial de solidariedade)
É inacreditável!!.......
Esta gente já beneficia (não sei por que razão…..) com a indexação das suas pensões aos trabalhadores no activo!!
Regalia dos “JUBILADOS”!!!!
E agora, outra benesse: - não pagam CES!!!
E depois vêm falar de equidade, justiça social, etc. e tal…
Isto só numa república das bananas!!
Espalhem pelos vossos contactos. Isto é serviço público!!
Eis a explicação para o "NÃO CHUMBO" da CES. Protegem-se a todos os azimutes e armadilham tudo à volta. E o Governo alinha.  
Juízes e diplomatas não pagam CES sobre pensões
Nem todos os reformados com pensões elevadas saem a perder com a decisão do Tribunal Constitucional (TC). Os juízes e os diplomatas jubilados não são afectados pela polémica contribuição extraordinária de solidariedade (CES), viabilizada pelos juízes do TC. E com a decisão do TC passam também, como qualquer funcionário público, a ter direito a subsídio de férias.
Estes pensionistas estão teoricamente equiparados aos funcionários públicos.
A CES não se aplica às suas pensões devido a uma norma do Orçamento do Estado que abre uma excepção para as "pensões e subvenções automaticamente actualizadas por indexação à remuneração de trabalhadores no activo". fonte
(Claro,como água da fonte. Se não fosse esta norma, oportunissimamente introduzida na Lei do Orçamento, a CES teria sido chumbada.Chamem-lhes o que quiserem mas eles estão-se borrifando)

Marinho Pinto está cansado de alertar o povo e ser perseguido pelo povo e por todos que denuncia... eis o video onde ele explica que as leis fiscais são feitas pelos ricos para favorecer os ricos.


Veja ainda este outro video onde eles explica como a justiça desaparece em Portugal


1 comentário :