06 novembro, 2011

Sociedade para albergar boys e destruir erário público.(Tribunal de contas sabe tudo mas não se faz nada)

Sociedade Metro do Mondego albergue boys
Sociedade Metro do Mondego é uma sinecura e até 2011, o único trabalho que realizou foi desmantelar a linha ferroviária que existia, e os seus prejuízos não param de aumentar, desde a sua criação. Prejuízos que foram produzidos pelos seus sete administradores a gerir cinco funcionários.
 Em 2010, mais de 60% do orçamento desta empresa pública foi para pagar aos administradores (ordenados, mordomias, automóveis topo de gama, etc, etc).
Uma das razões desta aberrante organização, está no fato das câmaras municipais locais terem exigido ao governo o direito de nomearem os seus parasitas. Todos queriam e continuam a querer participar no roubo do erário público.
Alguém que ponha os olhos nestes "boys" que estão alojados em cargos inventados e criados pelo Sócrates, e que acabe com este parasitismo descarado.

FALAM FALAM MAS NÃO FAZEM NADA... TC SEMPRE ATENTO MAS PARADO
"Um relatório  arrasador do Tribunal de Contas aponta várias falhas ao metro do Mondego, como custos muito acima do previsto e falta de sustentabilidade técnica do projecto.
Um projecto que ainda não saiu do papel e cujo investimento previsto é quase quatro vezes superior ao inicialmente estimado.
Já foram investidos quase 104 milhões de euros, 10 deles em estudos e projectos.
A Metro do Mondego, empresa que integra o sector empresarial do Estado, foi criada há quase 15 anos e o metro ainda não anda.
O Estado decidiu criar, em 1994, um sistema de metro ligeiro de superfície nos concelhos de Coimbra, Miranda do Corvo e Lousã sem qualquer sustentação que mostrasse a viabilidade técnica, económica e financeira do projecto, lê-se no relatório.
O primeiro estudo de viabilidade foi aprovado três anos depois e referia que o investimento necessário seria de 122,8 milhões de euros. Em Janeiro de 2011, a previsão aponta para um custo superior a 455 milhões." fonte





Sem comentários :

Enviar um comentário